03 setembro 2018

CIDADANIA NA PRÁTICA


Já pensou como seria o nosso país se cada um fizesse a sua parte? Como seria se todos respeitassem os seus direitos e deveres? E se nossas ações conscientes estivessem embasadas no bem estar do todo?

Com certeza, as respostas para tais perguntas trariam a ideia de uma sociedade à beira da perfeição. Mas, alguns dirão com propriedade, que estamos bem longe de tal realidade.

Todavia, quando observamos o conceito de cidadania, é justamente nestas respostas que chegamos. Ser um cidadão é saber e praticar os seus direitos e deveres. É estar cônscio de que suas ações poderão ajudar ou prejudicar quem está a sua volta.

Quando pensamos em cidadania precisamos refletir sobre a qualidade das nossas ações e como elas impactarão a todos, desde a família até a comunidade onde estamos inseridos.

Um bom cidadão está ciente de todas as suas responsabilidades. Compreende que um pequeno deslize pode produzir uma cadeia de tantos outros, que poderão prejudicar todo mundo.

Agora, se tomarmos a consciência de que somos construtores de uma sociedade, que nossas escolhas fazem toda a diferença para a comunidade e que podemos escrever a história através de atitudes sábias, com toda a certeza estaremos estabelecendo uma nação melhor e mais justa para as futuras gerações.

O Brasil não precisa de manifestações, muito menos de aproveitadores que utilizam tais atos como palanques políticos para interesses próprios, mas de cidadãos conscientes dos seus direitos e que não fogem da responsabilidade de cumprir com os seus deveres.

A nossa real necessidade é da boa e velha cidadania prática. Não apenas um conceito em folhas amareladas, mas o brilho das atitudes.




Leia também:



Nenhum comentário:

Postar um comentário

INCONFORMADOS COM O QUASE