24 dezembro 2015

ASSUMA SUAS RESPONSABILIDADES

Pior do que fracassar é ficar jogando para cima dos outros a culpa por nossas próprias incompetências. Só crescemos quando temos a coragem de assumir os erros, voltar atrás e trilhar um caminho melhor.

Quando olhamos apenas para o erro dos outros, para os problemas dos outros, perdemos o foco de nossos próprios projetos e a oportunidade de corrigir as falhas que nos impedem de alcançar o sucesso.

Infelizmente, o tempo perdido com reclamação nunca voltará. Como dizem por aí, podemos até correr atrás do tempo perdido, mas existem situações onde não dá mais para recuperá-lo.

A melhor coisa a fazer é assumir nossas próprias fragilidades, procurar compreender onde temos falhado e buscar alternativas para melhorar nosso desempenho.

Culpar os outros é sempre “melhor” e mais “fácil”, todavia, tal atitude não resolve os verdadeiros problemas. A melhor alternativa sempre será assumir os erros e buscar maneiras de melhorar.

Como disse Jesus: “tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.” (Mateus 7:5).


Pense sobre isso!

22 dezembro 2015

DE QUAL LADO ESTAMOS?

Existem aqueles que se alegram com a desgraça (queda) alheia; existem aqueles que sentam e choram junto; mas, existem aqueles que não se conformam e estendem a mão para ajudar a levantar.

Aliás, muitos ficam de camarote torcendo pela queda do outro, como se fosse uma grande vitória, quem sabe uma vingança pessoal, ver o outro se “dando mal”. Infelizmente, vivemos em um tempo em que o egoísmo tem tomado o lugar do altruísmo.

É preciso voltar à essência e reaprender o sentido de amor ao próximo, de ajudar o outro nas suas necessidades. Como disse o apóstolo Paulo: “Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo.” (Gálatas 6. 2).

De qual lado estamos?


Pense sobre isto!

15 dezembro 2015

CUMPLICIDADE É UMA QUESTÃO DE INTELIGÊNCIA

Embora as pessoas olhem apenas para o lado negativo da palavra cumplicidade, aliás, a impressão é de que elas só conhecem o sentido ruim do termo, ele também indica alguns fatores importantes do caráter de alguém.

Um dos fatores envolvidos na cumplicidade é a amizade. É a capacidade do indivíduo de apoiar o outro em suas decisões, de aceitar os limites, as crenças, os valores e defeitos, sem querer mudar ou o outro.

O cúmplice demonstra total empatia pelo companheiro. Ele sabe ouvir, compreender, respeitar e motivar. Porém, por ser um amigo, também possui a capacidade de ser extremamente sincero, sem ferir ou magoar, sempre com o objetivo de ajudar o outro a crescer.

Como recompensa, a cumplicidade sela a amizade com o vínculo do amor e da confiança. Todos querem estar ao lado de alguém cujo caráter demonstra as características primordiais da lealdade. Todos buscam um amigo capaz de compartilhar momentos bons e ruins.

Para finalizar, quando estudava para escrever a matéria, fiquei espantado com um dos significados que o dicionário Aurélio dá para o termo: Inteligência. Quem poderia imaginar que a cumplicidade está relacionada com a inteligência? Entretanto, o autor foi extremamente feliz ao linkar um termo ao outro, afinal, não existe maneira melhor de atestar o grau de inteligência de um indivíduo do que observando a maneira como ele se relaciona com os demais.

Quando um casal é cúmplice, o amor é perfeito. Quando pais e filhos são cúmplices, a família é feliz. Quando amigos são cúmplices, a amizade é eterna. Quando uma pessoa é cúmplice, demonstra inteligência e se torna um sábio.

Sempre que alguém quer modificar o comportamento, os sentimentos e as escolhas do outro está demonstrando ter um caráter duvidoso, além de revelar-se insensível, egoísta, ciumento e incapaz de amar sem querer apenas benefícios próprios.

Quando decidimos agir com inteligência e ser cúmplices daqueles a quem amamos, recebemos em troca o mesmo nível de respeito, honra e carinho que dispensamos.


Pense Sobre Isso!

NOSSO SOCORRO