06 dezembro 2013

O Mundo do Entretenimento

Orlando é conhecida como a capital do entretenimento devido a seus grandes parques temáticos e suas diversas opções de diversão espalhadas por todos os cantos da cidade. Dentre os parques se destacam aqueles que levam a patente Disney.
Isso nos remete a lembrança de como essa geração vem buscando satisfazer os desejos da alma buscando alternativas nas diversas opções de divertimento espalhadas por todas as partes do mundo.
Um olhar mais atento poderá perceber como as pessoas estão vivendo em busca de satisfação pessoal, diversão e, acima de tudo, felicidade. Todavia, mesmo em lugares onde o divertimento é a “alma do negócio”, é possível encontrar pessoas infelizes, amarguradas e sem qualquer perspectiva de mudança para sua situação.
Em nenhuma outra época da história da humanidade houve tantas oportunidades de divertimento como na atual. Entretanto, as pessoas permanecem infelizes. É como se nada fosse capaz de satisfazer a concupiscência humana.
Na verdade, o homem nunca encontrará a satisfação plena nesses lugares. Ele precisa de algo mais forte, mais profundo, mais “concreto”. A humanidade precisa voltar-se para a essência. Não que seja pecado ir a um parque, ou a outro lugar, o problema é colocar toda sua expectativa em algo efêmero, incapaz de suprir, ou preencher, suas necessidades básicas de felicidade.
Infelizmente, a maioria coloca todas as suas fichas na busca pela felicidade no lugar errado. Enquanto se distraem com inúmeras atrações, bem boladas por sinal, deixam de lado a essência. Nunca a industria do entretenimento faturou tanto. Em compensação, nunca assistimos a uma geração tão infeliz como a atual.
Os números, mais do que qualquer outra coisa provam isso. Vide a quantidade de pessoas sofrendo com incontáveis transtornos psíquicos e emocionais como os da atualidade.
Enquanto o homem permanecer focado no lugar errado permanecerá vivendo nas trevas da insatisfação pessoal, mesmo dentro de um grande parque voltado para a indústria do entretenimento.
É preciso voltar os olhos para a essência. Jesus certa vez declarou: “eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.” (João 10:10). O propósito divino é a completa satisfação humana.
Vida em abundância nada mais é do que alcançar a plenitude da vontade divina, tendo todas as suas necessidades supridas, inclusive a do desejo incontrolável de felicidade.
O segredo para ser feliz não está em um local cheio de divertimento e distração para a mente, pois no final do dia, quando os brinquedos são desligados e as luzes se apagam, tudo volta ao normal.

O segredo da felicidade está em buscar na essência, no lugar da plenitude. Jesus nos promete uma vida abundante em sua presença, isso significa viver a perfeita alegria, preparada para o homem desde o início de sua história.

04 dezembro 2013

O Valor do Perdão

Não estamos nesse mundo para julgar, mas para ajudar as pessoas a superarem seus fracassos estendendo-lhes a mão quando precisam. Somente dessa forma entenderemos o verdadeiro significado da vida, nossa missão e como alcançar a maturidade.
Necessitamos da mesma misericórdia que renegamos aos outros. somos apenas reprodutores da atitude chamada "perdão". Quanto mais perdoamos os outros, mas perto do perdão para os nossos próprios erros chegamos.
Se o homem entendesse o verdadeiro valor do perdão não passaria a vida inteira carregando um fardo tão pesado como o da mágoa. Perdoar traz um alívio muito maior para a alma do que se pensa.
Enquanto a maioria decide permanecer presa nos sentimentos de rancor, decida abrir mão das ofensas. Deixe para trás tudo aquilo que pode lhe ocasionar prejuízos ainda maiores.
A raiva é um sentimento limitador. Aqueles que se deixam dominar por ela acabam perdendo sua vida, sua família, o valor das pessoas e a própria dignidade.

Mais do que uma simples atitude humana, o perdão é um dom divino com o poder de restaurar a alma ferida, de forma que não sinta qualquer ressentimento diante do seu ofensor.

25 novembro 2013

Oração é Relacionamento

A oração é a chave do relacionamento entre o homem e Deus. Infelizmente, a maioria das pessoas vem perdendo o seu nível de intimidade com o Pai por deixar de praticá-la.   
Assim como um relacionamento afetivo não pode perdurar se o casal negligenciar o diálogo, perdemos a intimidade com Deus quando relaxamos em relação à oração.
Através da oração saímos do temporal e entramos na eternidade, onde o Eterno habita. Nesse momento abrimos as portas da nossa intimidade para que o Pai possa entrar e se relacionar conosco.
A oração é o clamor da alma. Ao se render a Deus em oração estará declarando a Ele sua total dependência, buscando o cumprimento da perfeita vontade dEle em sua vida. A oração é fruto de um coração quebrantado, rendido e apaixonado.
Se as pessoas compreendessem como as coisas são liberadas no mundo espiritual quando nos rendemos ao Todo Poderoso em oração, não perderiam tanto tempo buscando alternativas em outros lugares.
Tudo que o Pai deseja é poder manter um relacionamento de intimidade com os seus filhos. Mas, infelizmente, muitos têm agido como adolescentes imaturos que preferem a inexperiência dos colegas à sabedoria dos conselhos paternos.

Renda-se a Deus em oração, permita-lhe conhecer as profundezas da sua alma através da contrição e do arrependimento. Somente dessa forma poderás aprofundar-se nesse maravilhoso relacionamento.

22 novembro 2013

A Revolução Começa em Nós!

A melhor revolução que você pode fazer é dentro de você mesmo! Comece mudando as suas atitudes, pois com o tempo serás capaz de influenciar com seu exemplo aqueles que estão a sua volta.
Não faz o menor sentido querer buscar a transformação do outro, enquanto a sua vida continua parada. Saia da mesmice, transforme seu modo de pensar e agir.
Os maiores revolucionários da história nunca precisaram atirar uma bala, eles apenas deixaram um legado. Os seus exemplos de vida eram muito mais potentes do que qualquer arsenal construído pela Humanidade.
Provavelmente, pensando nisso Paulo tenha afirmado: “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12:2).
Mudar não é fácil, talvez por isso cobremos tanto a transformação na vida dos outros e nos esquecemos de mudar a nós mesmo. Todavia, não existe crescimento se não houver coragem para mudar hábitos e pensamentos.

Seja a transformação que você espera dos outros!

19 novembro 2013

É Preciso ter Coragem para Mudar

A mudança é um grande desafio. Para implementá-la é preciso ter coragem e ousadia. Também se faz necessário analisar se o tempo é propício para uma revolução.
Toda mudança produz incertezas, temores e desconfiança. Dessa forma, é preciso habilidade para realizá-las, para não causar conflitos nos relacionamentos. Também é preciso perspicácia, caso contrário, poderá perder a credibilidade perante a sociedade.
Um dos grandes exemplos de transformação foi dado pelo Senhor Jesus. Se analisarmos bem, seus ensinamentos propunham uma mudança radical de pensamento e atitudes. Suas ideias eram modernas demais para o seu tempo.
O grande conflito entre o Messias e os religiosos da época era que as mudanças propostas por Jesus, embora embasadas na lei mosaica, conflitavam com os ideais desses líderes.
Entretanto, Jesus não abriu mão de seu projeto, permaneceu firme em sua posição. O Mestre ensinou através de sua vida que toda mudança requer sacrifício.
Muitos projetos foram abortados, empreendimentos faliram e famílias foram destruídas porque seus idealizadores não tiveram a coragem de mudar.
Permanecer arraigado à estratégias do passado, é o grande inimigo de todo projeto. É preciso ampliar a visão, permitir ser conquistado pelo novo, desde que esse não mexa com as estruturas.
Ao lembrarmos da vida de Jesus chegaremos à conclusão de que a coragem para realizar a mudança é o grande diferencial entre os vencedores e os perdedores.
Enquanto Jesus enfrentou os desafios da mudança e revolucionou a história, os religiosos de sua época sucumbiram em meio aos seus pensamentos retrógrados.

Toda mudança requer coragem, pois é necessário fazer grandes sacrifícios para alcançar o objetivo proposto. Aliás, ninguém compra uma ideia que o seu idealizador não acredite.

18 novembro 2013

O Diferencial para Conquista

Estava me lembrando do episódio em que Davi venceu o gigante Golias e como nossa geração se parece muito com aqueles soldados israelitas diante da afronta do filisteu. Isso me fez pensar nos três grupos de pessoas que podem ser encontrados dentro da igreja.
No primeiro grupo estão aqueles que veem o gigante e fogem; o segundo é composto pelos que veem o gigante e paralisam e o terceiro grupo é constituído daqueles que veem o gigante e partem para cima.
Aqueles que fazem parte do primeiro grupo tendem a ficar murmurando contra Deus; os que compõem o segundo grupo jogam a culpa do seu fracasso para cima dos outros e os do terceiro grupo se lançam na total dependência de Deus para vencer o desafio.
O que determina a vitória ou derrota diante de um grande desafio é a nossa atitude diante deles. Não adianta possuir grandes habilidades, conhecimento e fama, é preciso saber agir e reagir na hora certa, no momento apropriado, sem deixar de lado a confiança naquele que é Senhor de nossas vidas.
O grande diferencial na vida de Davi foi sua atitude diante da afronta do gigante. Enquanto seus conterrâneos, que, diga-se de passagem, eram soldados experientes, fugiram ou ficaram estáticos, aquele garoto aceitou o desafio de derrubar o gigante.

A diferença entre o vitorioso e o fracassado está sempre na reação. A escolha que fazemos é o diferencial para a conquista.

07 novembro 2013

O Valor dos Relacionamentos

Não há nada mais importante no mundo do que um relacionamento. Nem mesmo o trabalho pode interferir no tempo de qualidade que você deve cultivar com as pessoas amadas.
Infelizmente, a atual geração está agindo na contra mão, valorizando mais o ter, as conquistas pessoais, o dinheiro, a fama e os projetos para o futuro do que os relacionamentos afetivos.
Atualmente, poucos se envolvem em um relacionamento sério. Quase ninguém está preocupado em fazer amigos, em ter alguém que possa compartilhar sua vida, ou contar nas horas difíceis.
Vivemos em uma sociedade egocêntrica onde o homem perdeu todo o valor. Nesse mundo a vida se resume apenas nos bens a serem alcançados.  As pessoas agem como se o tempo da juventude fosse durar para sempre.
A humanidade acabou se esquecendo que a única coisa realmente valiosa, pela qual vale à pena lutar durante a curta odisséia da vida, são os relacionamentos interpessoais adquiridos ao logo do tempo.
O dinheiro, os bens e a fama perdem o valor quando se chega ao final da caminhada sem ninguém para compartilhar os seus benefícios. Tudo isso só tem importância quando os relacionamentos são cultivados, trazendo a alegria da companhia das pessoas amadas.

Valorize cada segundo das oportunidades de estar com aqueles a quem você ama. Nunca deixe que as situações tirem o prazer de estar na companhia da família e dos amigos, pois, no final, percebemos que esse é o bem mais precioso da humanidade. 

31 outubro 2013

As Sutilezas do Inimigo

Ironicamente, o inimigo está sempre tentando ofuscar o brilho das obras de Deus. Todas as vezes que alguém se levanta com propósito de propagar o evangelho, ele lança suas artimanhas para tentar impedir o avanço do Reino de Deus.
Foi assim com todos os profetas, apóstolos e pais da igreja, não seria diferente nos dias de hoje. A páscoa virou do coelhinho; o natal de papai Noel; a reforma protestante de dia das bruxas e assim por diante. A verdade, é que sempre haverá um contra-ataque do maligno para desviar o foco da perfeita vontade de Deus.
O problema maior ocorre quando os discípulos de Jesus se deixam levar pelos enganos no inimigo, aceitando suas mentiras e concordando com as distorções, impostas pela sociedade e pela mídia, que, diga-se de passagem, é uma ferramenta do maligno para propagar a morte e destruição.
O Mestre Jesus declarou certa vez: “Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa.” (Mateus 5: 14-15).
Somos chamados para ser luz em meio às trevas. Nenhuma estratégia do adversário pode ofuscar o brilho da glória de Deus em nossas vidas, a não ser que nos tornemos coniventes com seus enganos.



29 outubro 2013

As Surpresas da Vida

A vida parece mesmo uma caixinha de surpresas. Quando menos esperamos, ela nos surpreendente com algo novo e inesperado. Em alguns momentos esse novo pode causar medo; em outros desconfiança; alguns dias ele pode trazer dor, mas na maioria das vezes somos agraciados com muitas coisas boas.
Mesmo os pessimistas devem concordar que os momentos bons excedem aos catastróficos e que a vida é repleta de surpresas agradáveis.
É preciso saber aproveitar cada oportunidade da vida, pois elas são dadas por Deus para o nosso crescimento. Mesmo os momentos mais difíceis são uma ferramenta do Eterno para trabalhar nosso caráter.
Segundo o apóstolo Paulo, todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam ao Senhor. Cada instante do nosso breve período de vida na terra é uma dádiva do Altíssimo para crescimento e transformação.
Para o autor do livro de Eclesiastes, Deus faz com que o sol se nasça para todos de igual forma, demonstrando sua imparcialidade e cuidado com todos os seres humanos.

Aprenda a tirar proveito de todas as situações, até mesmo daquelas que causam algum tipo de sofrimento. Transforme essas experiências em mais um degrau capaz de levá-lo ao crescimento. 

11 outubro 2013

OS DESAFIOS DA MUDANÇA

Estava pensando sobre algumas frases que se tornaram jargão na boca de familiares, amigos e conhecidos de muitos cristãos. Coisas do tipo: "Você não é crente, como pode continuar fazendo isso?"; "Não mudou nada, continua a mesma coisa!"; "Quero ver você fazer essas coisas perto do seu pastor!".
O que mais me intriga não é a veracidade dessas afirmações, mas a hipocrisia por trás das palavra. Isso porque, mesmo diante de um fracasso iminente, normalmente, essas pessoas utilizam tais declarações para esconder seus próprios erros.
Além do mais, em todos os casos, eles reconhecem as inquestionáveis transformações na vida dos seus entes queridos. Segundo eles a mudança ocorreu “da água para o vinho". Sendo assim, por que continuam atacando a espiritualidade dos discípulos de Jesus, como se eles fossem pecadores irrecuperáveis?
O motivo é simples, quando reconhecemos Jesus como Senhor de nossas vidas assumimos a responsabilidade de nos tornarmos o seu referencial. Nossa vida passa a ser um modelo a ser seguido.
Se pudéssemos traduzir os sentimentos das pessoas, as frases acima seriam mais bem entendidas como um grito de socorro, algo do tipo: “Por favor, não erre, pois você é o meu referencial, aquele em quem me espelho."
Um dos grandes desafios da mudança é não trazer escândalo aqueles que estão ao nosso redor. Nossas atitudes precisam estar completamente sincronizadas com o nosso discurso.
Ninguém jamais será perfeito, mas é preciso ter a consciência de que estaremos sempre sendo observados. Existe uma expectativa a nosso respeito incalculável. Todos esperam que sejamos sempre o modelo de Jesus aqui na terra.

Esse, com certeza, é um dos grandes desafios da mudança de vida. Agir de tal maneira que as pessoas com quem convivemos sejam atraídas pelo amor transformador de Jesus em nós.

09 outubro 2013

Em Busca de um Culpado!

As pessoas têm a mania de culpar a Deus por todas as catástrofes; pela miséria e toda maldade que acontece no mundo. Elas jogam todas as suas frustrações para cima do Eterno, como se as oportunidades fossem exclusividade de um seleto grupo de escolhidos.
Entretanto, segundo o autor do livro de Eclesiastes, Deus faz com que o sol nasça para todos de igual forma, demonstrando sua imparcialidade e cuidado com todos os seres humanos.
Embora o homem tenha o hábito de condenar Deus pelos seus fracassos e frustrações, na verdade, a culpa pelas grandes catástrofes da vida são por causa das escolhas erradas da própria humanidade.
Culpamos a Deus pela fome e miséria, mas nos esquecemos que somos os primeiros a não estender a mão ao faminto. Mesmo com abundância de mantimentos dentro de casa.
Condenamos o Criador pelos grandes massacres da história, mas, se pensarmos bem, não foi Deus quem puxou o gatilho das armas; não foi Ele quem lançou as bombas; nem é de sua autoria cada genocídio cometido no mundo.
A humanidade é responsável por todos os atos de barbaridade; por cada criança faminta na rua; por todos os crimes contra a humanidade.
Jogar a culpa pelos nossos atos para o Eterno é uma herança antiga. Adão, quando confrontado pelo seu pecado, acusou Deus por orquestrar a sua queda quando lhe deu a mulher. Nós apenas propagamos aquilo que aprendemos. O homem precisa aprender a assumir a sua culpa no cartório, reconhecer que tem errado contra o seu próximo e começar a mudar suas atitudes.
Se seguíssemos o ensinamento de Jesus, que consiste em amar ao próximo, com certeza as coisas seriam bem diferentes. Não nos depararíamos com tanta maldade estampada nas capas dos jornais.

A verdade, embora doa, é que a culpa por todas as atrocidades cometidas no mundo não é de Deus, mas da própria humanidade que persiste em destruir tudo aquilo que o Eterno criou para satisfazer o seu egoísmo.

01 outubro 2013

A INGRATIDÃO É UM CÂNCER QUE CORRÓI A ALMA

Você já reparou como deixamos as coisas passarem despercebidas. Infelizmente, só valorizamos os momentos mais difíceis e nos esquecemos das inúmeras dádivas concedidas diariamente pelo Senhor.
Reclamamos dos problemas, mas nos esquecemos das incontáveis bênçãos; murmuramos quando algo não sai da maneira como gostaríamos, e deixamos passar despercebidos os livramentos; criticamos a rapidez do tempo, contudo, ignoramos instantes preciosos.
Somos eternos insatisfeitos. Mais do que isso, possuímos uma essência governada pela ingratidão. Nada, nunca, satisfaz o desejo egoísta da nossa alma. Mesmo quando tudo está bem, quando todas as coisas parecem perfeitas, olhamos para o lado e desejamos ter aquilo que é do outro.  
Vivemos em busca do nosso bem estar e nos esquecemos de agradecer até o dom da vida. Parecemos bebês chorões, cheios de vontade e governados pelo desejo incontrolável da alma de querer sempre mais.
Infelizmente, a ingratidão faz parte da natureza humana. Desde o princípio, o homem sempre desejou ter mais do que possuía, por isso comeu do fruto proibido. Em seu pensamento, teria aquilo que o Criador não havia lhe dado.
Mesmo possuindo tudo, estava insatisfeito, desejando, justamente, algo que não lhe fora permitido. A tacada de mestre da serpente foi conseguir canalizar a frustração de Eva, fazendo-a cobiçar o fruto proibido.
Hoje não é diferente, desprezamos todas as bênçãos de Deus, somos ingratos e murmuradores. Tendemos a olhar para aquilo que não temos e nos esquecemos de agradecer pelo que já fomos agraciados.
Precisamos fazer morrer a nossa natureza terrena (Colossenses 3: 5), aprender a agradecer por todos os benefícios que o Senhor nos concede, embora não possamos pagar por nenhum deles. Sabiamente declarou o salmista: “Que darei eu ao Senhor, por todos os benefícios que me tem feito?” (Salmos 116: 12).

Realmente, não podemos retribuir-lhe todas as graças concedidas, mas podemos sacrificar a nossa natureza terrena, procurando entregar-lhe um coração puro e agradecido. A ingratidão é um câncer que corrói a alma. Pense sobre isso!

29 setembro 2013

Aproveite o Tempo

Por incrível que pareça, só percebemos a real importância do tempo quando confrontados com uma situação onde não conseguimos controlá-lo.
Nos momentos em que nossas ações, investimentos e intenções não são suficientes para realizar, em tempo hábil, tudo que desejamos, percebemos como ele realmente faz toda a diferença.
Por isso, é preciso estar atento as oportunidades, lembrando que o tempo de hoje nunca mais voltará. Se deixarmos de realizar no momento certo é bem possível que nunca mais teremos a mesma chance.
Saber aproveitar o tempo é fundamental para a realização pessoal. Cada milésimo de segundo é importante na curta jornada da vida. As oportunidades de ontem já não podem mais voltar e a preocupação com o amanhã é apenas vaidade. Tudo que o homem tem é o tempo de hoje.
Provavelmente, ele tenha percebido que o homem precisa aprender a aproveitar as oportunidades, sem deixar o tempo passar, pois amanhã elas já terão se esvaído. Como ele mesmo declarou: "há tempo para todo propósito debaixo do céu." (Eclesiastes 3: 1)
Tudo na curta existência humano sobre a terra tem um tempo de validade que precisa ser valorizado. “Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou...” (Eclesiastes 3: 2).
Segundo o autor de Hebreus, existe até um tempo para exortação que precisa ser observado. Deixar esse tempo passar pode significar a perda de uma grande oportunidade de arrependimento para aquele que está no erro.

Dessa forma, saber aproveitar o tempo que se chama hoje é essencial para se encontrar a satisfação nas pequenas e grandes oportunidades da vida. Tudo, na curta existência humana aqui, na terra está ligado à sabedoria em aproveitar as ocasiões concedidas pelo Eterno.

25 setembro 2013

Aprenda a Esperar em Deus

Precisamos lembrar que as coisas acontecem no tempo de Deus. Ainda que nosso coração esteja ansioso em receber aquilo que está pedindo, é preciso compreender que os projetos divinos são infinitamente melhores do que o nosso.
Ele não trabalha preocupado com o dia de hoje, mas visando aquilo que está no futuro. Esse é um dos motivos pelo qual parece haver conflito entre a nossa vontade e a vontade divina. Nós somos imediatistas, queremos as coisas para ontem, enquanto Deus trabalha debaixo de um projeto a curto, médio e longo prazo.
Saber compreender esse tempo é primordial, pois, somente dessa forma, controlaremos a ansiedade e poderemos esperar o momento certo.
O Pai Eterno tem tudo sob controle. Segundo sua Palavra, nada acontece sem a sua permissão e todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam ao Senhor.

Saber esperar é o grande segredo daqueles que esperam em Deus. Tal atitude demonstra confiança e dependência em suas promessas.

23 setembro 2013

A Simplicidade de Jesus ao Tratar os Problemas

Jesus sempre foi um líder surpreendente. Ele sempre utilizou questões do cotidiano para exemplificar seus ensinamentos. Mas, o mais interessante era como abordava as pessoas quando as conhecia.
Parece que o mundo está vivendo um boom de líderes motivacionais. Todos eles se apresentam de forma magistral, com técnicas e ilustrações com uma gama de recursos surpreendente, sempre com a finalidade de motivar as pessoas.
Entretanto, nenhuma técnica tem apresentado o mesmo poder para atingir o objetivo como as de Jesus. Suas palavras e os seus questionamentos sempre levaram as pessoas a refletirem sobre seu passado, presente e futuro. Mais do que isso, elas sempre trouxeram uma mudança extraordinária na vida de todos.
Perguntas do tipo: "o que você quer?"; "onde você estava?"; "o que você estava fazendo?"; "onde está o seu marido?"; dentre outras, podem parecer tolas, mas tinham uma eficácia sobrenatural, atingindo o âmago da questão.
O segredo do Mestre não estava apenas no conhecimento, nem na eloquência, mas na sabedoria em utilizar a ferramenta certa, na hora certa, com a pessoa certa, sem deixar de lado a simplicidade, o amor e a atenção, almejada por todos aqueles que estão passando por alguma dificuldade.
O que mais constrangia a multidão era a sua simplicidade em lidar com os fatos da vida cotidiana de sua gente. O Mestre tocava a todos com singeleza, destruindo as fortalezas em seus pensamentos e levando-os a uma verdadeira transformação.

20 setembro 2013

O Padrão Divino

Infelizmente, ainda encontramos muitas pessoas dentro da igreja que nunca tomaram a decisão de se afastar das paixões do mundo. Elas vivem completamente embriagadas pelos prazeres da carne, buscando satisfazer os anseios e desejos pecaminosos do seu coração.
Certa vez, Jesus declarou que não podemos servir a dois senhores. Ou seja, não dá para ficar em cima do muro. Precisamos fazer uma escolha simples, cumprir a vontade do Eterno ou realizar as vontades do príncipe deste século.
Não adianta ficar justificando as atitudes com a desculpa de que a carne é fraca. Afinal, existe uma diferença em não ser perfeito e cair esporadicamente e desejar cometer o pecado apoiando-se na misericórdia e perdão divino.
É claro que Deus é misericordioso e está sempre pronto a perdoar. Mas, Ele despreza e abomina todos aqueles que pecam deliberadamente, escarnecendo do sacrifício de seu filho, Jesus, na cruz do calvário.
Aqueles que agem dessa forma têm como padrão de vida as coisas do mundo. Eles são guiados pelos sentimentos e desejos que governam todos os outros homens. Todavia, o mundo não pode ser nossa referência, seus padrões não determinam nossas atitudes e suas fantasias não podem iludir a nossa alma.
Vivemos debaixo dos padrões de um Reino Eterno, prometido pelo Senhor a todos aqueles que cumprem a sua vontade. O nosso modelo de vida é baseado nos princípios básicos estabelecidos por Jesus durante seu ministério terreno.

A nossa missão é iluminar o mundo com o resplandecer da glória de Deus em nós; é servir de modelo perfeito do projeto principal de Deus para a humanidade. Fomos chamados para ser luz em meio às trevas. 

18 setembro 2013

A Luta Interior

O homem está pré-condicionado ao erro. Embora essa pareça uma sentença fatalistíca, longe de qualquer possibilidade, basta analisar mais a fundo a essência humana e será possível confirmar esse fato.
É importante frisar que tal afirmação não se refere ao livre direito de escolha, nem a sua capacidade de reconhecer o certo e o errado, mas a tendência ao erro, que parece estar arraigada ao íntimo humano.
Desde pequena uma criança já está apta a fazer suas escolhas. Elas já reconhecem o que é certo e errado, aprendem com facilidade o bem e o mal. O que nos intriga é como essas “pessoinhas”, aparentemente inocentes, tomam decisões erradas e ainda tentam manipular a situação ao seu favor.
O apóstolo Paulo declarou certa vez que existia algo em seu interior que o impulsionava para o mal. Eram sentimentos pecamiosos que afligiam a sua alma e, caso cedesse às tentações, acabaria pecando contra Deus.
Dizia ele: "o bem que quero fazer não o faço, mas o mal que abomino esse o cometo" (Romanos 7: 19). Essa é a impulsividade para o mal, do desejo quase que incontrolável pela transgressão, que temos tratado aqui.
Como dito acima, isso não significa que o homem tem uma desculpa para o seu erro, mas que somos tentados, todo o momento, a cometê-lo. É uma das consequências do pecado de Adão e Eva.
Quando comeu do fruto da árvore do bem e do mal, localizada no Jardim do Édem, o primeiro casal abriu as portas para o domínio do pecado entrar em todas as suas gerações futuras. Desde a queda, o homem é controlado pelo desejo, quase que incontrolável, de pecar.
Essa luta interior entre o querer e o não querer faz parte da essência humana pós-queda. É o motivo pelo qual estamos em um constante conflito interior entre o desejo de fazer a vontade de Deus e o de quebrar os seus princípios.
Entretanto, o homem continua podendo exercer o seu direito a liberdade. Está em suas mãos querer ou não cometer o erro, está em seu poder dominar o desejo pecaminoso. Vencer a tentação é uma escolha de cada um.

12 setembro 2013

Ferramentas Divinas

Os dons são instrumentos dados pelo Senhor para o cumprimento de uma missão. Eles não são ferramentas para autopromoção, engrandecimento, etc. Os talentos devem ser utilizados para a árdua tarefa de evangelização. Eles são uma ferramenta importante no processo de pregar o evangelho do Reino.
Esse é um dos motivos pelo qual cada indivíduo na face da terra tenha recebido um do singular, pessoal e instransferível. Ninguém realiza determinada tarefa como o outro. É possível que existam pessoas com habilidades iguais, mas a forma de utilizá-las sempre será única.
Entretanto, torna-se exencial que cada pessoa tenha a consciência dos seus dons para o avanço do evangelho. O interessante, é que cada um tem uma área de atuação diferente, atingindo pessoas distintas e operando em situações singulares.
Essa diversidade e singularidade é a manifestação da multiforme sabedoria de Deus em ação. Da mesma maneira que Ele opera de diversas formas, também tem sua maneira peculiar de agir. Sendo assim, Ele unge e capacita pessoas de todos os tipos, para alcançar a todos os homens.
Nesse contexto, embora os homens pensem totalmente diferente, não existem melhores ou piores. O que existe são servos do Deus Altíssimo, engajados em uma única missão, a de pregar o evangelho a toda a criatura.

Todos nós somos apenas ferramentas que o Eterno utiliza para pintar nos corações dos perdidos a grande obra da salvação, efetuada por Jesus, através de sua morte vicária na cruz do calvário. Sendo assim, fica a reflexão: QUAL O VALOR DE UM PINCEL SEM O SEU PINTOR?

10 setembro 2013

Controle a Língua

O ser humano precisa aprender a ouvir mais e falar menos. Precisa deixar de seguir impulsos inflamados por sentimentos obscuros e aprender a ouvir a voz de Deus em todas as situações.
Se pequenas observações fossem feitas, antes da tomada de qualquer decisão, muitos problemas seriam solucionados antes mesmo que viessem a ocorrer.
Muitos usam a desculpa de que não são aceitos porque falam o que pensam. Mas, na verdade, o problema não está em falar, mas no que se fala, como se fala, para quem está falando, à hora de falar e para quem está falando. O problema surge quando dizemos algo motivado pela impulsividade, sem filtrar as palavras, despejando um caminhão de lixo em cima de quem está ouvindo.
Infelizmente, quem mais sofre com esse tipo de atitude são os familiares. Afinal de contas, todas as frustrações são lançadas sobre eles, como se fossem depósitos de toda revolta que estamos sentindo. Em seguida, vêm os amigos, colegas de trabalho, etc.
Precisamos aprender a controlar a impulsividade da nossa alma, falar somente o necessário e, acima de tudo, ter a prudência de dizer somente àquilo que é realmente necessário, sem utilizar a situação para despejar o lixo das nossas frustrações sobre outros.

Controlar a língua é um grande desafio da humanidade. Entretanto, é essencial para que possamos ter sucesso em nossos relacionamentos. 

09 setembro 2013

Vote em Nosso Blog

Já começou a votação para mais um CONCURSO TOP BLOG. Esse ano estamos disputando novamente a eleição e contamos com seu apoio e voto nesse nova empreitada.
Já é a terceira vez que concorremos, disputando com milhares de outros blogs uma posição de destaque entre os melhores blogueiros de todo Brasil. 
Nos anos anteriores ficamos entre os 100 melhores blogs do país. Porém, nesse ano, procuramos uma posição ainda melhor. Para isso, contamos com seu apoio. Vote, divulgue e compartilhe essa ideia. 

Você pode votar pelo e-mail e pela sua página no facebook, basta clicar no link a seguir que será direcionado direto para página de votação: http://www.topblog.com.br/2012/index.php?pg=busca&c_b=22389 

06 setembro 2013

A Perfeição do Tempo de Deus

O Pai trabalhe de forma perfeita para nos entregar tudo em seu devido tempo. Ele não está preocupado com dias e horas, mas com o amadurecimento dos seus filhos, até que possam assumir grandes responsabilidades.
Muitas vezes as coisas demoram a acontecer em nossa vida porque o nosso tempo nem sempre está de acordo com o tempo de Deus. Aquilo que parece demora, aos nossos olhos, é a plenitude do tempo divino. Se você receber algo antes da hora não estará pronto para administrar, se deixar para depois terá passado do ponto. Por isso, o Pai tem o tempo apropriado para cumprir cada projeto.
Como diz Salomão, "para todo propósito há tempo e modo". Há um tempo específico para cada coisa. Saber esperar é essencial para o crescimento.  O tempo é um instrumento de Deus para trabalhar, pelo menos, quatro coisas em nossa vida. A paciência, a maturidade, o caráter e a vontade própria.
Por mais difícil que pareça a situação, nos tempos de tribulação, não se esqueça de que o Pai está no controle de tudo. Ele está trabalhando em você, até estar pronto para receber aquilo que Ele mesmo prometeu.
O problema é que nós, seres humanos, somos imediatistas. Queremos as coisas no nosso tempo e hora. Porém, Deus Pai só nos entrega aquilo que estamos prontos a administrar. Ele não é como nós, que fazemos concessões com nossos filhos e permitimos que realizem atividades fora do seu tempo.
Nós permitimos que as crianças dirijam antes dos 18 anos; frequentem locais inapropriados para sua idade; assistam programas de adultos , etc. Mas, felizmente, o Pai Celestial não age dessa forma. Ele só permite que façamos algo quando já estamos maduros.

A maturidade é o tempo perfeito do Senhor para as nossas vidas. Ele usa esse período para amadurecer nosso caráter, para fortalecer a nossa fé e quebrar o nosso orgulho, além de nos ensinar a entregar a nossa vontade Própria, para que possamos viver somente aquilo que está em seu coração.

02 setembro 2013

O Perigo do Julgamento sem Provas

É preciso tomar cuidado antes de se fazer uma acusação contra alguém. Caso contrário, poderá incorrer ao erro e acabar atraindo condenação para si.
Mesmo em situações extremas – onde, segundo a sua visão dos fatos, o outro está errado - é necessário ter a certeza antes de tomar qualquer decisão, afinal é possível que o seu pensamento esteja incorreto.
Existem ocasiões onde quem sofreu a ofensa está certo. Entretanto, ao acusar outrem, sem as provas necessárias, acaba perdendo a razão. Nesses casos, é preciso ter provas ao levantar uma acusação. Por isso, Jesus disse: “Mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada.” (Mateus 18:16).
Todo julgamento precisa estar baseado em fatos comprovados. Se não houver certeza; provas concretas ou o testemunho de alguém sobre o ocorrido, não deve ser feito. O apóstolo Paulo também diz o seguinte: “Não aceites acusação contra o presbítero, senão com duas ou três testemunhas.” (1 Timóteo 5:19). Do contrário, será apenas a palavra de um contra o outro.
É preciso estar atento para não cometer qualquer injustiça, afinal, sempre haverá responsabilidade por causa do julgamento impróprio contra o seu semelhante. Caso não tenha como provar, deixe o caso nas mãos do justo Juiz, pois sua justiça e conhecimento excedem ao entendimento humano.

30 agosto 2013

Perdidos na Casa do Pai

As igrejas estão repletas de pessoas que frequentam os cultos todos os dias, vão às células e demais reuniões, mas permanecem perdidas na casa do Pai.
O sentimento dessas pessoas é parecido com o daquele filho, mencionado por Jesus na parábola do filho pródigo, que se encontra no capítulo 15 de Lucas.
Aquele homem era filho, tinha o nome do pai, era herdeiro, tinha todas as características de filho, mas não vivia como tal. Seu pensamento e suas atitudes era a de um empregado qualquer. Ele vivia como um estranho no lar, com uma mentalidade de servo.
Quantas pessoas vivem da mesma forma dentro da igreja hoje? Elas aceitam a Jesus como Senhor, são adotados como filhos de Deus, conforme nos ensina o apóstolo Paulo, mas seus pensamentos ainda estão presos as idéias do passado, elas ainda não conseguem viver como filhos.
O pior é que esse tipo de gente fica dentro da casa do Pai atacando e acusando aos seus irmãos. Como não conseguem desfrutar da posição de filhos, também não aceitam que ninguém o faça.
Talvez por isso Paulo tenha instruído os discípulos de Jesus em Roma da seguinte forma: “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12: 2). 
Além de outros problemas, é possível que um deles fosse a perda da identidade de filhos de Deus. Quando alguém não consegue mais se ver como filho do Altíssimo acaba perdendo a chave que libera todo potencial do relacionamento com Ele.
Deus está preocupado em formar uma família, cheia de filhos, semelhantes a Jesus. Não é seu objetivo ter alguns seguidores, alguns escravos, pois esses são incapazes de amá-lo pelo que Ele realmente é.


29 agosto 2013

Um Tributo a Simplicidade

A atual geração vive um dos maiores fenômenos tecnológicos da humanidade. Nenhuma outra época assistiu a tantos lançamentos como essa. De celulares ultramodernos a computadores cada vez menores e com capacidade de memória ainda maior, até a tecnologia 4D e vídeo games de última geração com interatividade online em tempo real. 
Quem imaginaria que um dia isso seria possível? Que a humanidade chegaria tão longe? Que as ideias, antes utopias de filme de ficção científica, agora chegariam as nossas casas e tomaria conta de nossas vidas? Tudo hoje depende de um click.
Todavia, mesmo diante desses inúmeros avanços parece que as pessoas estão involuindo, regredindo em sua forma de agir e pensar. A impressão que temos é que as pessoas não sabem mais aproveitar as coisas simples da vida.
Chegamos a um ponto onde sair de casa sem celular parece uma tragédia; ficar um dia sem utilizar a internet uma tortura; perder o programa preferido, ou deixar de jogar faz as pessoas perderem o sentido da vida.
Houve um tempo – acredite, ele foi real - onde as crianças transformavam qualquer coisa em um brinquedo e sabiam se divertir. Hoje, se entregarmos uma bola de futebol em suas mãos elas não sabem o que fazer com ela.
Há algumas décadas, as pessoas se contentavam em conversar com os amigos sobre fatos de sua vida. Hoje os amigos são espécies em extinção.  Antes se formava um grupo para rir e conversar. Hoje, mesmo a centímetros de distância de outra pessoa, conversa-se pelo aparelho celular. Chegamos a um ponto onde casais de namorados preferem trocar mensagens pelas redes sociais a estarem abraçados, conversando e olhando nos olhos.
Com certeza, sem armas ou violência, esta geração está entrando em um dos períodos mais obscuros da história, onde os relacionamentos e a simplicidade das pequenas coisas estão se perdendo em uma superficialidade tecnológica fria e solitária.
Não! Não somos contra os avanços tecnológicos, mas a favor do equilíbrio. Somos a favor das pessoas passarem mais tempo juntas, cultivando os relacionamentos; dos pais reaprenderem a brincar com os seus filhos; das crianças largarem o computador e transformarem qualquer coisa em um brinquedo; do reaprender o valor da literatura; da amizade; do abraçar; do conversar; do amar...
O que nos assusta não é a tecnologia em si, pois ela é boa, mas a maneira como nós estamos abandonando as coisas fundamentais e valorizando as supérfluas. 
A humanidade não precisa de mais um brinquedo, ela precisa reaprender a valorizar as coisas simples da vida!

28 agosto 2013

Os Desafios Aumentam o Valor da Conquista

Por que desistir diante das dificuldades? Por mais difícil que esteja à situação, permaneça firme em seu propósito.
A vida é cheia de desafios; os obstáculos existem para serem superados; as metas para serem alcançadas. Desistir significa deixar para trás tudo aquilo pelo qual lutou até aqui.
Aqueles que sempre desistem dos seus sonhos nunca alcançarão a realização pessoal. Estão fadados a viver uma eterna amargura, alimentada pelo sentimento de constante fracasso.
Por mais difícil que pareça a situação, não desanime. Continue firme em seu propósito de vida, não desista de perseguir a sua meta.

Os desafios devem ser o combustível que acende e alimenta o intenso desejo de chegar até o final da caminhada. Eles apenas aumentam o valor da sua conquista.

26 agosto 2013

O Deus que Sonda os Corações

Deus está mais preocupado com o desejo e intenção do coração, do que com palavras e atitudes superficiais.
Sua maneira de julgar é tão peculiar que não se baseia nos parâmetros de bondade, justiça ou beleza humana. Ele está preocupado com o interior, não com o exterior.
Nesse sentido, não são as atitudes maquiadas que tocam o seu coração, mas a sinceridade dos sentimentos, da transparência expressada através das atitudes.
É bem certo que muitos agem dissimuladamente, com objetivo de chamar a atenção dos homens, se esquecendo que Deus sonda o mais profundo do coração humano.
Quando Samuel chegou à casa de Jessé, com a notícia de que um dos filhos do patriarca fora escolhido para ser o novo rei de Israel, o homem trouxe os filhos com porte físico superior e com habilidades para a guerra, mas a resposta de Deus foi enfática, “nenhum deles é o escolhido. O homem vê o exterior, mas eu conheço o coração.”

Diante de Deus aquilo que está dentro do seu coração fala muito mais alto do que qualquer atitude, ainda que, aos olhos humanos, essa postura pareça bondosa ou altruísta. 

23 agosto 2013

O Perigo da Ociosidade

Às vezes da à impressão que um dia de 30h ainda seria pouco para realizarmos todas as tarefas. São tantos afazeres que quando nos damos conta o dia já foi. É difícil compreender como algumas pessoas ainda conseguem ficar tanto tempo inativas, sem produzir nada, com tantas coisas a sua espera.
Pior, é que a maior parte, vive dando desculpas para não realizar os seus projetos. Todavia, o tempo que passam ociosos seria o suficiente para terminarem todas as suas tarefas.
Na verdade, a maior parte está sempre procurando uma oportunidade de fugir das suas responsabilidades, deixando para depois, ou para que outro faça em seu lugar.
Na maioria dos casos é justamente essa gente que fica pelos cantos reclamando não ter oportunidade na vida, que alguns são mais beneficiados e outros não. Estão sempre indagando por que o outro tem tantas oportunidades, enquanto eles não têm nenhuma.
Esse tipo de gente vive argumentando sobre a injustiça do mundo, mas se esquecem que não conquistam por causa da sua ociosidade. Se passassem menos tempo na frente da TV, grudados na internet ou andando a toa na rua perceberiam como as oportunidades são iguais a todos.

A diferença não é que alguns são privilegiados, eles simplesmente decidiram agarrar as oportunidades que Deus lhes deu. Os vencedores são pessoas que se aproveitaram das pequenas ocasiões, transformando-as em grandes conquistas. São aqueles que descruzaram os braços e foram em busca do seu sucesso.

22 agosto 2013

A Semente do Pecado

Como vencer essa luta cruel e implacável contra o pecado, visto que o ser humano tende a cometê-lo constantemente? Em muitos momentos parece que o seu poder é maior do que as nossas forças para vencê-lo.
Qualquer ser humano consciente de si poderá afirmar, com certeza, o quão difícil é suportar as investidas do inimigo, na tentativa de levar o homem a transgredir contra as leis divinas.
O pecado é um mal dominante, que tem como propósito principal destruir o relacionamento com Deus. Tudo em torno do pecado tem com o objetivo destruir essa relação.
Dessa forma, o objetivo principal do inimigo é induzir o homem ao erro, afastando-o cada vez mais do propósito original, que é desfrutar plenamente da presença de Deus em sua vida e de manifestar a sua glória na terra.
Entretanto, mesmo em meio a tanta dificuldade, é de responsabilidade individual vencer as ciladas arquitetadas pelo maligno. Sendo assim, utilizar a fraqueza da carne como desculpa para ceder à transgressão torna-se indesculpável.
Embora a semente do pecado esteja gravada na essência humana, precisamos compreender que a responsabilidade em controlar os desejos pecaminosos também está em nós.

Em todos os ensinamentos bíblicos sobre o assunto a Palavra de Deus diz que o homem tem o poder de escolher entre errar ou não. A santidade é uma busca diária de responsabilidade de todos aqueles que desejam um relacionamento pleno com o Senhor. 

ATENTOS AOS DETALHES