06 novembro 2018

A MAIORIA QUERIA OU NÃO QUERIA O NOVO PRESIDENTE?


Tenho visto nos últimos dias diversos comentários, seguidos de cálculos matemáticos, tentando justificar que, na verdade, o povo brasileiro, na sua maioria, não queria o Bolsonaro. 

Quando olhamos os números somados, realmente isto fica evidente. Entretanto, se invertermos, pensando apenas no segundo turno, a maioria também não votou no Haddad e não o queria como seu represente.

O que tivemos no último pleito foi um número recorde de rejeição em relação a TODOS os candidatos. Independente de serem da situação ou oposição, direita ou esquerda, fascista ou comunista, não importa como sua ideologia decide chamar neste momento.

Diante disto, é possível tirarmos dois fatos importantes:

1) A maior parte da população (considerando os votos válidos), decidiu se posicionar. Diferente de uma parcela considerável de eleitores que optou por não participar deste momento cívico. Ambos fizeram jus ao seu direito constitucional e dentro dos princípios de uma democracia. 

Contudo, os que se abstiveram também fizeram uma escolha: não decidir e deixar nas mãos dos outros o seu futuro. Eles simplesmente "lavram as suas mãos" e jogaram a responsabilidade para cima de alguém.

2) A maior parte da população está cansada desta velha política corrompida e caminha desejosa por algo novo. A maioria não quer mais do mesmo. Mas, deseja uma mudança na mentalidade e atitude dos políticos. Vide a renovação recorde nas câmaras e senado.

Sábios serão os políticos que souberem se adaptar a esta mentalidade da população, pois existe aproximadamente 42 milhões de eleitores esperando um candidato que lhes tire da inércia política. 

Todavia, aqueles que não votaram também precisam compreender que não fizeram nada demais, apenas entregaram, como diziam meus avós, de mãos beijadas o seu futuro como nação nas mãos de alguém.

Viver em uma democracia é compreender que você, como cidadão, compartilha das decisões dos outros membros da comunidade. Se isentar em uma votação não significa, embora pareça, que você tem uma escolha melhor ou pior, mas que você está, no mínimo, se isentando dela.

É claro que respeitamos os direitos de quem não votou e rejeitou todos os candidatos, de quem votou no Haddad e dos que elegeram Jair Bolsonaro. Porém, a maioria da população decidiu por um dos lados e desta decisão houve um que obteve a maioria dos votos. Justificar que a população brasileira não queria o presidente eleito não é verdade, pois se partirmos do mesmo principio, a maioria não queria também o sr. Haddad.

O mais certo nisto tudo é dizer que a maioria quer ver mudança na mentalidade dos políticos; a maioria está cansada de corrupção; a maioria anseia em ver um país diferente. O que a maior parte do povo brasileiro quer? Um Brasil onde nossos filhos tem onde estudar com dignidade; onde não falta emprego; em que a saúde é valorizada; em que as estradas estão pavimentadas...

A maioria, na verdade, quer um Brasil que lhes dê orgulho de ser brasileiro!


Leia também:


👉 Cidadania na Prática
👉 Cidadãos Conscientes
👉 Devaneio Sobre as Eleições

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PROFISSIONAIS HUMANOS