28 julho 2016

O EXEMPLO DE SAUL

Segundo relatos Bíblicos, Saul estava reunido com seu exército, às vésperas de uma guerra contra os filisteus, enquanto aguardavam ao profeta Samuel, pois este oferecia sacrifícios ao Senhor e os abençoaria a fim de partirem para guerra contra o inimigo.

Passados sete dias, como Samuel demorara a chegar, o próprio rei Saul decidiu sacrificar os animais e partir para a guerra sem a bênção e autorização do profeta. 

Logo após o rei oferecer o sacrifício, o profeta chega, percebendo o ocorrido, reprova a Saul. Vejamos as palavras de Samuel a Saul após o seu pecado:


"Então disse Samuel: Que fizeste? Disse Saul: Porquanto via que o povo se espalhava de mim, e tu não vinhas nos dias aprazados, e os filisteus já se tinham ajuntado em Micmás,Eu disse: Agora descerão os filisteus sobre mim a Gilgal, e ainda à face do Senhor não orei; e constrangi-me, e ofereci holocausto. Então disse Samuel a Saul: Procedeste nesciamente, e não guardaste o mandamento que o Senhor teu Deus te ordenou; porque agora o Senhor teria confirmado o teu reino sobre Israel para sempre; Porém agora não subsistirá o teu reino; já tem buscado o Senhor para si um homem segundo o seu coração, e já lhe tem ordenado o Senhor, que seja capitão sobre o seu povo, porquanto não guardaste o que o Senhor te ordenou" (1 Samuel 13:11-14).



Palavras pesadas ditas a um governante que tinha tudo para ser um dos maiores homens da história de Israel. Isso porque, Saul começou muito bem o seu reinado. 

Segundo os relatos dos capítulos anteriores, aquele homem começou seu ministério respeitando a rota traçada pelo Senhor. Todas as palavras ditas pelo Eterno, através da boca do profeta Samuel, ele obedecera. 

Mas um dia com medo da reação do povo em relação à demora de Samuel, ele tomou uma rota diferente daquela desenhada pelo Senhor. 

Todo pecado de insubordinação constitui a quebra de um princípio, e aponta para a rebelião. Quando o rei decidiu fazer o que não era da sua alçada, saiu do trajeto estabelecido por Deus e atraiu maldição sobre seu ministério. 

Você pode passar a vida inteira caminhando dentro da rota, mas se em algum minuto se desviar, e não se arrepender, acabará atraindo maldição para sua vida. 

É interessante como Saul, na tentativa de ser aceito pelo povo, cumpriu uma tarefa que não era sua. Muitas pessoas em nosso meio vêm perdendo a unção ministerial por tomar as mesmas atitudes. Elas fazem aquilo que não foram chamadas para fazer. 

Aos olhos do Senhor, essa atitude é uma declaração de independência, um grito por "liberdade". É uma forma de desprezar a vontade de Deus e estabelecer uma nova rota.

Pense sobre isso!

(Trecho retirado do meu livro: "O Dom Ministerial: entre a unção do chamado e a legitimação")

04 julho 2016

SEGREDOS DA RELAÇÃO INTERPESSOAL

Os relacionamentos são à base da vida humana. Salvos os casos onde a pessoa se isole de tudo e de todos, vivendo em um lugar remoto do planeta, sem a possibilidade de chegada de alguém diferente, os relacionamentos permearão sua existência.

Viver em harmonia é um dos grandes desafios da humanidade. Conhecer os segredos para um bom relacionamento interpessoal é fundamental a todos aqueles que desejam ter uma vida harmônica.

Dessa forma, podemos dizer que um dos segredos para uma boa relação interpessoal é o diálogo. A maioria dos conflitos seriam facilmente solucionados se, ao invés de brigar, decidíssemos ouvir uns aos outros.

Contudo, para que o diálogo seja sadio, é preciso estabelecer o segundo segredo: deixar de lado o julgamento. Quantos problemas seriam resolvidos naturalmente se as partes envolvidas procurassem apenas compreender o outro lado.

É bem verdade que o segundo segredo nos leva a pensar no terceiro segredo para salubridade nas relações interpessoais: a compreensão. Infelizmente, vivemos em um mundo corrido, as coisas precisam ser resolvidas rapidamente “doa a quem doer”. Essa correria, muitas vezes, exclui a possibilidade de pararmos para refletir sobre as motivações que levaram a outra pessoa a tomar suas atitudes e assim deixamos de compreendê-las.

Aliás, refletir parece ter se tornado um artigo de luxo para a humanidade. Quantas atitudes têm sido tomadas sem qualquer reflexão? Parece que estamos gerando uma geração impulsiva e despreocupada com as consequências de suas atitudes.

Esse pode ser outro segredo para uma boa relação interpessoal: a reflexão. Refletir sobre mim, sobre o outro e sobre nós. Estar aberto a pensar nas mudanças a serem implantadas na minha vida, em primeiro lugar. Pensar: “Onde posso melhorar?”; “O que posso fazer de diferente?”; “Quais atitudes minhas necessitam de mudança?”; “Como expressar os meus sentimentos e desejos sem ferir o outro?”.


É possível que o maior de todos os segredos para estabelecer boas relações interpessoais comecem, justamente, na transformação de quem nós somos e não de quem o outro é. Se cada um decidir mudar a sua própria vida, passaremos menos tempo gastando energia tentando transformar os outros e, com certeza, teremos maior assertividade em nossas escolhas e relacionamentos.

Pense sobre Isto!

01 julho 2016

O PERIGO DAS RELAÇÕES “INTER-MÍDIAS”

Com certeza, o ser humano não foi criado para viver isolado, sem manter um relacionamento saudável com outras pessoas. Toda sua estrutura emocional indica uma necessidade de ter alguém ao seu lado, compartilhando situações positivas ou negativas. A verdade é que nos apoiamos uns nos outros, cada um do seu jeito, para superar os reveses da vida.

Contudo, estamos vivendo um momento impar na história dos relacionamentos, com advento dos novos meios de comunicação, as pessoas estão deixando de lado as relações interpessoais para viverem relações “inter-mídias” (Perdoe-me pelo neologismo).

As relações “inter-mídias” são baseadas, direcionadas e alimentadas pelas diversas formas de comunicação utilizadas pelo ser humano, chamadas de mídias sociais, como: Wattsapp, Facebook, Instagram, etc., todas ligadas diretamente aos novos aparatos tecnológicos inventados pelo homem.

A princípio, esses meios de comunicação não estão errados, pelo contrário, encurtaram as distâncias, uniram amigos e familiares, trouxeram inúmeros reencontros, juntaram casais, ajudaram a encontrar pessoas queridas... E fazem parte da nossa história recente.

Entretanto, o que questionamos aqui, são os exageros em nome da revolução nos meios de comunicação. Infelizmente, as pessoas estão trocando os relacionamentos interpessoais, por mensagens digitais frias e superficiais.

Esses dias, observando uma mesa de amigos em um restaurante, percebi que estavam todos ali (havia, aproximadamente, seis pessoas a mesa), mas desconectados emocionalmente e conectados via mensagens de celular. Havia sorrisos no rosto, mais não existia vida na comunicação.

É bem verdade que a atual geração possui uma dinâmica bem diferente das anteriores, todavia, essa falta de habilidade nos relacionamentos interpessoais e fuga para as relações “inter-mídias” aponta para a necessidade de restauração emocional.

Diante de tudo que temos visto nos últimos dias, é primordial um despertar da humanidade quanto à qualidade de vida dos relacionamentos, caso contrário, em pouco tempo nos transformaremos em “máquinas” de carne e osso, frias e solitárias.


“Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante.” (Eclesiastes 4: 9, 10).

Pense sobre Isto!

ATENTOS AOS DETALHES