TRÊS CARACTERÍSTICAS DO PERSEVERANTE


Quando ainda estava com seus discípulos, Jesus deixou um dos textos mais emblemáticos da Bíblia, tendo como pano de fundo uma atitude primordial para o sucesso em qualquer área da vida. Segundo o Mestre, alcançará a salvação “aquele que perseverar até ao fim” (Mateus 24:13).

Ao falarmos de perseverança, precisamos atentar para pelo menos três características fundamentais de um perseverante:

1) PRIMEIRA CARACTERÍSTICA

A primeira delas é a constância. Uma pessoa constante é aquela que traça o seu objetivo e permanece nele, sem deixar que as tentações do caminho o desviem do seu foco. Sendo assim, o constante projeta, avalia, define e caminha em direção ao seu futuro, sem desviar do seu caminho.

2) SEGUNDA CARACTERÍSTICA

Esta característica nos leva a compreender a necessidade de permanecer firmes, que é a segunda marca de um perseverante. A firmeza aponta para segurança e estabilidade. Ambas são fundamentais para a realização do projeto. Um indivíduo firme é aquele que sabe para onde está indo e que permanece fiel ao propósito, mesmo diante de problemas e dificuldades.

3) TERCEIRA CARACTERÍSTICA

Por fim, temos o terceiro ponto, a pertinácia. O pertinaz é aquele que não se deixa levar pelas opiniões e desejos alheios, pois tem sua convicção pessoal e inabalável. Esta característica está intimamente ligada à construção de um hábito saudável, que levará a pessoa a alcançar o seu objetivo.

Diante destes pressupostos, é possível perceber que as orientações de Jesus quanto à perseverança tinham o propósito de orientar os discípulos a não se deixarem levar por nada que pudesse desviá-los do foco da sua salvação. Permanecer fiel é a melhor maneira de manter-se firme no caminho da salvação. 

OS URUBUS ESTÃO A SOLTA


Quem nunca viu um urubu sobrevoando áreas perto de sua casa? Estas aves de rapina se alimentam, basicamente, de animais em putrefação, frutas em estado de decomposição e, quando não encontram as duas primeiras, de pequenos animais como lagartixas, ratos e sapos.

No sentido figurado são pessoas que vivem da desgraça alheia; que se aproveitam de situações de calamidade para conseguir algum benefício próprio; que vivem agourando e azarando os outros para tirar proveito da situação.

É justamente neste sentido figurado que gostaria de falar e utilizar o tão famoso urubu, visto que estamos vivendo um momento difícil e de extrema sensibilidade. Basta um pequeno olhar e veremos os abutres sobrevoando a nossa nação. Todos com um único objetivo: o benefício próprio.

Nesse cenário quase apocalíptico temos “urubus” políticos (da esquerda e da direita); emissoras; youtubers; profissionais liberais; gente da alta e “gente comum”, todos querendo um espaço ao sol das suas próprias prioridades. São pessoas que se alimentam da desgraça alheia, da miséria e da simplicidade de muitos para satisfazer suas próprias necessidades.

Todos os profissionais ou pessoas são “urubus”? Claro que não! Então, quem são os “urubus”?

Urubus são aqueles que só criticam, acusam e denigrem, mas nunca mostram uma solução. São indivíduos que se colocam na posição de super-salvadores, mas que não salvam a ninguém e nem apresentam soluções que possam salvar. São acusadores que defendem ideais pessoais, visando lucro, posição, sucesso e realização individual, sem contar outros benefícios que vem junto. São inflamadores da multidão que colocam o “pau para quebrar” e depois saem de perto para que não respingue neles. São indivíduos que se aproveitam de situações de calamidade para apontar o dedo, porém sem mostrar a saída. São aqueles que amam ver o circo pegar fogo, mas não movem um dedo para apagar o incêndio e ainda criticam os que aparecem com um baldinho d´água para tentar apagar.
Os urubus estão em toda parte. Nesse momento de caos temos visto milhares deles: políticos, líderes religiosos, jornalistas, apresentadores, vendedores, diaristas... Enfim, centenas de pessoas de posição, cargos e trabalhos diferentes, todos tirando uma casquinha do momento de desgraça para beneficiar-se.

Vemos isto nos comentários jornalísticos daqueles que ficam horas falando da posição “a” ou “b”; nos políticos de situação e oposição; no comerciante se aproveitando do desespero e aumentando de forma absurda o álcool, o alimento, produtos de primeira necessidade; nos críticos da internet que só querem mais um seguidor. Estes são apenas alguns exemplos, é possível que você identifique muitos outros.

Então, o que fazer? Não perder o senso crítico, avaliar quem e o que está falando, buscar coerência entre discurso e vida, procurar saber o se a pessoa está falando e apresentando soluções efetivas ou apenas arrebentando com pessoas e insuflando o caos.

A verdade é que, neste momento, somos todos responsáveis. Sendo assim, todos possuem o dever agir buscando solucionar o problema, ao invés de ficar agredindo e atacando os outros.

NOSSO VERDADEIRO INIMIGO


Estamos em guerra, mas nossa luta não é contra carne nem sangue (contra pessoas).

Sendo assim, não temos que lutar contra nossos familiares, colegas de trabalho, vizinhos do bairro, estranho que passa na rua, motorista do outro carro, etc. Todos eles são pessoas normais, assim como nós, que ferem e são feridas. Quanto a isto, o propósito do inimigo é o mesmo: destruir a todos.

Segundo a Bíblia, este inimigo em comum odeia tudo que vem de Deus, onde se inclui o ser humano, que é a maior obra da criação. Desta forma, quando ele coloca uns contra os outros levantando brigas, discórdias, dissensões, porfias, dentre outras coisas, está apenas cumprindo com o propósito existencial que ele mesmo traçou para si.

Aqueles que estão em Cristo precisam compreender isto. Caso contrário, continuaremos tratando as pessoas como se fossem o alvo da nossa batalha, quando isto não passa de um engodo do maligno para desviar a nossa atenção do verdadeiro inimigo.

Volto a repetir, nossa luta não é contra carne nem sangue, não é contra pessoas. Mas sim, contra principados, potestades, príncipes das trevas, hostes espirituais da maldade nos lugares celestiais.

Sabe aquela birra que você tem contra o seu vizinho; aquela mágoa de alguém; a resistência com algumas pessoas; as constantes discussões; a ojeriza contra outrem? Tudo isto na verdade não passa de uma ação do inimigo para destruir a mim, a você e aos nossos relacionamentos.

O propósito principal de Deus é que sejamos catalisadores do bem. A função do catalisador, em resumo, é transformar tudo aquilo que é Tóxico (ruim) em Inofensivo (bom). Somos luz do mundo e sal da terra. Nossa função é, como luz, dissipar as trevas. Como sal, precisamos fazer a diferença.

Portanto, te convido a não se deixar levar pelas circunstâncias do dia a dia e pelas afrontas do maligno, a tomar a sua posição como guerreiro de Deus e lutar contra as investidas de satanás contra sua vida e daqueles que estão a sua volta. Convoco-te a assumir a sua posição e começar a guerrear.

Mas pastor, já falhei nesta batalha! Então levante a cabeça e volte para a guerra!

Continuaremos posteriormente falando sobre as nossas armas para esta batalha...


FILOSOFANDO SOBRE O SABER DE HOJE X O SABER DE ONTEM


 Se eu soubesse tudo que sei hoje quando era mais jovem, não seria eu mais jovem, seria o eu de hoje vivendo no ontem, sem saber que estava preso a um fluxo temporal do passado, vivendo uma vida que já deveria estar existindo faz muito tempo.

Parece complicado, mas é só lembrar que muitas pessoas vivem presas a episódios traumáticos do ontem (isto não é uma crítica, mas uma análise). A vida que estão vivendo neste exato momento ainda está presa aquele episódio, por isto não conseguem viver o novo, pois quem lhes controla é o trauma. Todas as perspectivas, projetos e sonhos são controlados e direcionados pelo trauma.

Como mudar isto?

Pelo menos duas atitudes são imprescindíveis para a mudança:

1- Assuma a necessidade de cura e desejo de mudança.

Tal atitude envolve enfrentamento interno, é verdade. Contudo, conduzem a transformação pessoal.

2- Procure ajuda de um dos sete "P´s" (Pastor, psicólogo, psicanalista, psiquiatra, pais, professor, Philos – amigo em grego... Rsrsrs), pois existem coisas que precisam de alguém apoiando na caminhada.

Ninguém é de ferro, todos nós somos seres humanos, suscetíveis a problemas, medos, incertezas, inseguranças, dores, temores, etc. Às vezes, não se consegue vencer sozinho as lutas internas, mas com o apoio e ajuda de alguém a caminhada fica mais fácil.

Como disse certa vez o sábio: "Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante. Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só, como se aquentará?
E, se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa." (Eclesiastes 4:9-12).



Leia também:


👉 O Valor da Unidade
👉 Há Unidade na Diferença
👉 Solidarizar-se é Preciso


TOP TRÊS DA SEMANA

SIGA O BLOG