30 janeiro 2016

REFLEXÃO


Já me perguntaram se quando escrevo o faço especificamente para alguém. A resposta é bem simples: SIM!

Todas as vezes que escrevo um texto estou fazendo especificamente para mim.

Se quando escrevo as palavras não tocarem primeiro a mim; se elas não transformarem primeiro o meu caráter; se eu não for capaz de compreender o que escrevi, elas nunca poderão ajudar outras pessoas. 

As verdades que escrevo devem ser verdades, primeiramente, na minha vida, caso contrário serão vazias e sem sentido. Mesmo que ajudem alguém.

18 janeiro 2016

O CISCO E A TRAVE


Você só pode definir uma pessoa quando a conhece intimamente. Qualquer especulação sem base em um relacionamento saudável está sujeita a 100% de erros.

Mesmo assim, ninguém tem o direito de ficar apontando o dedo para ninguém. Seguindo o ensinamento de Jesus, devemos tirar primeiro a trave que está no nosso olho, para depois ajudarmos o irmão a tirar o cisco que está no dele. 

Infelizmente, tem muita gente preocupada com cisco, e poucas pessoas preocupadas com a trave. Possivelmente, porque quando limpamos nosso olho corremos o risco de perceber que talvez o outro na estivesse errado e sim nós mesmos.


Pense sobre isso!

06 janeiro 2016

TENTE OUTRA VEZ


O que você faria se tentasse mais de 1000 vezes realizar um projeto e não conseguisse encontrar a solução para o seu problema? Você desistiria e tentaria outra coisa ou permaneceria fiel ao seu propósito? Diante desse quadro você se veria como um fracassado ou vencedor?

Provavelmente, a maioria desistiria na terceira ou quarta tentativa, depois daria uma desculpa, diria não ser possível, que é difícil demais ou não vale à pena tanto esforço e dinheiro. Já Thomas Edson, quando indagado sobre suas milhares de tentativas até inventar a lâmpada, respondeu:  "eu não errei mil vezes, eu aprendi mil formas de como não se fazer uma lâmpada[...]”, e ainda:  “um gênio se faz com um por cento de inspiração e noventa e nove de esforço”.

Perseverança, esse é o segredo que diferencia os gênios das pessoas comuns; os heróis dos mortais; os vencedores dos fracassados. Ninguém chega ao sucesso ao desistir diante do primeiro revés.

É claro que existem inúmeras qualidades necessárias que, somadas à perseverança, nos conduzirão ao sucesso. Todavia, habilidades sem atitudes são como ferramentas guardadas em uma caixa. Elas têm utilidade, tem serventia, mas são incapazes de produzir sozinhas.

As adversidades servem apenas para nos aprimorar. Como diz o apóstolo Paulo: “Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança” (Romanos 5:3).

Outro ponto importante aprendido com a perseverança é a experiência. Quanto mais lutamos para realizar determinado projeto, mais nos aprimoramos naquilo que estamos fazendo, descobrimos novos caminhos e surgem novas ideias.

Temos sempre duas alternativas diante de nós: Parar ou prosseguir. A primeira conduz ao fracasso, a segunda é um caminho direto para o sucesso. A primeira é caminho de morte, a segunda leva direto para a Plenitude da Vida. Qual a sua escolha?

“Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.” (Filipenses 3: 13,14).

Ninguém atinge o alvo se ficar para olhando para os problemas. O importante não é quantas vezes você “errou”, mas o quanto você perseverou até conseguir.


Pense sobre isso!

ATENTOS AOS DETALHES