29 setembro 2013

Aproveite o Tempo

Por incrível que pareça, só percebemos a real importância do tempo quando confrontados com uma situação onde não conseguimos controlá-lo.
Nos momentos em que nossas ações, investimentos e intenções não são suficientes para realizar, em tempo hábil, tudo que desejamos, percebemos como ele realmente faz toda a diferença.
Por isso, é preciso estar atento as oportunidades, lembrando que o tempo de hoje nunca mais voltará. Se deixarmos de realizar no momento certo é bem possível que nunca mais teremos a mesma chance.
Saber aproveitar o tempo é fundamental para a realização pessoal. Cada milésimo de segundo é importante na curta jornada da vida. As oportunidades de ontem já não podem mais voltar e a preocupação com o amanhã é apenas vaidade. Tudo que o homem tem é o tempo de hoje.
Provavelmente, ele tenha percebido que o homem precisa aprender a aproveitar as oportunidades, sem deixar o tempo passar, pois amanhã elas já terão se esvaído. Como ele mesmo declarou: "há tempo para todo propósito debaixo do céu." (Eclesiastes 3: 1)
Tudo na curta existência humano sobre a terra tem um tempo de validade que precisa ser valorizado. “Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou...” (Eclesiastes 3: 2).
Segundo o autor de Hebreus, existe até um tempo para exortação que precisa ser observado. Deixar esse tempo passar pode significar a perda de uma grande oportunidade de arrependimento para aquele que está no erro.

Dessa forma, saber aproveitar o tempo que se chama hoje é essencial para se encontrar a satisfação nas pequenas e grandes oportunidades da vida. Tudo, na curta existência humana aqui, na terra está ligado à sabedoria em aproveitar as ocasiões concedidas pelo Eterno.

25 setembro 2013

Aprenda a Esperar em Deus

Precisamos lembrar que as coisas acontecem no tempo de Deus. Ainda que nosso coração esteja ansioso em receber aquilo que está pedindo, é preciso compreender que os projetos divinos são infinitamente melhores do que o nosso.
Ele não trabalha preocupado com o dia de hoje, mas visando aquilo que está no futuro. Esse é um dos motivos pelo qual parece haver conflito entre a nossa vontade e a vontade divina. Nós somos imediatistas, queremos as coisas para ontem, enquanto Deus trabalha debaixo de um projeto a curto, médio e longo prazo.
Saber compreender esse tempo é primordial, pois, somente dessa forma, controlaremos a ansiedade e poderemos esperar o momento certo.
O Pai Eterno tem tudo sob controle. Segundo sua Palavra, nada acontece sem a sua permissão e todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam ao Senhor.

Saber esperar é o grande segredo daqueles que esperam em Deus. Tal atitude demonstra confiança e dependência em suas promessas.

23 setembro 2013

A Simplicidade de Jesus ao Tratar os Problemas

Jesus sempre foi um líder surpreendente. Ele sempre utilizou questões do cotidiano para exemplificar seus ensinamentos. Mas, o mais interessante era como abordava as pessoas quando as conhecia.
Parece que o mundo está vivendo um boom de líderes motivacionais. Todos eles se apresentam de forma magistral, com técnicas e ilustrações com uma gama de recursos surpreendente, sempre com a finalidade de motivar as pessoas.
Entretanto, nenhuma técnica tem apresentado o mesmo poder para atingir o objetivo como as de Jesus. Suas palavras e os seus questionamentos sempre levaram as pessoas a refletirem sobre seu passado, presente e futuro. Mais do que isso, elas sempre trouxeram uma mudança extraordinária na vida de todos.
Perguntas do tipo: "o que você quer?"; "onde você estava?"; "o que você estava fazendo?"; "onde está o seu marido?"; dentre outras, podem parecer tolas, mas tinham uma eficácia sobrenatural, atingindo o âmago da questão.
O segredo do Mestre não estava apenas no conhecimento, nem na eloquência, mas na sabedoria em utilizar a ferramenta certa, na hora certa, com a pessoa certa, sem deixar de lado a simplicidade, o amor e a atenção, almejada por todos aqueles que estão passando por alguma dificuldade.
O que mais constrangia a multidão era a sua simplicidade em lidar com os fatos da vida cotidiana de sua gente. O Mestre tocava a todos com singeleza, destruindo as fortalezas em seus pensamentos e levando-os a uma verdadeira transformação.

20 setembro 2013

O Padrão Divino

Infelizmente, ainda encontramos muitas pessoas dentro da igreja que nunca tomaram a decisão de se afastar das paixões do mundo. Elas vivem completamente embriagadas pelos prazeres da carne, buscando satisfazer os anseios e desejos pecaminosos do seu coração.
Certa vez, Jesus declarou que não podemos servir a dois senhores. Ou seja, não dá para ficar em cima do muro. Precisamos fazer uma escolha simples, cumprir a vontade do Eterno ou realizar as vontades do príncipe deste século.
Não adianta ficar justificando as atitudes com a desculpa de que a carne é fraca. Afinal, existe uma diferença em não ser perfeito e cair esporadicamente e desejar cometer o pecado apoiando-se na misericórdia e perdão divino.
É claro que Deus é misericordioso e está sempre pronto a perdoar. Mas, Ele despreza e abomina todos aqueles que pecam deliberadamente, escarnecendo do sacrifício de seu filho, Jesus, na cruz do calvário.
Aqueles que agem dessa forma têm como padrão de vida as coisas do mundo. Eles são guiados pelos sentimentos e desejos que governam todos os outros homens. Todavia, o mundo não pode ser nossa referência, seus padrões não determinam nossas atitudes e suas fantasias não podem iludir a nossa alma.
Vivemos debaixo dos padrões de um Reino Eterno, prometido pelo Senhor a todos aqueles que cumprem a sua vontade. O nosso modelo de vida é baseado nos princípios básicos estabelecidos por Jesus durante seu ministério terreno.

A nossa missão é iluminar o mundo com o resplandecer da glória de Deus em nós; é servir de modelo perfeito do projeto principal de Deus para a humanidade. Fomos chamados para ser luz em meio às trevas. 

18 setembro 2013

A Luta Interior

O homem está pré-condicionado ao erro. Embora essa pareça uma sentença fatalistíca, longe de qualquer possibilidade, basta analisar mais a fundo a essência humana e será possível confirmar esse fato.
É importante frisar que tal afirmação não se refere ao livre direito de escolha, nem a sua capacidade de reconhecer o certo e o errado, mas a tendência ao erro, que parece estar arraigada ao íntimo humano.
Desde pequena uma criança já está apta a fazer suas escolhas. Elas já reconhecem o que é certo e errado, aprendem com facilidade o bem e o mal. O que nos intriga é como essas “pessoinhas”, aparentemente inocentes, tomam decisões erradas e ainda tentam manipular a situação ao seu favor.
O apóstolo Paulo declarou certa vez que existia algo em seu interior que o impulsionava para o mal. Eram sentimentos pecamiosos que afligiam a sua alma e, caso cedesse às tentações, acabaria pecando contra Deus.
Dizia ele: "o bem que quero fazer não o faço, mas o mal que abomino esse o cometo" (Romanos 7: 19). Essa é a impulsividade para o mal, do desejo quase que incontrolável pela transgressão, que temos tratado aqui.
Como dito acima, isso não significa que o homem tem uma desculpa para o seu erro, mas que somos tentados, todo o momento, a cometê-lo. É uma das consequências do pecado de Adão e Eva.
Quando comeu do fruto da árvore do bem e do mal, localizada no Jardim do Édem, o primeiro casal abriu as portas para o domínio do pecado entrar em todas as suas gerações futuras. Desde a queda, o homem é controlado pelo desejo, quase que incontrolável, de pecar.
Essa luta interior entre o querer e o não querer faz parte da essência humana pós-queda. É o motivo pelo qual estamos em um constante conflito interior entre o desejo de fazer a vontade de Deus e o de quebrar os seus princípios.
Entretanto, o homem continua podendo exercer o seu direito a liberdade. Está em suas mãos querer ou não cometer o erro, está em seu poder dominar o desejo pecaminoso. Vencer a tentação é uma escolha de cada um.

12 setembro 2013

Ferramentas Divinas

Os dons são instrumentos dados pelo Senhor para o cumprimento de uma missão. Eles não são ferramentas para autopromoção, engrandecimento, etc. Os talentos devem ser utilizados para a árdua tarefa de evangelização. Eles são uma ferramenta importante no processo de pregar o evangelho do Reino.
Esse é um dos motivos pelo qual cada indivíduo na face da terra tenha recebido um do singular, pessoal e instransferível. Ninguém realiza determinada tarefa como o outro. É possível que existam pessoas com habilidades iguais, mas a forma de utilizá-las sempre será única.
Entretanto, torna-se exencial que cada pessoa tenha a consciência dos seus dons para o avanço do evangelho. O interessante, é que cada um tem uma área de atuação diferente, atingindo pessoas distintas e operando em situações singulares.
Essa diversidade e singularidade é a manifestação da multiforme sabedoria de Deus em ação. Da mesma maneira que Ele opera de diversas formas, também tem sua maneira peculiar de agir. Sendo assim, Ele unge e capacita pessoas de todos os tipos, para alcançar a todos os homens.
Nesse contexto, embora os homens pensem totalmente diferente, não existem melhores ou piores. O que existe são servos do Deus Altíssimo, engajados em uma única missão, a de pregar o evangelho a toda a criatura.

Todos nós somos apenas ferramentas que o Eterno utiliza para pintar nos corações dos perdidos a grande obra da salvação, efetuada por Jesus, através de sua morte vicária na cruz do calvário. Sendo assim, fica a reflexão: QUAL O VALOR DE UM PINCEL SEM O SEU PINTOR?

10 setembro 2013

Controle a Língua

O ser humano precisa aprender a ouvir mais e falar menos. Precisa deixar de seguir impulsos inflamados por sentimentos obscuros e aprender a ouvir a voz de Deus em todas as situações.
Se pequenas observações fossem feitas, antes da tomada de qualquer decisão, muitos problemas seriam solucionados antes mesmo que viessem a ocorrer.
Muitos usam a desculpa de que não são aceitos porque falam o que pensam. Mas, na verdade, o problema não está em falar, mas no que se fala, como se fala, para quem está falando, à hora de falar e para quem está falando. O problema surge quando dizemos algo motivado pela impulsividade, sem filtrar as palavras, despejando um caminhão de lixo em cima de quem está ouvindo.
Infelizmente, quem mais sofre com esse tipo de atitude são os familiares. Afinal de contas, todas as frustrações são lançadas sobre eles, como se fossem depósitos de toda revolta que estamos sentindo. Em seguida, vêm os amigos, colegas de trabalho, etc.
Precisamos aprender a controlar a impulsividade da nossa alma, falar somente o necessário e, acima de tudo, ter a prudência de dizer somente àquilo que é realmente necessário, sem utilizar a situação para despejar o lixo das nossas frustrações sobre outros.

Controlar a língua é um grande desafio da humanidade. Entretanto, é essencial para que possamos ter sucesso em nossos relacionamentos. 

09 setembro 2013

Vote em Nosso Blog

Já começou a votação para mais um CONCURSO TOP BLOG. Esse ano estamos disputando novamente a eleição e contamos com seu apoio e voto nesse nova empreitada.
Já é a terceira vez que concorremos, disputando com milhares de outros blogs uma posição de destaque entre os melhores blogueiros de todo Brasil. 
Nos anos anteriores ficamos entre os 100 melhores blogs do país. Porém, nesse ano, procuramos uma posição ainda melhor. Para isso, contamos com seu apoio. Vote, divulgue e compartilhe essa ideia. 

Você pode votar pelo e-mail e pela sua página no facebook, basta clicar no link a seguir que será direcionado direto para página de votação: http://www.topblog.com.br/2012/index.php?pg=busca&c_b=22389 

06 setembro 2013

A Perfeição do Tempo de Deus

O Pai trabalhe de forma perfeita para nos entregar tudo em seu devido tempo. Ele não está preocupado com dias e horas, mas com o amadurecimento dos seus filhos, até que possam assumir grandes responsabilidades.
Muitas vezes as coisas demoram a acontecer em nossa vida porque o nosso tempo nem sempre está de acordo com o tempo de Deus. Aquilo que parece demora, aos nossos olhos, é a plenitude do tempo divino. Se você receber algo antes da hora não estará pronto para administrar, se deixar para depois terá passado do ponto. Por isso, o Pai tem o tempo apropriado para cumprir cada projeto.
Como diz Salomão, "para todo propósito há tempo e modo". Há um tempo específico para cada coisa. Saber esperar é essencial para o crescimento.  O tempo é um instrumento de Deus para trabalhar, pelo menos, quatro coisas em nossa vida. A paciência, a maturidade, o caráter e a vontade própria.
Por mais difícil que pareça a situação, nos tempos de tribulação, não se esqueça de que o Pai está no controle de tudo. Ele está trabalhando em você, até estar pronto para receber aquilo que Ele mesmo prometeu.
O problema é que nós, seres humanos, somos imediatistas. Queremos as coisas no nosso tempo e hora. Porém, Deus Pai só nos entrega aquilo que estamos prontos a administrar. Ele não é como nós, que fazemos concessões com nossos filhos e permitimos que realizem atividades fora do seu tempo.
Nós permitimos que as crianças dirijam antes dos 18 anos; frequentem locais inapropriados para sua idade; assistam programas de adultos , etc. Mas, felizmente, o Pai Celestial não age dessa forma. Ele só permite que façamos algo quando já estamos maduros.

A maturidade é o tempo perfeito do Senhor para as nossas vidas. Ele usa esse período para amadurecer nosso caráter, para fortalecer a nossa fé e quebrar o nosso orgulho, além de nos ensinar a entregar a nossa vontade Própria, para que possamos viver somente aquilo que está em seu coração.

02 setembro 2013

O Perigo do Julgamento sem Provas

É preciso tomar cuidado antes de se fazer uma acusação contra alguém. Caso contrário, poderá incorrer ao erro e acabar atraindo condenação para si.
Mesmo em situações extremas – onde, segundo a sua visão dos fatos, o outro está errado - é necessário ter a certeza antes de tomar qualquer decisão, afinal é possível que o seu pensamento esteja incorreto.
Existem ocasiões onde quem sofreu a ofensa está certo. Entretanto, ao acusar outrem, sem as provas necessárias, acaba perdendo a razão. Nesses casos, é preciso ter provas ao levantar uma acusação. Por isso, Jesus disse: “Mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada.” (Mateus 18:16).
Todo julgamento precisa estar baseado em fatos comprovados. Se não houver certeza; provas concretas ou o testemunho de alguém sobre o ocorrido, não deve ser feito. O apóstolo Paulo também diz o seguinte: “Não aceites acusação contra o presbítero, senão com duas ou três testemunhas.” (1 Timóteo 5:19). Do contrário, será apenas a palavra de um contra o outro.
É preciso estar atento para não cometer qualquer injustiça, afinal, sempre haverá responsabilidade por causa do julgamento impróprio contra o seu semelhante. Caso não tenha como provar, deixe o caso nas mãos do justo Juiz, pois sua justiça e conhecimento excedem ao entendimento humano.

VENCENDO A PRODIGALIDADE