03 abril 2017

REVELAMOS NOSSA VERDADEIRA IDENTIDADE QUANDO SOMOS CONFRONTADOS

Não sabemos qual é a verdadeira imagem de um indivíduo até que ele seja contrariado. Nesses momentos, quando a vontade pessoal é negada, a pessoa revela quem realmente é.
Vide o caso de Caim, quando percebeu que sua oferta fora rejeitada, ficou enfurecido e revelou o seu lado assassino. Ao ser confrontado por Deus acabou expondo sua verdadeira face.
Poderíamos tomar muitos outros exemplos de homens e mulheres que quando tem suas atitudes questionadas acabam cedendo a tentação, assumindo sua verdadeira identidade.
Pessoas mal intencionadas têm a dificuldade de se submeter às autoridades. Além disso, tendem a difamar os seus superiores e estão sempre tentando influenciar os outros a deixar de submeter-se a liderança.
Para saber qual é o verdadeiro desejo do coração de uma pessoa é preciso apenas confrontar as suas atitudes e escolhas. Apenas diga não, nesse momento a verdadeira intenção do coração é revelada.

01 abril 2017

OBSERVANDO O REAL O PRINCÍPIO DA SUBMISSÃO

Continuamos esse mês com a série “Princípios” na revista altares. Já abordamos os Princípios de fidelidade e da autoridade. Nesse exemplar trataremos de elucidar a questão da submissão. 

A princípio, o tema gera muito desconforto e discussão por parte de alguns por não conhecerem o verdadeiro significado do termo. Isso tem gerado muita confusão em nosso meio e impedido muitas pessoas de exercerem suas tarefas com excelência.

Originalmente, o termo se refere a um ato dócil e respeitoso de se colocar debaixo da autoridade de alguém. É uma ação espontânea de reconhecimento, gerado a partir de um desejo ardente de estar sob a cobertura de uma liderança e ajudá-la a cumprir uma missão. Outro significado importante estava ligado à ordem militar e ao desejo extremo de cumprimento de uma missão, onde a pessoa estaria uma posição abaixo da outra, mas caminhando em um mesmo propósito.

Ao longo do tempo esse termo foi sendo distorcido e pessoas mal intencionadas começaram a utilizá-lo para alcançar benefício próprio. Um bom exemplo disso é a questão do casamento, onde os maridos mais autoritários tratavam as esposas como escravas justificando o fato de estar na Bíblia que elas deveriam ser submissas. Outro exemplo é a palavra utilizada em meio às artes marciais, onde adota a conotação de subjugar.

Contudo, se observarmos atentamente o conceito bíblico para submissão, ela está mais ligada ao significado original do termo, onde a pessoa decide se colocar debaixo da autoridade de alguém espontaneamente, do que propriamente ao ato de subjugar aqueles que estão sob sua autoridade. Submissão também aponta para o reconhecimento da dependência de outrem. Por exemplo: os filhos em relação aos seus pais devem ser dependentes (submissos).


Portanto, ser submisso está muito além de ser dominado, como visto anteriormente, é colocar-se espontaneamente debaixo da dependência de alguém, reconhecendo a sua autoridade e desejando auxiliá-lo no cumprimento de sua missão. 

NOSSO SOCORRO