27 dezembro 2011

Qual Imagem Você Reflete?


Quando você se olha no espelho, ele reflete a imagem exata de quem você é. Todos os traços do seu rosto aparecem claramente na imagem refletida do outro lado. Cada marca facial, cada detalhe, até mesmo os imperceptíveis, estão estampados em seu reflexo.
Essa é uma das formas mais simples de refletir sua imagem exterior. Digo a mais simples, pois, a pessoa pode ser fotografada, desenhada, pintada, enfim, existem outras maneiras de refletir a imagem natural de alguém.
Agora, o que muitos se esquecem, é que além da imagem física, o homem também reflete sua imagem interior. O problema é que essa só pode ser capitada através das atitudes e palavras de uma pessoa.
Tudo que o indivíduo faz, seja bom ou mal, é um reflexo daquilo que está guardado em seu interior. Jesus disse aos seus discípulos que uma pessoa fala tudo aquilo do que seu coração está cheio. Em outras palavras, Ele estava dizendo que o reflexo interior de uma pessoa é fruto daquilo que governa o seu coração.
Ainda que tentem se justificar, é impossível que uma pessoa boa seja capaz de agir com maldade. Da mesma forma que é impossível um indivíduo ruim faça o bem. Como disse o Mestre, não pode uma fonte produzir água doce e água salgada ao mesmo tempo.
Toda atitude revela quem a pessoa realmente é. Dessa forma, aqueles que vivem na prática da mentira, estão apenas refletindo a imagem de mentiroso que tem seu coração. Os que vivem na prática da prostituição apenas refletem a face da prostituição que governa seu interior.
Por mais que em alguns momentos você se fantasie de outros personagens, as pessoas sempre ficarão sabendo qual é sua verdadeira imagem.
A única forma de mudar a imagem interior é através da mudança de comportamento. Isso ocorre quando há um arrependimento genuíno, aquele em que a pessoa reconhece seu erro e decide mudar. Caso isso não ocorra, o indivíduo pode até trocar os espelhos, mas a imagem será sempre a mesma.
O arrependimento é a plástica capaz de mudar a imagem interior refletida por uma pessoa. Mas, diferente do que muitos acreditam, ela só acontece quando há uma decisão individual em direção à mudança.

26 dezembro 2011

Como Você Administra Seu Tempo?


Um dos maiores problemas da atual geração tem sido a administração do tempo. As pessoas não sabem como administrá-lo, e por isso, o utilizam de forma descontrolada, desperdiçando preciosos momentos.
Todos sabem que o tempo não volta atrás. Aquilo que passou nunca mais irá se repetir outra vez. Por esse motivo, torna-se de extrema importância que o ser humano aprenda a utilizá-lo de forma corretamente.
O maior problema enfrentado pela maioria está justamente no fato de não saber como utilizá-lo corretamente. São pessoas descontroladas que não sabem discernir bem entre as prioridades de cada momento.
Portanto, algumas atitudes como organização, prioridade e zelo são essências para que um indivíduo possa utilizar bem o tempo que lhe fora dado pelo Criador. Sem elas, as pessoas acabam vivendo desordenadamente, deixando escapar segundos preciosos do seu dia.
Colocar organizar, priorizar e zelar, significa saber colocar limites, colocando em uma planilha aquilo que é mais importante em primeiro lugar, e deixando as menos importantes por último.
O Pregador diz o seguinte: “Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma.” (Eclesiastes 9:10).
Analisando o texto, podemos observar que o objetivo principal do autor é apontar a brevidade da vida, e ao mesmo tempo ensinar o leitor sobre a importância do bom uso do tempo.
Aqueles que administram bem o seu tempo aproveitam de forma mais eficaz a vida, além de conquistar todos os objetivos propostos em seu coração.
Como você administra seu tempo é fundamental para definir se irá alcançar os objetivos, ou se ficará as margens da vida resmungando por nunca ter chegado a lugar nenhum.

21 dezembro 2011

Deuses Pessoais


As pessoas estão vivendo a loucura do ter. Nessa busca desenfreada pelo sucesso, fama e dinheiro acabam perdendo a direção de suas vidas, e trocando aquilo que é perfeito e eterno por coisas meramente passageiras.
Diante disso é possível encontrar muita gente esculpindo para si seus próprios deuses, cada um deles de acordo com a vontade, desejo e meta do "adorador". São divindades de todos os tipos, e para todos os gostos.
Alguns querem um deus que supra suas necessidades amorosas, outros as financeiras, outros as materiais; tem até mesmo aqueles que querem um que seja capaz de se adequar a suas mentiras e pecados.
Poucas pessoas buscam a Deus se submetendo a sua vontade, buscando cumprir as suas palavras. A maioria busca um deus capaz de fazer tudo que querem.  Estão a procura de um gênio da lâmpada, que satisfaça todos os seus desejos.
O interessante é que quanto mais as pessoas se afastam do Eterno, fazendo para si deuses segundo seu próprio coração, mais frustradas elas ficam. Até mesmo aqueles que conseguem alcançar todos os objetivos almejados se encontram perdidos após toda odisseia que enfrentaram até o sucesso.
É como se um buraco estivesse aberto em seu peito e nada pudesse preencher. Um vazio toma conta da alma deixando apenas um gosto amargo de frustração e tédio. Tudo que conseguiram não foi capaz de satisfazer o verdadeiro desejo de seu coração.
Os deuses criados pela mente humana funcionam apenas como fuga para realidade que se apresenta diante deles. O problema é que são apenas fruto da sua própria imaginação, não tem poder para fazer, e nem mesmo para salvar.
O homem foi criado pelo Eterno para adorá-lo, ainda que busque em outros lugares, que crie para si outros deuses, nada pode preencher o vazio deixado pelo Único e Verdadeiro Deus. Por mais que a imaginação humana consiga criar novas divindades capazes de se adequar a sua ambição, a verdade é que nada toma o lugar do Todo Poderoso.
O Eterno está a todo o momento convidando sua criação a voltar seus caminhos para Ele. Segundo sua palavra o caminho de volta para sua presença está aberto, cabe a cada indivíduo decidir se irá ou não voltar. 

19 dezembro 2011

A Mudança de Caráter é uma Escolha


Somos conhecidos na comunidade onde vivemos pelo nosso padrão de conduta. Também podemos chamar esse padrão de caráter. Todo indivíduo, independente da posição social, é reconhecido por sua conduta diária.
Esse padrão é definido pelas suas atitudes, palavras, gestos. Pelas formas de agir e reagir em determinada situação. Tudo que o homem faz é primordial para definir em qual nível está seu caráter.
O mais interessante é que cada indivíduo irá manifestar o padrão de caráter de acordo com o reino a qual Ele pertence. Se ele faz parte do reino das trevas, suas atitudes demonstrarão isso, da mesma forma que será visível caso seja um representante do Reino de Deus.
Talvez alguns perguntem, o porquê de algumas pessoas que dizem servir a Deus ainda manifestarem atitudes de quando estavam no mundo. Isso se deve ao nível de abertura de coração, para ouvir e atender aos ensinamentos que estão sendo passados.
 Diante disso, alguns demoram mais tempo para mudar, outros são transformados mais rápido. Tudo dependerá da atitude diante do ensinamento que estão recebendo. A mudança de caráter é uma decisão, depende única e exclusivamente da escolha de cada um.
A desculpa mais ouvida pela maioria das pessoas é que não conseguem mudar seu caráter, suas atitudes parecem ser mais fortes do que sua vontade de mudar. Vivem como se fosse impossível mudar sua conduta.
O que não percebem é que essa desculpa é apenas mais uma armadilha utilizada para prendê-los em seus erros cotidianos. Essa é uma forma de impedir que o indivíduo perceba que é capaz de mudar, desde que tome uma atitude para isso.
Jesus ensinou a seus discípulos o seguinte: “E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me.” (Lucas 9: 23). Se observarmos as entrelinhas das palavras do Mestre, veremos que seu objetivo principal era instruir a todos sobre a importância da mudança de caráter que deve ocorrer diariamente na vida daqueles que decidem segui-lo.
A mudança de caráter é uma escolha individual, não depende do poder financeiro, do status, do ambiente em que vive ou da classe social. Ela depende única e exclusivamente da livre escolha de cada pessoa.

16 dezembro 2011

O Perigo da Dupla Personalidade

Todos os dias encontramos pessoas que vivem escondidas atrás de uma dupla personalidade. Seu objetivo principal é esconder aquilo que realmente são com atitudes e palavras mentirosas e que não apontam para realidade de suas vidas.
Esse tipo de comportamento é uma forma de fuga, utilizada por pessoas completamente feridas, envolvidas com pecado, ou com coração dilacerado pelas circunstâncias da vida.
O problema é que ninguém consegue enganar os outros por muito tempo. Quando a verdade se manifesta, a mentira é sempre revelada. Nesse momento, aqueles que vivem se escondendo atrás de uma mascara acabam perdendo toda credibilidade.
Quando um indivíduo perde a credibilidade ele fecha as portas dos relacionamentos, de trabalho e até mesmo amorosas na sua vida. As pessoas começam a olhar para eles com desconfiança, isso sem contar, que muitos acabam se afastando por não acreditarem mais em suas palavras e atitudes.
Pesando nisso, o Apóstolo Paulo adverte ao jovem Tito da seguinte maneira: “Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra incorrupção, gravidade, sinceridade.” (Tito 2:7).
Se observarmos as entrelinhas das palavras do apóstolo veremos que seu objetivo principal era ensinar o seu discípulo sobre os perigos da dupla personalidade, e como ele deveria agir para evitar tal julgamento.
Tito deveria viver de tal forma que os outros passariam a olhar para sua vida como exemplo. Quando uma pessoa tem seu caráter ilibado, todos os que estão a sua volta tem prazer de estar perto, de viver em comunhão, de ouvir as suas palavras.
Por mais habilidoso que seja o mascarado, por mais estratégias que tenha, a verdade sempre prevalecerá sobre a mentira. Ninguém vive a vida inteira se escondendo atrás da dupla personalidade sem ser descoberto.
A vida é feita de escolhas, algumas delas nos levam a alcançar a credibilidade e o respeito na comunidade onde vivemos, outras destroem, completamente, os relacionamentos que foram construídos. Cabe a cada indivíduo decidir a forma como será conhecido por aqueles que estão a sua volta.

14 dezembro 2011

Alcançando a Liberdade Sentimental


A todo o momento as pessoas são confrontadas por sentimentos maliciosos, que tem como único objetivo paralisar o indivíduo, e impedi-lo de alcançar os projetos que foram predeterminados.
Por incrível que pareça, eles sempre surgem em momentos decisivos da vida, aqueles em que é preciso tomar uma decisão. Parecem fantasmas que tentam assombrar, destruindo as forças, trazendo insegurança e medo.
Poderíamos relacionar uma lista, quase que incalculável deles, mas nos ateremos a apontar apenas os mais comuns, aqueles que normalmente atacam a maioria das pessoas, afinal, são sempre os mesmos.
São sentimentos como: o medo, o desânimo, a fraqueza, a insatisfação, o complexo de inferioridade, e muitos outros, que bombardeiam a mente humana trazendo confusão, e em muitos casos, levando a desistência.
Algumas pessoas, por não saberem controlar tais pensamentos, beiram a linha da loucura, outros simplesmente desistem daquilo que estavam buscando por acharem-se incapazes diante dos problemas propostos por esses sentimentos.
A Bíblia diz em Isaias que Jesus levou sobre si as nossas dores e enfermidades. Isso significa que Ele morreu para que o homem fosse completamente sarado em todas as áreas de sua vida, e isso inclui a área sentimental.
A liberdade alcançada pelo Messias na cruz do calvário tinha como objetivo libertar o homem do pecado, restaurar sua comunhão com o criador e ao mesmo tempo sará-lo de toda ferida que venha atacar tanto o corpo físico como a alma humana.
Deus não criou o homem para viver infeliz, preso a sentimentos destruidores, com sua alma cativa da depressão. Ele o criou para ser e viver feliz todos os dias.
O inimigo é quem tem o interesse de manter você preso a esses sentimentos, de manter cativa sua alma, pois enquanto isso ocorrer ele o terá em suas mãos, debaixo do seu controle.
Jesus disse que quando Ele liberta uma pessoa, nesse momento ocorre uma verdadeira libertação. Isso significa que nada mais pode prender o indivíduo, nada pode mantê-lo cativo, pois o Messias o libertou.
Independente da barreira sentimental que você esteja vivendo, lembre-se sempre de que Jesus deseja libertá-lo. Ele não tem prazer em vê-lo cativo de sentimentos que apenas destroem sua felicidade.

12 dezembro 2011

O Amor é Altruísta


Todos os dias encontramos pessoas buscando um milagre. Alguns o querem para si, outros estão à procura para alguém a quem amam. A verdade é que todos, de alguma forma, precisam ver a intervenção de Deus em suas vidas.
A história abaixo é um pequeno exemplo de alguém que decidiu abrir mão daquilo que era seu, para ver outra pessoa sendo abençoada. Ela aponta para busca da realização daquilo que crê na vida das pessoas a quem ama. Vejamos:
“Uma garotinha foi para o quarto e pegou um vidro de geleia que estava escondido no armário e derramou todas as moedas no chão. Contou uma por uma, com muito cuidado. Colocando as moedas de volta no vidro e tampando-o bem, saiu pela porta dos fundos em direção à farmácia Rexall, cuja placa acima da porta tinha o rosto de um índio.
- O que você quer? - perguntou o farmacêutico irritado.
- Estou conversando com o meu irmão de Chicago que não vejo há anos - explicou ele sem esperar uma resposta.
- Bem, eu queria falar com o senhor sobre o meu irmão - respondeu Tess no mesmo tom irritado.
- Ele está muito, muito doente mesmo, e eu quero comprar um milagre.
- Desculpe, não entendi. - disse o farmacêutico.
- O nome dele é Andrew. Tem um caroço muito ruim crescendo dentro da cabeça dele e o meu pai diz que ele precisa de um milagre. Então eu queria saber quanto custa um milagre.
- Garotinha, aqui nós não vendemos milagres. Sinto muito, mas não posso ajudá-la. - explicou o farmacêutico num tom mais compreensivo.
- Eu tenho dinheiro. Se não for suficiente vou buscar o resto. O senhor só precisa me dizer quanto custa.
O irmão do farmacêutico, um senhor bem aparentado, abaixou-se um pouco para perguntar à menininha de que tipo de milagre o irmão dela precisava.
-   Só sei que ele está muito doente e a minha mãe disse que ele precisa de uma operação, mas o meu pai não tem condições de pagar, então eu queria usar o meu dinheiro.
- Quanto você tem? - perguntou o senhor da cidade grande.
-   Um dólar e onze cêntimos, e não tenho mais nada. Mas posso arranjar mais se for preciso.
- Mas que coincidência! - disse o homem sorrindo - Um dólar e onze cêntimos! O preço exato de um milagre para irmãozinhos!
Pegando o dinheiro com uma das mãos e segurando com a outra a mão da menininha, ele disse:
- Mostre-me onde você mora, porque quero ver o seu irmão e conhecer os seus pais. Vamos ver se tenho o tipo de milagre que você precisa.
Aquele senhor elegante era o Dr. Carlton Armstrong, um neurocirurgião. A cirurgia foi feita sem ônus para a família, e depois de pouco tempo Andrew teve alta e voltou para casa.
Os pais estavam conversando alegremente sobre todos os acontecimentos que os levaram àquele ponto, quando a mãe disse em voz baixa:
- Aquela operação foi um milagre. Quanto será que custaria?
A garotinha sorriu, pois sabia exatamente o preço: um dólar e onze cêntimos! Mais a fé de uma criancinha.”

Normalmente, as pessoas são extremamente egoístas, procuram somente a realização para suas próprias vidas. Mas, podemos aprender com essa criança que um milagre pode começar a acontecer quando decidimos abrir mão de nossas próprias vontades, para que outros sejam curados.
Aquela menina abriu mão de suas pequenas economias, a fim de ver seu irmão sendo curado do problema que tinha. Não sabemos para que ela estava juntando dinheiro, qual era seu objetivo. Mas, com certeza, seu amor pelo irmão era muito maior do que qualquer quantia que pudesse juntar.
A Bíblia diz que o amor não é egoísta, ele não busca seus próprios interesses, mas se satisfaz vendo realizado no outro a felicidade que procura para si mesmo. Alguns talvez pensem que o tema principal dessa história seja o milagre, mas na verdade, seu pano de fundo gira em torno de algo muito maior, o AMOR.
O amor se doa a ponto de buscar satisfazer o bem na vida dos outros, mesmo que para isso tenha que abrir mão daquilo que almeja. Ele é extremamente altruísta. Sua felicidade está condicionada a alegria estampada no rosto dos outros.

09 dezembro 2011

Voltando a Essência


"Porque dEle, e por Ele, e para Ele, São todas as coisas; a ele a glória, eternamente. Amém." (Romanos 11:36).
Hoje, mais do que em qualquer outra época da história, tem sido difícil falar sobre o conceito de honra, glória e submissão. A maioria vive como se não houvesse autoridade alguma, pior do que isso, perderam o temor de Deus.
As pessoas não se preocupam mais em conduzir suas vidas segundo a vontade do Eterno, já não se importam mais com suas palavras, viraram as costas para o Senhor de toda criação. Estão mais preocupados com aquilo que podem receber, do que propriamente adorar e glorificar ao Senhor.
Esquecem-se de que o dom da vida foi dado por Ele. Essas pessoas vivem como se não houvesse amanhã, envolvidas em tantas ilusões quanto sua pobre mente possa acreditar.
Esse é um tempo de apostasia, já profetizado pelo Senhor Jesus, e que tem arrebatado o coração de uma multidão. São pessoas que decidiram viver sem Deus, que optaram por caminhar sem o Criador, e fazem de sua vida um palco de ilusão.
Quando Paulo declarou essas palavras, ele tinha completa visão da importância em não perder o foco de quem Deus era para ele. O apóstolo vivia como se qualquer coisa fosse menos importante do que o Eterno. Tudo era secundário na visão daquele grande homem.
Diferente da geração que vivemos, onde tudo é colocado acima de Deus, onde cada interesse pessoal tem prioridade, todos os desejos da alma devem ser atendidos de imediato, afinal de contas, eles são a única coisa que importa.
Aqueles que perdem a visão de quem é Deus, que deixam de glorificá-lo e exaltá-lo em tudo nas suas vidas, tornam-se como árvores secas, que tem o restante de suas folhas arrancadas pelo vento.
O propósito do Senhor é ser glorificado através da vida daqueles que o buscam. Diante disso, é preciso voltar à essência, colocar o Eterno na parte principal de sua vida e fazer tudo para que Ele seja sempre exaltado.
 "Porque dEle, e por Ele, e para Ele, São todas as coisas; a ele a glória, eternamente. Amém." (Romanos 11:36).

08 dezembro 2011

Quanto vale uma vida?


Todos os dias acompanhamos nos jornais histórias de pessoas enfurecidas que acabam com a vida de outro por dinheiro. Parece que o ser humano perdeu seu real valor e que agora sua história se resume há algumas cédulas de papel moeda sem valor algum.
Creio que você já tenha assistido há algum telejornal, ou tenha lido em outro lugar, sobre pessoas que foram assassinadas, covardemente, por algum motivo torpe. Normalmente, aqueles que fazem esse tipo de coisa tentam se justificar jogando a culpa para cima do outro.
Certa vez ouvi a história de um rapaz que pediu emprestados dois reais a um conhecido, sua justificativa era de que seria para inteirar a passagem de ônibus. Diante da recusa da vítima, ele sacou uma arma e a matou.
A vida humana tem sido banalizada através das atitudes de homens e mulheres completamente enlouquecidos em seu ódio e rancor. Gente que já perdeu o senso do que é certo ou errado, que já não consegue mais sentir culpa quando comete esse tipo de barbaridade.
A maldade humana aumenta à medida que ela vai se afastando de Deus. Quanto mais longe do criador, piores são suas atitudes. Tanto, que alguns começam a matar por prazer, eles sentem alegria em ver a pessoa morrendo.
Vivemos uma época em que a banalização da vida vem tomando conta da sociedade. Onde uma pessoa tem a coragem de entrar em uma escola e atirar contra crianças inocentes. O outro mata um pai de família por um simples esbarrão no meio da rua. É a vida perdendo seu valor.
Esse tipo de atitude é completamente contrária àquela ensinada por Jesus. Segundo suas palavras, nós devemos amar o nosso próximo como a nós mesmos. Mais do que isso, devemos amar nossos inimigos, e nos tornarmos intercessores deles diante do Eterno.
O carro chefe da vida é o “amor”. Sem ele todas as outras coisas perdem o sentido, perdem o valor e a alegria. Quando um indivíduo decide amar as pessoas que estão a sua volta, ele deixa de lado todas as amarguras e o ódio que poderiam dominar seu coração, para buscar a realização de ver o outro feliz.
O Senhor agiu dessa maneira, mesmo quando todos o humilhavam, o maltratavam e o renegavam, Ele permaneceu firme em seu propósito de amar a humanidade, mesmo que isso lhe custasse à vida.
O Mestre ensinou que a vida humana vale muito mais do que o dinheiro possa pagar, vale muito mais do que os bens adquiridos, vale muito mais do que a herança que alguém possa ganhar. Ele nos ensinou a valorizar a vida mais do que qualquer outra a coisa. 

07 dezembro 2011

Seguir a Jesus Implica Mudanças


“E Jesus, passando adiante dali, viu assentado na recebedoria um homem, chamado Mateus, e disse-lhe: Segue-me. E ele, levantando-se, o seguiu.” (Mateus 9:9).
Todos os dias somos convidados a seguir a Jesus. O mais interessante é que esse convite não depende de mais ninguém, ele é uma atitude voluntária, e requer completa da pessoa que decidiu caminhar junto com Jesus.
Quando Jesus passou diante de Mateus e o convidou a segui-lo, aquele homem não tinha a menor noção do que lhe esperava no futuro. Ele não sabia onde iria viver, como iria viver, quais seriam suas recompensas, ou que poderia ganhar em troca. Tudo que sabia era que tinha recebido um chamado.
Diferente do que ouvimos falar na maioria dos lugares, o Senhor não fez nenhum tipo de promessa aquele homem, Ele não lhe falou de como seria próspero, ou de quanto poderia ganhar, apenas o convidou a segui-lo.
Também não significa que Mateus permaneceria da mesma maneira, esse ato de seguir estava mais ligado ao discipulado, do que a uma mera caminhada atrás de uma pessoa.
Quando aquele coletor de impostos recebeu o convite, ele sabia que estava sendo chamado para ser discípulo de Yeshua. Isso implicaria em uma completa mudança de vida.
Tudo que as pessoas não querem é uma mudança de vida. O que vemos hoje em nossas comunidades são pessoas tentando adequar o evangelho a suas próprias vontades, ao invés de seguir aquilo que é ensinado.
A maioria das pessoas está mais preocupada em ser seguido por Jesus, do que segui-lo. Houve uma inversão total de valores, todos querem um deus que faça todas as suas vontades.
Seguir ao Messias implica em mudança de vida, transformação no caráter. Aqueles que decidem andar com o Mestre devem entender que isso requer mudança completa de atitude.
Mateus sabia que sua vida nunca mais seria a mesma, que sua decisão iria trazer uma mudança radical em sua vida. Ele entendia que ser discípulo era aprender com o Mestre.
Vivemos dias em que discípulos querem ensinar o Mestre como, o que e quando fazer. Não são mais eles que devem ouvir as palavras de Jesus.
O convite ainda está aberto, todos os dias somos convidados a seguir o Mestre, cabe a cada um escolher se irá obedecer ao chamado, ou não. Mas, aqueles que decidem segui-lo devem ter em mente que isso implica em viver, diariamente, uma mudança de vida segundo os padrões do Reino de Deus. 

06 dezembro 2011

A Arte da Desculpa


Tenho a certeza de que você já ouviu várias histórias mirabolantes vindas de indivíduos sem noção alguma de senso do ridículo. São histórias tão bizarras que às vezes fica difícil de acreditar que a pessoa foi capaz de contá-la.
Existem também aqueles que são mais discretos, contam história mais dentro da normalidade. Esses inventam alguma coisa, aumentam em algum ponto, mas nunca exageram naquilo que estão falando.
É verdade que inventar algum tipo de desculpa já faz parte da vida de uma pessoa desde pequena. Ainda quando criança já se começa a inventar algum tipo de história, sempre com o objetivo de se safar em uma determinada situação.
O problema é que se não for tratado logo no início, às pessoas crescerão elaborando diversas desculpas, sempre com a finalidade de fugir de algum tipo de responsabilidade que lhe seria imputada.
Alguns indivíduos são tão habilidosos em criar desculpas que acabam enganando, durante muito tempo, aqueles que estão a sua volta. É como se a mentira passasse a fazer parte de seu caráter e a desculpa surgisse de forma natural.
O problema é que esse tipo de pessoa acaba se enredando cada dia mais nas mesmas mentiras que criou. Alguns já estão tão acostumados que não conseguem mais discernir entre e a realidade e aquilo que inventaram para fugir dela.
A Bíblia nos ensina que devemos ser sempre verdadeiros, mesmo que estejamos em uma posição onde a desculpa pareça ser a melhor alternativa, devemos agir de forma correta, contando sempre a verdade.
Aqueles que vivem inventando algum tipo de história sempre são pegos em algum momento. Ninguém consegue manter uma mentira a vida inteira. A farsa sempre apresenta pontos de fragilidade que acabarão levando o indivíduo à vergonha pública.
Outro fator interessante é que aqueles que vivem agindo dessa forma perdem o respeito daqueles que estão a sua volta, além de se tornarem estigmatizados pela mentira que sempre contaram.
Uma pessoa pode se enganar, e enganar a muitos, todos os dias com desculpas estonteantes, dignas de um óscar, mas elas nunca enganarão a Deus o tempo todo. Chega uma hora em que Ele decide manifestar a verdade, e nesse momento vem à vergonha para aqueles que decidiram viver inventando desculpas.

05 dezembro 2011

Cuidado com o Julgamento Injusto


Há alguns dias atrás li um artigo interessante, e que estarei reproduzindo abaixo. Preste a atenção, pois muitas das vezes agimos da mesma maneira com aqueles que estão a nossa volta. Outras vezes somos as vítimas, ou simplesmente os espectadores.
"Conta uma antiga lenda que na Idade Média um homem muito religioso foi injustamente acusado de ter assassinado uma mulher. Na verdade, o autor do crime era uma pessoa influente do reino e por isso, desde o primeiro momento, procuraram um "bode expiatório" para acobertá-lo.
O inocente foi levado a julgamento, já temendo o resultado: a forca. Ele sabia que tudo iria ser feito para condená-lo e que teria poucas chances de sair vivo dessa história.
O juiz, que também estava envolvido na armação, simulou um julgamento justo, fazendo uma proposta ao acusado que provasse sua inocência.
Disse o juiz: “sou de uma profunda religiosidade e por isso vou deixar sua sorte nas mãos do Senhor. Escreverei em um pedaço de papel a palavra inocente e no outro pedaço a palavra culpado. Você sorteará um dos papéis e aquele que sair, será o veredicto. O Senhor decidirá seu destino, determinou o juiz.
Sem que o acusado percebesse, o juiz preparou os dois papéis, mas em ambos escreveu culpado, de maneira que naquele instante, não existia nenhuma chance de o acusado se livrar da forca. Não havia saída. Não havia alternativas para o pobre homem.
O juiz colocou os dois papéis em uma mesa e mandou o acusado escolher um. O homem pensou alguns segundos, aproximou-se confiante da mesa, pegou um dos papéis e rapidamente colocou na boca e engoliu.  
Os presentes ao julgamento reagiram surpresos e indignados com sua atitude. "Mas o que você fez? E agora? Como vamos saber qual seu veredicto?".
O inocente respondeu prontamente: "É muito fácil, basta olhar o pedaço que sobrou e saberemos que acabei engolindo o contrário." Imediatamente o homem foi liberado." (Extraído do Blog Contos e Poesias).
A Bíblia nos ensina que Deus abomina a balança enganosa, Ele despreza aqueles que agem de forma desonesta no julgamento feito a outras pessoas.
Jesus advertiu aos seus discípulos da seguinte forma: “Não Julgueis, para que não sejais julgados. Porque com juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que estiverdes medido vos hão de medir a vós.” (Mateus 7: 1, 2).
Todas as vezes que alguém levanta falso testemunho de outra pessoa está assinando um atestado de culpa diante do Juiz de toda a terra e automaticamente atraindo sobre sua vida maldição. 

02 dezembro 2011

O Perigo por trás das pequenas coisas


Como já observamos em outro artigo, não podemos deixar passar despercebidas as pequenas coisas que aparecem em nossa vida, pois nelas podem estar escondidas grandes oportunidades de crescimento. Em contra partida, também é preciso ficar atento nas pequenas coisas, afinal de contas, nelas também se escondem grandes perigos.
Um bom exemplo disso são as aranhas da espécie viúva- negra. Esse pequeno aracnídeo, que mede cerca de um centímetro, mas tem uma das picadas mais venenosas do mundo. Esse é apenas um pequeno exemplo, existem muitos outros animais espalhados pela natureza, que destilam morte e destruição em seus venenos.
Normalmente, nos preocupamos com as grandes coisas, e nos esquecemos do perigo escondido nas mínimas. Imagine o poder destruidor de pequenas palavras, pequenas atitudes, na vida de um indivíduo. Elas podem até matar física e emocionalmente uma pessoa.
Um adultério, por exemplo, não começa com os dois corpos jogados na cama. Antes que isso aconteça vieram os olhares, pequenas frases maliciosas, um elogio aparentemente despretensioso, um presente, até chegar ao ato consumado.
O alcoólatra, não se viciou na primeira vez que bebeu. Primeiro veio uma prova para saber como era, depois um copo, uma garrafa, um engradado, até chegar ao ponto mais crítico na vida do indivíduo.
Existem vários outros exemplos que poderiam ser citados aqui de como tropeçamos nas pequenas coisas. Isso porque, estamos sempre vigilantes naquilo que consideramos grande ou perigoso, mas damos pouco valor àquilo que imaginamos ser desprezível.
Ignorar as pequenas coisas pode ser o começo de uma destruição completa na vida de uma pessoa. Agir dessa forma é o mesmo que subestimar o inimigo, que está a todo o momento rodeando, para tentar tragar os mais desatentos, ou desavisados. Muitas das vezes ele está disfarçado, como pequeno animal peçonhento, esperando uma brecha para atacar.
O pecado também se apresenta de forma sútil e venenosa. Às vezes parece algo quase que insignificante, mas depois de cometido acaba trazendo grandes consequências para aqueles que cederam a suas tentações.
É preciso aprender a observar as pequenas coisas, pois nelas também estão escondidos alguns animais peçonhentos, a espera dos desatentos, para que possa infectá-los com seu veneno mortal.

01 dezembro 2011

Aprenda a Valorizar as Pequenas Coisas


O homem precisa aprender a valorizar as coisas simples da vida. Aquelas que normalmente passam despercebidas diante dos olhos todos os dias e a maioria não vê, parecem estar invisíveis aos olhos mais desatentos.
São nas pequenas coisas que estão escondidos os maiores tesouros. Quem imaginaria que em uma pequena ostra estaria guardada uma pedra valiosa? Como imaginar que em meio à lama seria possível encontrar o diamante e o ouro? Isso sem contar os inúmeros seres espalhados na natureza que seu tamanho parece insignificante, mas que são de valor e beleza inigualáveis.
Os grandes homens da história, antes de serem reconhecidos eram pequenos, imperceptíveis. Ninguém sabia quem eram, não davam nada por eles. Um bom exemplo disso foi o rei Davi. Um garoto, que quando chegou diante de Golias foi ridicularizado por ele, mas que gravou seu nome na história.
Outro exemplo é o de José, que foi humilhado e rejeitado pelos seus irmãos, mas terminou como um dos maiores homens do seu tempo, e até hoje é lembrado. Uma pequena semente é capaz de se transformar em um grande carvalho. Ninguém começa sua trajetória grande.
Para alcançar o sucesso é preciso saber aproveitar as oportunidades, por menor que pareçam, e fazer delas uma escada para alcançar seus objetivos.
O grande segredo da vida está em saber valorizar as pequenas coisas dadas por Deus. Se uma pessoa não é capaz de administrar e valorizar aquilo que considera insignificante, como poderá cuidar das grandes coisas que espera receber?
Aprender a dar valor àquilo que Deus tem lhe proporcionado faz parte da sabedoria da vida, pois nelas estão escondidos os maiores tesouros do mundo. Você pode escolher entre valorizá-los, ou desprezá-los. Tudo é uma questão de escolha.

PROFISSIONAIS HUMANOS