06 janeiro 2019

PERDOAR, UMA ATITUDE A SER COLOCADA EM PRÁTICA


Todo relacionamento passa por algum tipo de dificuldade. Esta pode ser motivada por uma atitude inaceitável, uma palavra dita na hora errada, uma escolha mal feita, divergências de pensamentos ou pela simples expectativa não correspondida.

A verdade é que, na maioria das vezes, aquilo que gerou a discórdia no relacionamento é tão insignificante que quem cometeu pode nem perceber que fez algo de errado. Só quando o outro denuncia é que irá notar a possível falha.

O pior ocorre quando a parte ofendida decide guardar a ofensa. Nestes casos, o problema pode perdurar por dias, meses e anos, mas um dia virá à tona, produzindo novos problemas, discórdias e, consequentemente, uma vida emocional destruída.

O segredo para manter uma vida emocional saudável e relacionamentos harmoniosos está, justamente, na capacidade individual de resolver os problemas internos, antes que eles se transformem em “monstros” pessoais.

Talvez por isto o apóstolo Paulo tenha ensinado aos cristãos em Éfeso a não deixarem “o sol se pôr sobre a vossa ira.” (Efésios 4:26). Afinal, quando se alimenta sentimentos tóxicos é como dar comida para um urso faminto e fortalecê-lo.

Problemas de relacionamento devem ser resolvidos, não protelados. Isto não significa “vomitar” tudo que está sentindo, como se o outro fosse o único responsável pelo problema. Mas, compreender que existe a possibilidade, inclusive, de não ser a única pessoa na relação se sentindo mal com a situação.

Na maioria dos casos, a outra parte também está se sentindo ferida, pois em um conflito de interesses ambas as partes fazem e falam coisas que atacam e agridem o outro também. A verdade é que ninguém é perfeito. Todos ferem e são feridos; falam e escutam o que não deveriam; atacam e são atacados; sentem-se ofendidos, mas também ofendem.

Em contra partida, todos também são responsáveis por atitudes de reconciliação; por amar nos momentos de dificuldade; por perdoar e pedir perdão em caso de ofensa; por deixar o orgulho de lado e agir com humildade; por atos de misericórdia, etc.

É justamente nos conflitos que precisamos aprender a exercer o verdadeiro sentido de algumas palavras. Por exemplo, quando aprendemos o significado do verbo perdoar, compreendemos que os erros dos outros são apenas oportunidades para que possamos exercer a atitude de perdoar.

As circunstâncias da vida são apenas ferramentas divinas para trabalhar em nosso caráter e nos ensinar a viver a plenitude da sua vontade em nós. As pessoas que Ele coloca ao nosso redor estão ali para nos ajudar nesta tarefa de transformação, bem como também somos instrumentos divinos para ajudá-las a crescer.



Leia também:





Nenhum comentário:

Postar um comentário

O CARÁTER DE CRISTO EM NÓS