23 novembro 2016

SUPERANDO AS ADVERSIDADES

A vida é, com toda a certeza, o dom mais precioso do mundo. Não é a toa que os amantes da vida tendem a desfrutá-la intensamente, como se cada segundo fosse o último e sua breve existência fosse terminar logo a seguir.

Ao longo de nossas jornadas somos desafiados a superar diversos obstáculos. Alguns parecem ser muito fáceis, outros com um grau de dificuldade maior, porém cada um deles com um poder de transformação surpreendente.

Todo ser humano, independente do local onde viva, está sujeito a passar por adversidades, elas fazem parte da vida e possuem um poder de ensino sobrenatural. Todas às vezes que somos desafiados a transpor os obstáculos impostos a nós, saímos da provação mais fortes e amadurecidos.

É bem verdade que muitos perdem as oportunidades que lhes são dadas gastando o tempo reclamando de tudo, não aproveitam para buscar crescimento, aprendizado e sabedoria. Sua mentalidade está tão distorcida pelo senso comum que já não consegue mais desfrutar de amizades sinceras, relacionamentos profundos, casamentos maravilhosos, etc.

O segredo não está em fugir das adversidades, mas enfrentá-las, com coragem. Aqueles que ficam parados, reclamando de tudo, da falta de sorte e invejando aquilo que não lhe pertence tendem a viver baseados no sucesso do outro.


Em contra partida, os que desafiam suas próprias adversidades, superam seus medos, permitem-se serem curados das feridas, podem aproveitar o doce gosto da conquista, fruto da superação dos obstáculos impostos pela vida. 

Pense sobre isto!

18 novembro 2016

SUCESSO OU FRACASSO, UMA QUESTÃO DE ESCOLHA

Viver preocupado com o que os outros irão dizer é caminhar limitado à pequenez de pensamento da maioria. Pessoas livres fazem suas próprias escolhas, não são motivadas por aquilo que dizem os outros, são protagonistas da sua história e não apenas coadjuvantes ou observadores.

Para alcançar seus objetivos é preciso foco, ousadia, determinação, excelência e trabalho. É preciso eliminar as crenças limitantes que lhe impulsionam para o fracasso e desenvolver crenças fortalecedoras que estimulam e aprimoram o seu potencial.

A tentação de desistir não é um privilégio de alguns, mas de todos. O que faz a diferença é a maneira como cada indivíduo reage diante desse desejo. Aqueles que decidiram abandonar os pensamentos limitantes investem em seu desenvolvimento e na capacitação pessoal. No outro estremo estão os que desistiram e se entregaram ao fracasso. O primeiro grupo possui metas bem definidas, sabe aonde quer chegar. Enquanto o segundo prefere deixar a vida levar, viver a mercê do acaso.

Os fracassados são motivados pelas circunstâncias, pessoas de sucesso não se rendem diante dos desafios, elas transformam situações devastadoras em oportunidades de crescimento. O primeiro grupo se rende diante dos problemas. O segundo grupo aproveita a oportunidade para aprendizado pessoal.

Os vitoriosos estão sempre procurando novas oportunidades. Os fracassados se contentam com o que têm. O primeiro tem o olhar no futuro e o outro está completamente preso ao passado.

A diferença não está nos revezes e desafios, mas na maneira como cada um lida com as situações. A vitória e a derrota, o sucesso ou o fracasso, dependem das perspectivas, reações e escolhas de cada indivíduo.

De que lado você está?


Pense sobre isto!

29 outubro 2016

AS ADVERSIDADES TRAZEM OPORTUNIDADES

Diante dos conflitos enfrentados no dia a dia somos tentados a pensar em desistir dos projetos, planos e sonhos. Existem momentos em que as adversidades da vida são tão extremas a ponto de pensarmos em parar tudo, fugir, sumir.

Contudo, as adversidades não devem ser encaradas como meros empecilhos, mas como oportunidades de crescimento e desenvolvimento. É bem verdade, quando estamos no “olho do furacão”, temos a dificuldade em perceber as coisas a nossa volta. Todavia, não podemos deixar que o abatimento e os sentimentos de derrota abalem a nossa fé e nos tirem o foco do projeto estabelecido por Deus para nossas vidas.

As adversidades são grandes oportunidades. Elas tanto podem trazer prejuízos, como benefícios, tudo dependerá de como o indivíduo reage diante dos problemas. Ficar cabisbaixo, chateado, desmotivado trará uma consequência completamente diferente daqueles que levantaram a cabeça, sacudiram a poeira e procuraram aprender com os problemas.

Existe outro fator primordial em relação às adversidades, elas possuem o poder de extrair o máximo do coração humano, de revelar o que realmente está escondido, quais são os fatores controladores do indivíduo e quais as crenças mais profundas do seu interior.

Toda a fidelidade é provada e aprovada nas adversidades. “E te lembrarás de todo o caminho, pelo qual o Senhor teu Deus te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, e te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias os seus mandamentos, ou não.” (Deuteronômio 8. 2).


Pense sobre Isto!

28 outubro 2016

A CENTRALIDADE DE CRISTO

A centralidade do evangelho não está na bênçãos que iremos alcançar; não está nos ministros; não está nas testemunhas, muito menos em vontades humanas. Tudo isso pode até nos motivar, mas não é o centro.

A centralidade do evangelho está no Cristo ressurreto; no filho de Deus, que se entregou voluntariamente para morrer em nosso lugar. Sem Ele, nada do que foi feito seria possível.

Tirar os olhos da cruz de Cristo é perder a direção e seguir por caminhos tortuosos que só nos levarão a perdição.

Cristo foi, é e sempre será o centro do evangelho, autor e consumador da nossa salvação; o Alpha e o Ômega; o princípio e o fim de todas as coisas.


Pense sobre isso!

22 outubro 2016

PAIS, MODELOS PARA OS FILHOS

Nossos filhos não precisam que lhes digamos para serem cristãos, eles precisam que lhes ensinemos, com nossa vida, a ser um.

Eles não esperam que apontemos o caminho da adoração, mas anseiam que façamos com eles o trajeto até o trono da graça.

Eles não querem ser obrigados a fazer a leitura bíblica, mas desejam, ardentemente, que sentemos ao seu lado e viajemos pelas histórias bíblicas juntos.

Eles não querem ser obrigados a viver enclausurados em ordenanças, mas serem consumidos pela mesma paixão que nos consome.


O maior legado que podemos deixar para nossos filhos não é o da imposição de uma religiosidade fria, mas o calor da paixão e do anseio de nos relacionarmos com o Senhor Jesus. 

Pense sobre Isto!

21 outubro 2016

O PONTO DE CONFLITO

As pessoas não têm dificuldades em ouvir falar de Jesus;

Elas não ignoram seu poder para fazer milagres;

Elas creem que Ele é poderoso para curar as enfermidades; 

São capazes de ouvi-lo horas seguidas e até as esquecerem de comer;

Fazem festa quando Ele entra em algum lugar; 

Mas, diante da cruz zombam de sua figura;

Negam a sua amizade;

Traem a sua confiança;

Desviam do propósito; 

Perdem a alegria da salvação. 

A cruz sempre será o ponto de conflito entre Jesus e os homens, pois é ali que as vontades humanas, o pecado, são revelados. Mas a luz dissipa as trevas. Na cruz existe um encontro marcado com a humanidade.

Pense sobre isto!



10 outubro 2016

A VERDADE RELATIVA

Dizem alguns que a verdade é relativa, dependendo da pessoa; ocasião; lugar; cultura; religião, etc. Porém, isso não é a Verdade, mas sim pontos de vista.


A Verdade não é relativa, mas imutável. Ela não depende do local onde a pessoa vive, mas transforma o modo de viver das pessoas. Ela não pode ser modificada pela cultura, mas influenciá-la a uma nova postura. 

A Verdade é, sempre foi e será imutável.

Jesus é a Verdade e a vida!

14 setembro 2016

O SEGREDO DOS VENCEDORES

Um dos temas mais usados no último mês, devido aos jogos olímpicos do Rio de Janeiro, é o da superação. O assunto está presente nos telejornais, nas entrevistas e matérias relacionadas aos jogos. Isso sem contar as rodinhas de amigos, mesas de bar, pontos de ônibus, etc.

A superação não é uma característica apenas dos esportistas de alto desempenho. Diariamente, encontramos indivíduos superando suas limitações em todos os lugares.  Mas, o que leva uma pessoa a Superação? O que faz alguém querer transpor seus próprios limites, ir além? 

As respostas para estas perguntas é o que tem feito a diferença na vida daqueles que não se entregam diante das adversidades, dos fracassos e reveses da vida. Afinal, superar é fazer do fracasso de outrora combustível para grandiosas conquistas.

A priori, a superação possui como característica a capacidade de libertação. O indivíduo precisa libertar-se dos hábitos nocivos e assumir uma nova postura. Necessita libertar-se da comunicação de fracasso e agir como vencedor.

Outra característica importante é agir proativamente em direção a cura das fraturas emocionais causadas pela possível queda. É deixar de lado os sentimentos danosos, permitindo-se ser curado e assumindo novos pensamentos a seu respeito. Ninguém alcança a superação pensando negativamente sobre si.

Todavia, isso não é tudo, a superação está encharcada de força de vontade, suor, treinamento e inúmeras tentativas, até chegar ao topo. A vitória (seja no trabalho, na família, no ministério, nos esportes, etc.) não é fruto do acaso, mas a recompensa pela fidelidade as metas pessoais estabelecidas.  

A superação é a marca dos vencedores; é o carimbo que atesta suas conquistas; é a força motora que os faz levantar após uma queda e renova o ânimo para prosseguir.  Certa vez C. S. Lewis declarou: “Dificuldades preparam pessoas comuns para destinos extraordinários”.


Pense sobre Isto!

05 agosto 2016

RUÍDOS NA COMUNICAÇÃO

Dentre os vários significados para comunicação os que mais me chamam a atenção estão, justamente, no nível relacional. São eles: ligação, convivência, relações e comunhão. Dessa forma, comunicar passa a ideia de um relacionamento, onde duas ou mais pessoas decidem mutuamente manter um nível de relação onde o respeito é à base de toda a convivência.

Poderíamos focar apenas na questão da transmissão de ideias ou pensamentos, mas seria muito superficial, visto que o ser humano vive uma constante busca por aceitação, acolhimento, respeito e cuidado.

Quando nos envolvemos emocionalmente com alguém, seja na família, com os amigos, com a pessoa amada ou qualquer outro nível de relacionamento, o objetivo é estreitar a comunhão.

O problema é que, na maioria das vezes, não nos preocupamos com os ruídos de comunicação. Aqueles pequenos contratempos que levam casais apaixonados do amor ao ódio em segundos; que abalam a confiabilidade entre pais e filhos; destroem os vínculos de amizade e causam transtornos, muitas vezes irreversíveis, nos relacionamentos.

Infelizmente, não há espaço para destrincharmos sobre todos os ruídos de comunicação, mas podemos abordar alguns dos mais comuns. Os ruídos de comunicação podem ocorrer em diversos níveis, um bom exemplo disso é quando o emissor quer dizer uma coisa (mensagem) e o receptor entende outra completamente diferente.

Outro ponto importante, capaz de destruir as vias da comunicação, ocorre quando os dois lados querem defender seu ponto de vista e definir seu pensamento como o único correto. Existem casos onde ambos estão falando do mesmo assunto, concordam em seus pensamentos, mas permanecem brigando, pois no anseio de defender seu ponto de vista não percebem que estão falando a mesma coisa.

Quando passamos o que o outro está falando em nosso filtro emocional também pode haver distorção da mensagem do emissor, visto que a recepção dependerá do estado emocional em que o outro se encontra. É possível que a mensagem seja de ânimo, mas os sentimentos negativos fazem a pessoa compreendê-la como uma grande afronta.

“De onde vêm as guerras e contendas que há entre vocês? Não vêm das paixões que guerreiam dentro de vocês?” (Tiago 4: 1).


 É preciso estar atento aos ruídos na comunicação, para que tenhamos sucesso em nossos relacionamentos e os conflitos sejam, ao menos, minimizados.

Pense sobre Isso!

03 agosto 2016

SUPERE-SE

"Na Grécia Antiga, no século de Péricles, diziam que havia três tipos de personalidade que poderiam ser atacados, respeitados e realizados. O primeiro era aquele que nascia com grandezas humanas; o segundo aquele que herdava grandezas humanas e o terceiro, geralmente o mais famoso, o que conquistava grandezas humanas."

Quem temos sido?

Viver baseado em circunstâncias é limitar-se; viver dependendo dos outros é prostrar-se, mas viver compreendendo ser capaz de superar os próprios limites é fantástico! Somos fruto das escolhas do passado e mudar essa situação só depende de nós!

As grandes conquistas só são Supvalorizadas quando nascem como fruto de um grande trabalho, dedicação e superação. 

Pense sobre isso!

28 julho 2016

O EXEMPLO DE SAUL

Segundo relatos Bíblicos, Saul estava reunido com seu exército, às vésperas de uma guerra contra os filisteus, enquanto aguardavam ao profeta Samuel, pois este oferecia sacrifícios ao Senhor e os abençoaria a fim de partirem para guerra contra o inimigo.

Passados sete dias, como Samuel demorara a chegar, o próprio rei Saul decidiu sacrificar os animais e partir para a guerra sem a bênção e autorização do profeta. 

Logo após o rei oferecer o sacrifício, o profeta chega, percebendo o ocorrido, reprova a Saul. Vejamos as palavras de Samuel a Saul após o seu pecado:


"Então disse Samuel: Que fizeste? Disse Saul: Porquanto via que o povo se espalhava de mim, e tu não vinhas nos dias aprazados, e os filisteus já se tinham ajuntado em Micmás,Eu disse: Agora descerão os filisteus sobre mim a Gilgal, e ainda à face do Senhor não orei; e constrangi-me, e ofereci holocausto. Então disse Samuel a Saul: Procedeste nesciamente, e não guardaste o mandamento que o Senhor teu Deus te ordenou; porque agora o Senhor teria confirmado o teu reino sobre Israel para sempre; Porém agora não subsistirá o teu reino; já tem buscado o Senhor para si um homem segundo o seu coração, e já lhe tem ordenado o Senhor, que seja capitão sobre o seu povo, porquanto não guardaste o que o Senhor te ordenou" (1 Samuel 13:11-14).



Palavras pesadas ditas a um governante que tinha tudo para ser um dos maiores homens da história de Israel. Isso porque, Saul começou muito bem o seu reinado. 

Segundo os relatos dos capítulos anteriores, aquele homem começou seu ministério respeitando a rota traçada pelo Senhor. Todas as palavras ditas pelo Eterno, através da boca do profeta Samuel, ele obedecera. 

Mas um dia com medo da reação do povo em relação à demora de Samuel, ele tomou uma rota diferente daquela desenhada pelo Senhor. 

Todo pecado de insubordinação constitui a quebra de um princípio, e aponta para a rebelião. Quando o rei decidiu fazer o que não era da sua alçada, saiu do trajeto estabelecido por Deus e atraiu maldição sobre seu ministério. 

Você pode passar a vida inteira caminhando dentro da rota, mas se em algum minuto se desviar, e não se arrepender, acabará atraindo maldição para sua vida. 

É interessante como Saul, na tentativa de ser aceito pelo povo, cumpriu uma tarefa que não era sua. Muitas pessoas em nosso meio vêm perdendo a unção ministerial por tomar as mesmas atitudes. Elas fazem aquilo que não foram chamadas para fazer. 

Aos olhos do Senhor, essa atitude é uma declaração de independência, um grito por "liberdade". É uma forma de desprezar a vontade de Deus e estabelecer uma nova rota.

Pense sobre isso!

(Trecho retirado do meu livro: "O Dom Ministerial: entre a unção do chamado e a legitimação")

04 julho 2016

SEGREDOS DA RELAÇÃO INTERPESSOAL

Os relacionamentos são à base da vida humana. Salvos os casos onde a pessoa se isole de tudo e de todos, vivendo em um lugar remoto do planeta, sem a possibilidade de chegada de alguém diferente, os relacionamentos permearão sua existência.

Viver em harmonia é um dos grandes desafios da humanidade. Conhecer os segredos para um bom relacionamento interpessoal é fundamental a todos aqueles que desejam ter uma vida harmônica.

Dessa forma, podemos dizer que um dos segredos para uma boa relação interpessoal é o diálogo. A maioria dos conflitos seriam facilmente solucionados se, ao invés de brigar, decidíssemos ouvir uns aos outros.

Contudo, para que o diálogo seja sadio, é preciso estabelecer o segundo segredo: deixar de lado o julgamento. Quantos problemas seriam resolvidos naturalmente se as partes envolvidas procurassem apenas compreender o outro lado.

É bem verdade que o segundo segredo nos leva a pensar no terceiro segredo para salubridade nas relações interpessoais: a compreensão. Infelizmente, vivemos em um mundo corrido, as coisas precisam ser resolvidas rapidamente “doa a quem doer”. Essa correria, muitas vezes, exclui a possibilidade de pararmos para refletir sobre as motivações que levaram a outra pessoa a tomar suas atitudes e assim deixamos de compreendê-las.

Aliás, refletir parece ter se tornado um artigo de luxo para a humanidade. Quantas atitudes têm sido tomadas sem qualquer reflexão? Parece que estamos gerando uma geração impulsiva e despreocupada com as consequências de suas atitudes.

Esse pode ser outro segredo para uma boa relação interpessoal: a reflexão. Refletir sobre mim, sobre o outro e sobre nós. Estar aberto a pensar nas mudanças a serem implantadas na minha vida, em primeiro lugar. Pensar: “Onde posso melhorar?”; “O que posso fazer de diferente?”; “Quais atitudes minhas necessitam de mudança?”; “Como expressar os meus sentimentos e desejos sem ferir o outro?”.


É possível que o maior de todos os segredos para estabelecer boas relações interpessoais comecem, justamente, na transformação de quem nós somos e não de quem o outro é. Se cada um decidir mudar a sua própria vida, passaremos menos tempo gastando energia tentando transformar os outros e, com certeza, teremos maior assertividade em nossas escolhas e relacionamentos.

Pense sobre Isto!

01 julho 2016

O PERIGO DAS RELAÇÕES “INTER-MÍDIAS”

Com certeza, o ser humano não foi criado para viver isolado, sem manter um relacionamento saudável com outras pessoas. Toda sua estrutura emocional indica uma necessidade de ter alguém ao seu lado, compartilhando situações positivas ou negativas. A verdade é que nos apoiamos uns nos outros, cada um do seu jeito, para superar os reveses da vida.

Contudo, estamos vivendo um momento impar na história dos relacionamentos, com advento dos novos meios de comunicação, as pessoas estão deixando de lado as relações interpessoais para viverem relações “inter-mídias” (Perdoe-me pelo neologismo).

As relações “inter-mídias” são baseadas, direcionadas e alimentadas pelas diversas formas de comunicação utilizadas pelo ser humano, chamadas de mídias sociais, como: Wattsapp, Facebook, Instagram, etc., todas ligadas diretamente aos novos aparatos tecnológicos inventados pelo homem.

A princípio, esses meios de comunicação não estão errados, pelo contrário, encurtaram as distâncias, uniram amigos e familiares, trouxeram inúmeros reencontros, juntaram casais, ajudaram a encontrar pessoas queridas... E fazem parte da nossa história recente.

Entretanto, o que questionamos aqui, são os exageros em nome da revolução nos meios de comunicação. Infelizmente, as pessoas estão trocando os relacionamentos interpessoais, por mensagens digitais frias e superficiais.

Esses dias, observando uma mesa de amigos em um restaurante, percebi que estavam todos ali (havia, aproximadamente, seis pessoas a mesa), mas desconectados emocionalmente e conectados via mensagens de celular. Havia sorrisos no rosto, mais não existia vida na comunicação.

É bem verdade que a atual geração possui uma dinâmica bem diferente das anteriores, todavia, essa falta de habilidade nos relacionamentos interpessoais e fuga para as relações “inter-mídias” aponta para a necessidade de restauração emocional.

Diante de tudo que temos visto nos últimos dias, é primordial um despertar da humanidade quanto à qualidade de vida dos relacionamentos, caso contrário, em pouco tempo nos transformaremos em “máquinas” de carne e osso, frias e solitárias.


“Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante.” (Eclesiastes 4: 9, 10).

Pense sobre Isto!

27 junho 2016

SIMPLESMENTE VOCÊ

Eu já vivi muito preocupado com o que os outros falam ou deixam de falar sobre a mim. Isso me fez abortar muitos projetos, deixar de ir a inúmeros lugares, não aproveitar muitas oportunidades, enfim, viver baseado no que os outros pensam e não naquilo que realmente sou.

Aprendi que não devo caminhar olhando para os outros. O que pensam a meu respeito só é importante em relação a minha imagem de credibilidade, contudo, não pode ser a base da minha motivação.

A maturidade nos faz perceber como invertemos alguns valores essenciais. Às vezes passamos a maior parte da vida montando uma imagem que não condiz com a realidade e quando olhamos para trás percebemos que as coisas não são, exatamente, daquela maneira.

Viver buscando satisfazer os interesses dos outros – seja na carreira, na família, no ministério, no relacionamento, na profissão, etc. – e deixar de lado aquilo que lhe faz bem é montar uma história cujos pilares estão alicerçados no pensamentos dos outros é boicotar a própria história.

Isso não significa viver alienado, sem manter um diálogo sadio com as pessoas a sua volta, mas saber compreender que a opinião externa não pode destruir as habilidades e imagem que você possui de si mesmo.


Pense sobre Isto!

20 junho 2016

ESCOLHAS PESSOAIS

Nossas atitudes denunciam o nosso eu. Somos o que escolhemos ser, portanto, não podemos nos esconder por detrás de desculpas ou dizendo: 'O problema é que a carne é fraca!'. Culpar os outros ou circunstâncias é fugir das responsabilidades. As tentações podem ser muitas, contudo, “Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio.” (2 Timóteo 1. 7).

Precisamos ser modelo em todos os âmbitos da nossa vida, seja financeira, familiar, como indivíduo dentro de uma sociedade que observa e anseia por referenciais. Credibilidade é conquistada por atitudes.

Cada escolha é determinante para o sucesso ou fracasso de nossas histórias. Tudo em nossa vida denuncia nossas escolhas. Como dizem: “a semeadura é uma escolha, mas a colheita é certa.”

Qual tem sido sua escolha?


Pense Sobre Isto!

17 junho 2016

TEMPOS E ESTAÇÕES

Com certeza, Deus é quem estabelece tempos e estações. Ele programa nosso crescimento e prepara todas as ferramentas para que sejamos aprimorados com uma única finalidade: o louvor da sua glória.

Contudo, desfrutar da benevolência divina é uma escolha pessoal. Ao ser humano Ele deu o livre arbítrio, para poder escolher entre querer ou não andar debaixo da sua vontade.

É bem verdade que o Pai das Luzes deseja a transformação dos seus filhos, mas respeita a intimidade e as escolhas deles, procurando atraí-los com seu eterno amor, não com dureza ou castigo, como pensam alguns.

Ninguém está mais preocupado com o desenvolvimento pessoal dos homens do que Ele. Tudo que encontramos nas Escrituras é um Deus disposto a tudo para restaurar o relacionamento com os seus filhos.


Todavia, quando nos colocamos em suas mãos e permitimos que Ele opere tudo segundo o seu querer, todas as coisas acontecem no tempo e hora certos. Como diz o apóstolo: “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Romanos 8: 28).

Pense Sobre Isto!

15 junho 2016

A ORIGEM DOS CONFLITOS FAMILIARES

Parece que estamos vivendo em um tempo onde o amor e companheirismo familiar perdeu todo o valor e sentindo. Estão todos preocupados em defender seus próprios interesses, em satisfazer suas próprias vontades.

Nessa busca desenfreada por autorrealização é possível perceber o quanto o egoísmo tem tomado conta dos indivíduos. Até mesmo na igreja, um lugar outrora conhecido como acolhedor, onde os membros encontravam o amor e o abraço de uma nova família, já não há mais tanta preocupação com o próximo.

Infelizmente, a marca dessa geração tem sido a frieza. Os relacionamentos perderam o sentido e a família ficou em último plano. Homens e mulheres vivem em pé de guerra; filhos que não se entendem com seus pais; avós que perderam a ternura...

O ser humano está cada vez mais distante dos conceitos fundamentais de outrora. É como se tudo perdesse o sentido e defender seus próprios interesses se tornasse prioridade.

Em qualquer lugar do mundo, um dos problemas mais compartilhados entre os pastores, psicólogos e demais profissionais com a responsabilidade de cuidar do bem estar da alma humana, têm sido os conflitos familiares. Cremos que a origem desse mal seja o egocentrismo, que é a busca insaciável e desenfreada por satisfazer os desejos pessoais, em detrimento dos direitos dos outros.

Isso nos faz perceber o quanto as palavras do apóstolo Tiago são cada vez mais verdadeiras:  “Donde vêm as lutas e as contendas entre vós? Não vêm elas de vossas paixões, que combatem em vossos membros?” (Tiago 4:1). Uma geração egoísta só poderia produzir sujeitos individualistas e amantes de si mesmo.

É preciso voltar atrás, deixar de lado o desejo de fazer somente a própria vontade e compreender que o outro também possui necessidades, desejos, interesses pessoais.

Enquanto quisermos que as coisas sejam feitas da nossa maneira; enquanto o pensamento diferente for uma afronta ao nosso orgulho; enquanto quisermos medir forças com as pessoas a quem deveríamos dispensar o melhor de nós, os conflitos familiares continuarão sendo o motivo da destruição dos lares.


A solução passa pela necessidade de transformação do caráter humano em um caráter moldado e direcionado pelo Espírito de Deus. Torna-se indispensável nos revestirmos, “como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade” (Colossenses 3: 12).

Pense sobre Isto!

21 maio 2016

CONVITE DA GRAÇA

O melhor da graça é a certeza de que o pai nos aceita do jeitinho que somos. Porém, Ele não se conforma em nos deixar da mesma maneira. Por isso, o Espírito Santo é o agente de transformação, operando em nós a obra perfeita do pai.

Usar a bondade e misericórdia divina para justificar os seus erros é caminhar na contra mão da graça. Pois Ele nunca desejou que o homem vivesse preso no pecado.
A mensagem da cruz aponta para o poder de aceitação, restauração, santificação, justificação e transformação operadas pelo Espírito Santo, através da graça.

De forma alguma, O Espírito Santo permite que o convertido passe a vida inteira da mesma maneira, a não ser que este rejeite todos os convites a mudança. Constantemente, Ele está convidando o homem ao arrependimento e mudança de vida.

Olhar para a graça com único desejo de continuar justificando seus erros é o mesmo que ser convidado a ir a um restaurante com tudo pago, sentar-se do lado de fora e ficar apenas olhando as pessoas comerem lá dentro. Pode até estar tudo pago, mas olhar pela janela não sacia a fome.

Assim acontece com a graça. A pessoa pode vir a igreja todos os dias, orar, participar da ceia, trabalhar, evangelizar, mas não desfrutar das doçuras que ela possui. Ela só satisfaz quando decidimos sentar a mesa com o Rei e desfrutar do banquete que fora preparado.

Isso implica em permitir que o seu Espírito trabalhe profundamente na transformação de nossas vidas. Aponta para entrega total e incondicional a Ele e a busca diária pela santidade.

A graça nos convida a uma constante mudança de vida, onde seremos transformados de glória em glória a imagem do Pai Eterno.

Pense Sobre Isto!

19 maio 2016

JEITINHO BRASILEIRO: UM NOME BONITO PARA CORRUPÇÃO

O país vive momentos de apreensão em sua conturbada política. Em meio a discussões sobre a impugnação da presidente, onde muitos são favoráveis outros são contra; gritos de: “Isso é golpe!” e a resposta: “Impeachment já!”, está a população, sofrendo por causa da crise econômica.

Em cada esquina do Brasil os comentários são sempre os mesmos: “Políticos são todos iguais, tudo ladrão, uma cambada de corruptos!!”. Estas, e muitas outras, frases tem nos levado a refletir sobre a questão da corrupção em nosso país.

Será que a premissa está certa? Realmente são todos ladrões, ou apenas uma parcela dos políticos? Afirmar, categoricamente, que todos são corruptos é, no mínimo, uma injustiça com as pessoas sérias espalhadas por todo o território nacional que nunca se venderam e continuam fazendo um excelente trabalho e honrando os votos recebidos.

Além disso, se todos são corruptos, a população é sempre cúmplice. Afinal, eles estão lá por escolha popular, pelo voto direto, pelo livre direito constitucional de exercermos a democracia. Nenhum político é eleito sem o consentimento dos eleitores.

E, talvez o pior, só há corruptos se houver o corruptores. Os mesmos que reclamam da corrupção são aqueles que vendem o seu voto durante as campanhas eleitorais; que se corrompem furando a fila do banco; dão um jeitinho na consulta médica; estacionam em local proibido só porque é rapidinho e se vendem por meia dúzia de tijolos.

Enquanto a corrupção estiver escondida no estilo de vida do brasileiro, disfarçada de jeitinho brasileiro, ficará difícil combater o problema. Não são apenas os políticos que precisam mudar, a nação necessita, urgentemente, de uma transformação.

Gostemos ou não, mas o laureado jeitinho brasileiro não passa de corrupção disfarçada. Nada mais é do que uma maneira de colocar as necessidades pessoais em primeiro lugar e as da sociedade em segundo plano.
Diante de todo esse cenário, torna-se indispensável a mudança de mente, o assumir de uma nova postura e a consciência de que não adianta atacar a corrupção do outro enquanto o jeitinho brasileiro for uma prática comum em toda sociedade brasileira. Infelizmente, um alimenta o outro.

“Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.”  (Mateus 7. 5).


Pense sobre isto!

17 maio 2016

REVOLUÇÃO CONTRA CORRUPÇÃO

Pode até parecer clichê falar de corrupção, mas, diante dos fatos e da repercussão do tema, não poderíamos deixar de abordá-lo, visto que nosso intuito é o de manter nossos leitores atualizados.

Quando lemos as últimas notícias, nos variados meios de comunicação, ficamos perplexos com a abrangência das áreas afetadas pelo problema, embora a maioria associe o tema apenas à área política.

Parece que em todos os setores, de alguma maneira, as pessoas foram contaminadas pela corrupção. Tudo indica que já se tornou um problema crônico.

Com certeza, existe sim uma solução. Contudo, alcançá-la não será tarefa fácil. É preciso começar mexendo no âmago da questão, quebrar paradigmas, transformar a cultura, enfim, dar início a uma revolução.

Tal atitude precisa ser maior do que os movimentos atuais. Torna-se indispensável à revolução individual, onde todos reconhecem a necessidade de transformação.

Faz-se necessário uma mudança de mente; um real  abandono das práticas antigas, do jeitinho brasileiro, tão arraigado a nossa cultura. Só venceremos a corrupção quando decidirmos caminhar sem as velhas manias do passado.

Para mudar o quadro de corrupção que governa nosso país é fundamental desconstruirmos a cultura corrupta implantada em nossas matrizes de pensamento e construirmos um novo eu, regido pelos princípios da honestidade, sem as manias de nossos antepassados.


Fora o jeitinho brasileiro! Que possamos trabalhar por um novo estilo de vida em nossa nação.

Pense sobre Isto!

09 maio 2016

ESCONDENDO A FRUSTRAÇÃO PESSOAL

Existem pessoas que se frustram tanto com seus próprios fracassados que, com vergonha de si mesmos, acabam culpando os outros a fim de se justificarem.

Normalmente, são pessoas feridas, mal resolvidas e com profundas marcas do passado em seu coração, mas com a incapacidade de reconhecer a necessidade de cura da alma.

Possuímos a capacidade de transformar nossas próprias vidas. Entretanto, isso só ocorrerá se tivermos a coragem de olhar para dentro, de refletir sobre os reais motivos do fracasso e procurarmos viver de forma diferente.

Não podemos permitir que a frustração impeça que alcancemos os nossos objetivos. Ninguém precisa carregar o fardo da culpa a vida inteira.

O segredo está em parar de se culpar, parar de ficar olhando para o passado, liberar e pedir perdão se houver necessidade e prosseguir.

Pense sobre Isto!

07 maio 2016

EXCELÊNCIA, UMA QUESTÃO DE CARÁTER

Trabalhando na área de consultoria e treinamento o que mais ouço, todos os dias, é a lamúria de líderes quanto a falta de empenho e esmero de seus funcionários. Em todos os setores, independente do grau de estudo ou classe social, sempre é possível encontrar um “espertinho” tentando fugir da sua responsabilidade e fazendo o seu trabalho de qualquer maneira.

Pior, esse tipo de gente mesquinha ainda tem a cara de pau de questionar, injuriar e, em alguns casos, agredir aqueles que estão fazendo o melhor no seu trabalho. O mundo está repleto de pessoas com esse pensamento medíocre.

Entretanto, fazer as coisas com excelência, dar o seu melhor, é uma das inúmeras características de funcionários excepcionais. Aliás, quando falamos em excelência nos referimos a indivíduos diferenciados, daqueles disputados no mercado de trabalho com unhas e dentes pelas empresas.

Infelizmente, em todas as áreas podemos encontrar indivíduos medíocres, que fazem as coisas de qualquer maneira ou deixam tudo inacabado.

Esse não é um problema apenas das empresas, esse câncer já se espalhou pela sociedade. Existem milhares de profissionais autônomos oferecendo um serviço de péssima qualidade; cônjuges incapazes dar o seu melhor para os parceiros; pais e filhos em um relacionamento secundário... Pessoas medíocres propagando sua mediocridade.

O segredo do sucesso não está no grau de instrução, mas na capacidade de ir além, de dar o seu melhor, de se esmerar nas tarefas, de trabalhar para realizar um serviço de excelência.

Qualquer um pode realizar um trabalho, mas só os excepcionais têm a capacidade de surpreender. Em contra partida, a recompensa vai muito além do valor do seu salário, junto com ele vem o respeito, a admiração e o reconhecimento de todos.

Fazer as coisas com excelência não é apenas uma questão de trabalho, mas a marca de um caráter ilibado. Esse tipo de coisa não tem preço.

E você, tem feito seu trabalho com excelência ou é daqueles que fazem as coisas de qualquer maneira?


Pense sobre isso!

NOSSO SOCORRO