30 maio 2011

As Críticas Servem para Avaliar seu Trabalho

É sempre bom olhar para trás e ver que seu trabalho foi realizado com sucesso, que tudo saiu dentro daquilo que havia sido planejado. É como se todo esforço fosse recompensado pela certeza de trabalho bem feito e da satisfação com que os outros reagiram diante daquilo que você fez.
Algumas pessoas dizem não se preocupar com que os outros pensam do seu trabalho, para elas isso não tem importância, mas se observarmos bem, a verdade é que, quando fazemos alguma coisa devemos esperar algo de positivo ou negativo das pessoas que estão a nossa volta.
Diferente do que a maioria pensa, as críticas, sejam elas positivas ou negativas, fazem parte da avaliação do trabalho. É através delas que observaremos onde, como e o que precisamos mudar para o próximo empreendimento. O grande problema é que esse a maioria das pessoas não sabem ouvir críticas, não sabem avaliar seu desempenho e acabam repugnando os outros por causa disso.
Todas as vezes que fazemos alguma coisa precisamos estar abertos às críticas que vem das outras pessoas, pois, com certeza, elas trarão crescimento e maturidade para a próxima jornada de trabalhos.
É claro que precisaremos estar atentos a tudo aquilo que é falado, porque muitas vezes as pessoas utilizam esse momento para fazer alguns tipos de comentários que não são necessários, que não trazem nenhum crescimento e que são maldosos, tem o único objetivo de denegrir a imagem e o trabalho que a pessoa fez.
Sempre haverá em nosso meio pessoas invejosas, com o coração cheio de sujeiras e que não conseguem dividir com os outros seus momentos de vitória, mas elas não devem ter a atenção principal, aliás, seus conselhos nem servem para nada.
Existe um ditado que trata muito bem sobre isso, ele diz o seguinte: “coma o peixe e jogue a espinha fora”, em outras palavras, ouça o que as pessoas têm a dizer, retenha o que é bom e aquilo que não presta jogue fora, ou deixe de lado.
Saber ouvir os bons conselhos faz parte da sabedoria de um homem, no livro de Provérbios o autor diz que: “o sábio ouvirá e crescerá em conhecimento, e o entendido adquirirá sábios conselhos.” (Provérbios 1: 5). Saber ouvir os conselhos, ou porque não dizer as críticas, faz parte do crescimento dos sábios.
O grande problema é que a maioria das pessoas recebem as críticas como se fossem nocivas, maliciosas e destrutivas. Algumas até são, mas nem todas, saber fazer a distinção é uma questão de sabedoria.
Segundo o autor do livro de Provérbios a crítica, ou um bom conselho, é tão gostoso quanto o perfume ou a doçura do mel, pois eles alegram a alma do receptor e lhe trazem direção.
Portanto, não basta fazer um bom trabalho, é necessário também saber ouvir as pessoas que estão a sua volta, pois através delas você terá a avaliação correta de como foi desenvolvido o projeto, o que melhorar e como foi à recepção do público.

27 maio 2011

Vencendo a Incerteza Através da Fé

Falamos em fazer sempre o melhor, nunca desanimar, nunca desistir, estar sempre sorrindo como se tudo a nossa volta estivesse sobre controle. Mas como fazê-lo quando as coisas não vão bem? Como sorrir quando a vontade é de chorar? Como animar quando se está desanimado? Como falar em solução se a nossa frente estão os problemas?
Estas são perguntas normais no cotidiano de muitas pessoas, daqueles que não encontram mais solução, que não sabem mais para onde ir e nem mesmo o que fazer. Quando os problemas vêm trazem junto com eles a incerteza e a incredulidade natural do ser humano.
Esses são pensamentos naturais que tomam conta da mente e dos sentimentos das pessoas em questão de segundos. Se o homem não decidir vencê-los provavelmente sucumbirá diante deles, perdendo por completo toda a fé que possui.
Certa vez Jesus contou a história de dois homens, um deles fez uma bela casa, a ornamentou, cercou de muros, mas não a construiu sobre fundamentos sólidos, segundo o Mestre aquele homem havia construído sua casa na areia. Isso aponta para algo sem sustentação, que pode ser abalado facilmente e até mesmo derrubado.
O segundo homem também fez uma bela casa, a ornamentou e murou da melhor forma possível, mas a diferença é que esse havia feito sua casa na rocha, com fundamentos firmes e inabaláveis.
Um dia o vento soprou muito forte naquele lugar, a casa que havia sido feita na areia foi completamente destruída, enquanto a casa que o homem fez firmada na rocha permaneceu firme, não foi abalada.
O interessante é que com certeza todas as duas casas foram atacadas pelo vento, as duas famílias ouviram os barulhos, o som ensurdecedor do vento batendo nas janelas, mas a diferença era que em uma pairava a certeza e a segurança, enquanto na outra a incerteza e a insegurança.
Jesus nunca disse que nossa vida seria isenta de problemas ou dificuldades, pelo contrário, Ele disse que no mundo teríamos muitas aflições, mas o que faria a diferença seria a fé de que nossas casas estão fundamentas na rocha que é Cristo. E mesmo que o vento sopre, que os problemas venham para abalar a fé, isso não seria possível, pois o fundamento é sólido o bastante para manter a estrutura de pé.
Não podemos deixar que os barulhos do vento que batem na janela tomem o controle de nossas vidas trazendo o medo, a incerteza, o descontrole e a insegurança. O vento pode até soprar do lado de fora, mas dentro há o controle e segurança que só o Altíssimo poderia nos dar.
Portanto, embora sejam naturais, não há motivos para ficar paralisado, olhando para as dificuldades como se elas fossem algo intransponível. Devemos acreditar que esse vendaval, embora forte, irá passar, e logo veremos o brilho do sol.
Podemos até mesmo ser confrontados pelas perguntas do início, mas é preciso ter a certeza de que elas fazem parte apenas do barulho provocado pelo vento, que não poderão abalar a estrutura de nossa casa, pois ela está fundamentada na Rocha. Precisamos viver a fé que realmente vence as incertezas.

26 maio 2011

Quebrando as Cadeias

Você já pensou em sair de casa e descobrir que seu portão está trancado por um cadeado que não é o seu? Como você se sentiria ao saber que algum engraçadinho passou a noite e trocou seu cadeado sabe-se lá por quê? Isso é o que tem acontecido com os moradores da cidade de Cravinhos, no interior de São Paulo.
O que parece uma brincadeira por parte dos marginais, para quem não sabe esse tipo de coisa é crime, vem causando constrangimentos e muitas reclamações por parte da população da cidade. Isso porque, muitas pessoas têm perdido compromissos importantes ao descobrir que estão trancadas dentro da própria casa sem poder sair.
Até conseguir abrir ou arrombar o cadeado já se passaram alguns minutos importantíssimos, isso quando não é necessário esperar a boa vontade de alguém para abri-lo por não ter as ferramentas necessárias para fazê-lo.
O mais interessante é que muitas vezes esse tipo de coisa também acontece na vida sentimental das pessoas. Elas vivem trancadas em seu coração por causa da atitude de outros indivíduos que lhes causaram dor, mágoa, rancor, ódio e decepção.
Existem inúmeras pessoas  que estão com a porta dos seus sentimentos trancada por fora porque em algum momento de suas vidas, por uma pequena distração ou deslize, alguém colocou um sentimento, que agora funciona como cadeado e que impede a pessoa de sair, de ser feliz. Para essas pessoas, é como se alguém estivesse passado à noite perto do seu portão, trocado os cadeados e as trancado lá dentro impedindo sua passagem.
São pessoas marcadas por frustrações, decepções, rancor, raiva, ódio e insegurança. Elas não conseguem manter nenhum tipo de relacionamento, vivem trancadas em seu mundinho interior alimentando sentimentos como depressão, todos os tipos de fobia, ressentimento e solidão. O pior é quando já estão acostumadas a essa situação e começam agir impedindo que outros possam ajudá-las a sair.
Mas existe uma esperança. A Bíblia diz em Isaias o seguinte: “Eu, o Senhor, te chamei em justiça, e te tomarei pela mão, e te guardarei, e te darei por aliança do povo, e para luz dos gentios. Para abrir os olhos dos cegos, para tirar da prisão os presos, e do cárcere os que jazem em trevas.” (Isaias 42: 6, 7).
Essas palavras apontam para obra que o Messias realizaria na vida das pessoas cativas pelas obras do maligno. Se observarmos todo o contexto veremos que Deus enviou Jesus ao mundo para libertar os cativos.
Portanto, as pessoas não precisam viver presas, cheias de sentimentos ruins que só servem para destruir suas vidas e bloquear seus relacionamentos. Cristo veio para que a humanidade pudesse ser livre, para que a alegria de Deus invadisse os corações trazendo vida em abundancia.
Ele veio para quebrar as cadeias e pegar os cadeados colocados nos corações pelo inimigo, destruí-los e trazer completa liberdade a todos os que desejarem alcançá-la. Não importa quanto tempo esteja preso por esses sentimentos, o que importa é que Jesus veio para libertá-lo.

24 maio 2011

A VIOLÊNCIA URBANA

Ficamos estarrecidos esses últimos dias com crimes banais que vêm ocorrendo em nosso País, em todas as regiões. É como se um espírito de violência estivesse pairando e trazendo destruição, assassinato, estupros, dentre outros tipos de violência, que só de pensar já causa repulsa e indignação em qualquer pessoa.
Parece que a vida perdeu o valor; que as pessoas não têm mais importância, tudo que importa, para essa geração, é o vil metal. Vemos isso cada vez que abrimos o jornal para ler; todas as vezes que ligamos o noticiário.
Há alguns dias atrás os jornais noticiaram uma onda de violência, seguida por arrastões e assaltos no Rio de Janeiro. Os bandidos passaram roubando carros, bolsas, relógios, dentre outros objetos ameaçando e agredindo aqueles a quem abordavam. Nem mesmo uma criança de três meses foi absolvida pelos marginais que atuam como se fossem juízes.
Em outra notícia um jovem mata outro em uma briga por causa de dois Reais. Uma senhora foi brutalmente assassinada pelo neto enlouquecido, que queria dinheiro para comprar drogas. O filho mata os pais para ficar com dinheiro da herança. Essas e outras notícias são constantes em nossos noticiários diariamente.
Diante de tanta violência, a sociedade tem vivido cativa dentro de suas próprias casas, com medo e sem poder confiar nem mesmo nas pessoas da própria família. Que mundo é esse? Onde iremos parar? Parece-nos que a vida perdeu o valor.
Por incrível que pareça, até mesmo nos lugares onde encontraríamos segurança, já não podemos mais confiar. Algumas pessoas têm manchado o seu sacerdócio, vendido o seu ministério, por algumas moedas de prata transformando o sagrado em banal, incorrendo no mesmo erro de Judas.
O Senhor Jesus, antes de ser crucificado, já havia alertado a seus discípulos sobre as ondas de violência que ocorreriam nos últimos dias.  Se analisarmos o texto sem preconceitos, olhando nas entrelinhas, perceberemos que Jesus estava dizendo que nesse tempo o nível de violência e a falta de valor humano seriam tão grandes que alcançariam até mesmo o bem mais precioso do homem, o seio familiar.
A desvalorização da vida, a quebra de valores humanos, o apego exacerbado ao dinheiro, etc. tem sido a marca dessa geração, o que nos leva a pensar sobre o valor que temos dado a nossos semelhantes.
A Bíblia nos ensina que Deus amou o mundo de uma maneira tão extraordinária que entregou o bem mais precioso que Ele tinha, o seu único filho, para pagar o preço pela nossa redenção. Mais do que ninguém, o Criador valorizou a vida humana como nenhuma outra pessoa já foi capaz de fazer.
Portanto, embora prefigurada por Jesus, essa onda de violência e desvalorização da vida são propostas contrárias as ensinadas pelo Mestre, sendo um estratagema do príncipe deste século, para destruir a obra e os valores mais importantes pela qual o Messias morreu.
A vida cristã custou o sacrifício de Jesus na cruz do calvário para que nós possamos alcançar a salvação e vivermos em paz.

19 maio 2011

Todo Empreendimento Requer Compromisso


Quando falamos em compromisso a primeira coisa que vem a lembrança da maioria é o relacionamento a dois, mas o que muitas pessoas se esquecem é de que na verdade ele faz parte de todo tipo de relacionamento que os homens estejam envolvidos. Mais do que isso, todo empreendimento requer compromisso.

Parece que nos últimos dias alguns conceitos têm ficado esquecidos no coração e na mente das pessoas. Elas estão acostumadas a viver de forma tão desordenada que acabam perdendo a visão das coisas fundamentais para que possam crescer.
É difícil falar em compromisso para uma geração completamente descompromissada, onde o ficar passou a fazer parte do cotidiano da grande maioria e tem contaminado até mesmo pessoas da própria igreja.
Mas, a verdade é que, ninguém consegue ser bem sucedido se não tiver completamente compromissado com o projeto que colocou em seu coração. Ninguém consegue vencer movido por um compromisso superficial.
A maioria fracassa porque perdeu a visão do compromisso. Fazem as coisas de qualquer maneira pensando que dessa forma conseguirão alcançar seus objetivos, mas acabam sucumbindo diante das dificuldades.
Estar compromissado com algo é obrigar-se a cumprir aquilo que foi proposto. Isso fala de entrega, de responsabilidade, de tornar-se responsável por determinada tarefa. Seja nos relacionamentos interpessoais, nos relacionamentos afetivos ou nos projetos da vida, o homem só alcançará o devido sucesso se realmente estiver comprometido com a causa que defende.
Não basta dizer que está junto, não basta casar, não basta discurso, para alcançar seus objetivos é necessário abrir mão de determinadas vontades, de alguns desejos e de certos Hobbies para que possa se empenhar no projeto.
Certa vez Jesus estava reunido com seus discípulos e começou a ensinar-lhes dizendo o seguinte: “Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me.” (Mateus 16:24).
O objetivo de Yeshua era ensiná-los sobre a importância do compromisso em suas vidas. Segundo o Mestre, para segui-lo seria necessário assumir a responsabilidade de viver debaixo dos seus ensinamentos, de negar prazeres, desejos e vontades visando conquistar sua meta, nesse caso o reconhecimento do Messias.
Podemos tirar um ensinamento para todas as áreas de nossas vidas, seja espiritual ou material. Ninguém consegue realizar nada sem que primeiro abra mão de determinadas coisas que são insignificantes comparadas àquilo que alcançarão no futuro.
Se observarmos atentamente veremos que a salvação, os relacionamentos, os projetos e qualquer outro objetivo em nossas vidas só serão alcançados se houver um comprometimento verdadeiro e integral com a causa pela qual estamos lutando. Lembre-se, todo empreendimento requer compromisso.

18 maio 2011

O Maior Projeto do Altíssimo

Existem várias histórias falando sobre a criação do mundo e consequentemente da humanidade. Todas as culturas de alguma forma abordam o assunto. Mas nenhuma delas é tão bela, perfeita e pessoal como à registrada na Bíblia. Perceba que estamos olhando apenas do ponto de vista histórico, para que possamos chegar ao ponto principal dessa mensagem.
Em todas as outras culturas podemos ver a criação acontecendo de forma casual, muitas vezes fruto do próprio interesse dos deuses para se promover diante dos demais e ganhar algum tipo de status.
Mas não é isso o que encontramos na Bíblia, qualquer pessoa que leia os textos pela primeira vez perceberá que a história da criação, contada a partir das sagradas escrituras, não tem nenhum interesse pessoal em autopromover-se. O que observamos é um desejo enorme de comunhão e relacionamento.
Cada detalhe da criação, cada coisa colocada em seu devido lugar de forma cautelosa, tudo feito minuciosamente como se estivesse aguardando a chegada de alguém. A impressão que temos é de Deus preparando o lugar onde colocaria seus filhos. Assim como pai, que prepara cuidadosamente o quarto do filho que ainda nascerá, Deus preparou o mundo para receber o homem.
Você não é fruto do acaso, de uma explosão e muito menos das coincidências evolucionistas até chegar ao homo sapiens. O homem é fruto de um projeto idealizado, arquitetado e executado pelo próprio criador.
Muitas pessoas vivem sem saber o real valor de suas vidas, menosprezam sua existência sem perceber que Deus planejou esse momento como pai projeta o nascimento do filho. Você tem mais valor do que você mesmo pode imaginar.
Ninguém investe em um projeto falido. Quando uma pessoa decide investir em alguma coisa é porque isso tem algum valor, pode trazer algum retorno. Um empresário só investe em um empreendimento se ele tiver certeza de que tudo vai dar certo.
Deus não investiria tanto em algo que não tem nenhum valor. Portanto, creia que o Eterno idealizou você do jeitinho que você é. Nada saiu errado, você é o maior projeto do Altíssimo.

17 maio 2011

Ouvindo a Voz de Deus


Uma das mais belas e intrigantes manifestações de Deus relatada pela Bíblia se deu de maneira surpreendente, de tal forma que até hoje muitos ainda são influenciados a procurar respostas de como se deu aquele episódio.
Segundo a palavra, certo dia Moisés estava apascentando as ovelhas de seu sogro, Jetro, e uma delas se perdeu. Como todo bom pastor ele foi atrás da ovelha perdida, pois sabia que pesava sobre seus ombros a responsabilidade de encontrá-la e levá-la de volta.
Em sua busca ele chega ao monte do Senhor, e é surpreendido pela visão de uma sarça ardendo em chamas, o mais impressionante foi que ela não era consumida pelas chamas. Para muitos homens no deserto seria normal encontrar uma vegetação como aquele queimando, mas o que realmente fez a diferença, e lhe chamou a atenção, foi o fato de que ela não se consumia.
Observe que a forma como o Eterno se manifesta nunca é de acordo com aquilo que o homem espera. Talvez Moisés tenha passado aqueles quarenta anos pedindo a Adonai a oportunidade de estar na sua presença, de poder ouvir novamente a sua voz e, quem sabe, a confirmação do seu chamado. Mas nunca imaginaria Deus aparecendo em meio a uma insignificante sarça no deserto.
O problema é que o homem tem a tendência de querer manipular tudo que está a sua volta, inclusive a maneira como Deus age e fala. Alguns são ousados o suficiente para dizer que o Altíssimo jamais se apresentaria dessa ou daquela forma. Eles se esquecem de que Deus não está preso a padrões humanos, mas tem sua forma e métodos únicos de lidar com cada indivíduo e situação.
A verdade é que o homem não tem poder para controlar Deus e muito  menos sua manifestação. Segundo a palavra Ele age da maneira como quer, quando quer e com quem Ele quer. Ele não está limitado às limitações humanas, mas é surpreendente a cada encontro ou reencontro que marca com seus servos.
Para Ele não faz diferença se vai usar uma sarça, um jumento, se bradará do meio de um furacão o se estremecerá os montes, seu objetivo é sempre conquistar a atenção do homem fazendo estar completamente atento ao que vai dizer.
Diante de tudo isso é preciso estar aberto para as diversas formas de o Senhor falar, pois Ele pode se mover a seu favor através da palavra, de uma música, no sorriso de uma criança ou no abraço de um amigo.
Ele pode usar situações miraculosas para chamar a sua atenção ou pode simplesmente sussurrar sua voz calmamente trazendo tranquilidade e paz para todo o ambiente. A maneira como irá se manifestar, ou como irá falar, pode não ser a que você esperava, mas é a que Ele planejou para aquele encontro. Apenas ouça a sua voz.
            

16 maio 2011

O Amor que Procede de um Coração Puro

Esses dias estava fazendo minha leitura diária no livro de 1 Timóteo e fiquei meditando sobre o versículo cinco, principalmente na primeira parte, que diz assim: “Mas o fim desta admoestação é o amor que procede de um coração puro, de uma boa consciência, e de uma fé não fingida.”
O amor é o mais sublime de todos os sentimentos. A todo o momento encontramos pessoas que buscam amar e serem amadas para suprir suas necessidades e carências pessoais. O problema é que a grande maioria não sabe ao menos o que isso realmente significa.
O Senhor Jesus disse que não pode jorrar de uma mesma fonte água boa e água ruim, que uma árvore não pode dar dois tipos de frutos e ainda completou dizendo que a boca fala daquilo que o coração está cheio.
Dessa forma, não pode jorrar amor de um coração impuro, porque a impureza é capaz de contaminar o mais sublime de todos os sentimentos.  Por isso, algumas pessoas, por mais que se esforcem, não conseguem expressar tal sentimento, parecem terras áridas, impróprias para o cultivo do amor.
Segundo o Mestre, a falta de amor, uma má consciência e a fé baseada em interesses pessoas fazem parte da mais intima expressão daquilo que brota do coração de um indivíduo.
O homem age expressando aquilo que está enraizado em sua essência, quando ele vive praticando atitudes contrárias ao amor, significa que a impureza já contaminou por completo a sua fonte de vida.
Como está seu coração? Quais têm sido suas atitudes? O que você faz é fruto da pureza ou da impureza? Caso suas respostas tenham sido negativas chegou a hora de rever seus conceitos, de esvaziar seu depósito e permitir que o Messias comece a encher seu coração novamente com toda sorte de vida que vem do céu.
Seu coração foi criado para jorrar o amor de Deus a todas as pessoas que estão a sua volta, qualquer coisa que impeça esse processo faz parte da impureza e precisa ser tratado imediatamente para que não contamine por completo o seu bom depósito.


13 maio 2011

Troca de Valores

Vivemos um tempo em que a troca de valores tem sido algo natural. Parece que a humanidade perdeu completamente o pudor, agindo de forma descontrolada. Se há alguns anos a sociedade vivia regrada por valores que direcionavam o modo de viver e agir das pessoas, hoje eles já não existem mais.
Por esse motivo encontramos indivíduos completamente envolvidos com práticas degradantes, que levam a destruição pessoal, além de atingir também a família e a comunidade onde vivem.
Essa degradação tende a piorar à medida que o ser humano vai transformando em natural, em comum, as práticas pecaminosas que até então eram combatidas de forma veemente pela igreja e por grande parte da sociedade.
O Senhor Jesus disse: “e, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará.” (Mateus 24: 12). Ao observar o contexto pode-se perceber que Ele estava fazendo referência aos últimos dias, quando o tempo de sua volta estivesse se cumprindo. Em termos simples, a iniquidade é justamente essa quebra de valores, para ser mais específico é quebrar as leis, é quando o homem deixa de fazer aquilo que é certo para praticar o errado.
É nesse momento que a sociedade começa a trocar os valores, aceitando como natural tudo aquilo que a palavra de Deus condena. O maior problema é quando isso começa a atingir a igreja, contaminando os santos para que vejam como normais as práticas cometidas pelo mundo.
A igreja não foi levantada para fazer a mesma coisa que o mundo faz, mas para ser o reflexo da glória de Deus. Ela tem a responsabilidade de manter os padrões morais ainda que todo o mundo a sua volta os perca. Pesa sobre ela a responsabilidade de ser luz em meio às trevas.
Não basta fazer parte de uma comunidade, é preciso assumir a responsabilidade e pregar os valores estabelecidos pelo Eterno. A Bíblia está repleta de ensinamentos onde os discípulos de Jesus são encorajados a se tornarem  padrão para uma sociedade que caminha para completa degradação moral.

09 maio 2011

Um Homem Bem Definido


Quando lemos as cartas de Paulo podemos observar a certeza que ele tinha de quem ele era em Cristo. Mesmo em meio às perseguições, traições e humilhações podemos vê-lo declarando com todas as letras sua posição conquistada através da fé em Jesus.
A certeza de quem somos nos leva a caminhar na rota correta. Ela nos impede de errar o percurso ou caminhar por lugares em que não deveríamos passar.
O que mais encontramos nesses últimos dias são pessoas completamente perdidas, sem identidade espiritual, correndo de um lado para o outro querendo se encontrar. Parece que as pessoas perderam a visão do chamado, do que Deus espera de suas vidas. Estão todos perdidos, preocupados em alcançar apenas a benção, que acabam perdendo a visão de quem realmente são.
Muitos ainda vivem inseguros, ministerialmente e fisicamente, porque nunca foram ensinados sobre sua real posição no Reino de Deus, diferente do apóstolo que sempre soube quem era, o que deveria fazer e para onde iria depois que tudo terminasse.
A desvalorização pessoal, a incerteza e o medo de assumir responsabilidade fazem parte da estratégia do maligno para paralisar a pessoa e impedi-la de cumprir o chamado de Deus.
É preciso entender que o maior medo do inimigo é que o discípulo tenha a real noção de quem ele é em Cristo. Isso porque, ao descobrir-se o discípulo começa a exercer a autoridade dada por Deus, através do nome de Yeshua, para cumprir seu chamado.
Viver conhecendo seu potencial, tendo a certeza de quem é, faz parte do propósito do Eterno para sua vida, pois dessa forma exercerá, com excelência, a autoridade liberada por Ele para que você possa pregar o evangelho no meio de uma geração incrédula e corrupta.
O apóstolo Paulo sempre foi um homem bem definido, que sabia quem era, o que queria e onde iria chegar porque sua vida estava alicerçada na Rocha. O Pai espera a mesma coisa de todos os seus filhos em Cristo Jesus.

04 maio 2011

Usando a Sinceridade como Arma

Você já se deparou com aquelas pessoas que dizem as coisas com a desculpa de que estão sendo sinceras? Você já ouviu a frase: "todo mundo sabe que só falo ou faço isso porque sou sincero?"
Parece que as pessoas dessa geração vêm banalizando determinadas atitudes para defender e satisfazer seu próprio ego, utilizando-se da sinceridade para ofender e acusar outras pessoas como se isso fosse algo normal.
Há alguns dias me deparei com uma situação onde determinada pessoa falava asperamente com outra e no final ainda dizia que estava falando daquela maneira por ser uma pessoa muito sincera e que não podia esconder aquilo.
Não questionamos o fato de o outro estar errado, mas a maneira como essa sinceridade foi usado é onde está o problema. Isso porque o indivíduo esperou que juntasse bastante gente para depois falar com a pessoa do seu erro como se estivesse esperando alcançar um bom ibope.
Também não estamos falando da sinceridade característica daqueles que tem coração puro, e que utilizam essa atitude para levar refrigério e cura para todos que estão a sua volta, mas sim dos aproveitadores que fazem de tudo para aparecer e não perdem a oportunidade de tentar destruir aqueles que estão a sua volta.
Quer dizer então que agora em nome da sinceridade podemos maltratar, acusar e humilhar aos outros como se isso fosse algo normal? Que tipo de pessoas são essas? Esse não é o ensinamento de Cristo, aliás, ninguém nunca viu o Senhor acusando alguém por causa da tal sinceridade, pelo contrário, Ele sempre foi exemplo de tratamento e respeito.
Outro fato importante é que algumas pessoas também utilizam da sinceridade para justificar seus próprios erros. Dizem que realmente erraram, mas que pelo menos estão sendo sinceros e reconhecendo. Amanhã voltam a fazer a mesma coisa ou algo pior e voltam a justificá-lo através da sua sinceridade.
Ser sincero e dizer que errou não muda o fato de ter errado, a única coisa capaz de apagar o erro de uma pessoa é quando ela se arrepende genuinamente, deixando de lado a prática pecaminosa e seguindo os mandamentos do Altíssimo. O que passa disso é autoafirmação e marketing pessoal.
Quem utiliza da sinceridade para atacar outras pessoas ou justificar seus próprios erros na verdade são falsos, são verdadeiros lobos em pela de cordeiro, espreitando para tentar destruir as vidas e alcançar algum tipo de benefício pessoal.
A sinceridade verdadeira é fruto de um coração puro, que tem como único objetivo levar a pessoa para quem está fazendo a crítica ao conserto, assim como também não é a forma de justiçar-se, mas sim a expressão do seu coração que declara precisar do perdão e da graça do Senhor para ser curado e liberto de suas mazelas.

03 maio 2011

Não se Canse de Fazer o Bem

O mundo em que vivemos tem disseminado o mau de forma assustadora. Cada dia que passa a maldade e a injustiça proliferam de forma desordenada e avassaladora.  O pior é que ela tem atingido todos os setores da sociedade.
Ao fazer uma análise dos últimos acontecimentos se perceberá que vários setores até então tidos como inabaláveis, e como “Porto Seguro” para sociedade, tem se deixado levar pelas práticas horrendas do mal.
Um desses setores é a igreja, melhor dizendo às pessoas que fazem parte dela. Tornou-se normal encontrar indivíduos que dizem conhecer e seguir a Deus, mas que estão contaminados pela semente do mal, praticando todas as barbaridades que o mundo pratica sem o menor escrúpulo ou sombra de arrependimento.
A maldade tem se propagado de tal forma que muitos, tidos pela sociedade como bons, acabaram sendo contaminados por esse vírus. Basta observar as conversas e os ouvirá dizendo estar cansados de fazer o bem e receber em troca apenas o mal, e que por esse motivo perderam o prazer de praticar a bondade.
Segundo as escrituras, veremos que a ordem é permanecer firme no propósito divino sendo exemplo de bondade para essa geração. O Apóstolo Paulo diz: “não vos canseis de fazer o bem.” (II Tessalonicenses 3: 13).
Os discípulos de Yeshua foram chamados para fazer a diferença, pesa sobre eles a responsabilidade de contaminar o mundo com o antidoto do amor e da bondade do Pai da mesma maneira que o seu Filho contaminou.
Isso significa fazer o bem mesmo que tudo e todos a sua volta estejam praticando os atos de maldade disseminados pelo maligno para tentar fazer com que as pessoas percam a fé. Ainda que todos busquem fazer apenas o mal, cabe à igreja permanecer firme no propósito da bondade e da justiça resplandecendo a glória do Eterno para essa geração.

ATENTOS AOS DETALHES