21 março 2019

O CARÁTER DE CRISTO EM NÓS


Falar de caráter pode parecer algo desnecessário, principalmente quando o acesso a informação está mais fácil do que nunca. Ninguém precisa passar décadas dentro de uma sala de aula, estudar filosofia, sociologia, teologia, etc. para compreender os meandros do significado da palavra caráter.

Somos familiarizados com os significados desta palavra desde pequenos, quando começamos a ouvir pais e responsáveis dizendo que devemos ter um bom caráter. Crescemos sendo modelados a exercitar habilidades determinantes de alguém que seja, reconhecidamente, um bom caráter.

Em linhas gerais, basta a pessoa ser boa pagadora; não viver envolvida em confusões, brigas discórdias; procurar obedecer todas as regras e caminhar de forma justa e honesta para ser reconhecida como uma pessoa de boa índole.

Contudo, quando olhamos as coisas a partir da perspectiva divina, tendo a Bíblia como base para algo ainda maior, para algo superior, compreendemos que o caráter cristão está acima do caráter natural. Qualquer ser humano pode fazer coisas boas e ser reconhecido por elas, mas só quem recebeu o caráter de Cristo, através da experiência do novo nascimento, pode manifestar as características de fundamentais de um discípulos de Jesus.

Em síntese, o discípulo de Jesus cumpre todas os requisitos para se ter um bom caráter aos olhos humanos, mas supera as expectativas ao caminhar de acordo com a vontade de Deus, revelada através das Sagradas Escrituras. O caráter Cristão não é algo natural, mas espiritual.

A única forma de manifestá-lo é através do reconhecimento de Jesus Cristo como Senhor e Salvador de nossas vidas. Quando isto acontece passamos a ser direcionados pelo Espírito Santo e aprendemos como agir e falar de acordo com a vontade do Pai.

Isto implica em não andar mais segundo nossas próprias vontades carnais, mas buscando, incessantemente, ser o mais parecidos com Cristo possível. “Sede meus imitadores, como também eu de Cristo.” (1 Coríntios 11: 1).

É possível que alguns questionem dizendo não ser possível ser perfeitos como Jesus. Entretanto, quem disse que seríamos perfeitos? Buscar ser iguais a Cristo é uma atitude diária e que só será possível em sua plenitude quando Ele voltar para buscar a sua igreja.

Enquanto isto, seguimos como o apóstolo Paulo, “Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também alcançado por Cristo Jesus.” (Filipenses 3:12).



Leia também:




20 março 2019

O CARÁTER QUE O MUNDO ESPERA


Lembro-me de um episódio ocorrido na minha adolescência, estava reunido com os colegas do bairro, esperando o pessoal chegar para mais uma partida épica de futebol, daquelas que só tem horário para começar e ninguém sabe que horas irá terminar. Em determinado momento da longa espera pelos atrasados, um dos nossos amigos olha para mim e diz:

─ “Mas agora você não é crente? Por que está de bermuda?”.
A pergunta fora feita pouco depois de minha conversão, ainda não estava muito habituado com as coisas da igreja e, como alguns podem ter se espantado, pois hoje se usa bermuda até no púlpito, naquela época até os não crentes achavam estranho um crente utilizar bermuda. E olhe que não faz tanto tempo assim.

Recordo-me de ter dado um sorriso e respondido algo do tipo: usar bermuda não é pecado, mas o que tinha que mudar seriam minhas atitudes... Um colega disse que não tinha nada haver aquele questionamento; o outro falou de como as coisas tinham mudado e o colega da pergunta deu um sorriso como se tivesse entendido e continuamos a espera de outros colegas falando sobre ostras coisas.

Até hoje penso naquele momento, pois quando fui para casa fiquei pensando em como nos tornamos referência para aqueles que estão a nossa volta. É claro que continuo acreditando não ser pecado usar uma bermuda, mas tenho ainda mais forte em meu coração o quão importantes são nossas atitudes.

Isto porque, elas são a manifestação do nosso caráter. A maneira como agimos e reagimos é a forma como o mundo nos vê. É a manifestação física do no caráter cristão. Por este motivo necessitamos estar sempre vigilantes, para que venhamos resplandecer a luz de Cristo e outros sejam alcançados por Jesus.

Se tem uma coisa que aprendi naquele dia é o quanto o mundo olha para nós e espera que sejamos diferentes. Por mais que nos critiquem; que nos ridicularizem; que nos chamem de quadrado, etc. Eles continuam esperando que manifestemos o caráter de Cristo em nossas ações. O mundo não quer que sejamos iguais a eles, o verdadeiro clamor dos corações é que sejamos diferentes, pois é justamente isto que lhes dá esperança.

Vejo centenas de cristãos, novos e antigos, buscando uma maneira de se parecerem com as pessoas do mundo, justificando-se com o argumento de que é para alcançá-los e convertê-los. Mas, não percebem que o verdadeiro desejo das pessoas é olhar e ver aquele crente quadrado que lhes dá segurança, esperança e fé.



Leia também:





O CARÁTER DE CRISTO EM NÓS