19 setembro 2018

INCONFORMADOS COM O QUASE


É comum ouvirmos as seguintes frases: “quase consegui!”; “quase cheguei em primeiro!”; “quase fiz aquilo”; "Olha, mas foi quase!"; "Quaaase...". Se conseguíssemos contar todas as vezes que ouvimos ou falamos frases do tipo escreveríamos vários livros apenas utilizando tais sentenças.

Pior, tudo indica que as pessoas estão satisfeitas em chegar apenas no “quase”; conformadas com a mediocridade, com a incapacidade de transpor limites, de superar a si mesmo e buscar fazer o seu melhor.

Talvez, por este motivo, vejamos tanta gente reclamando da vida, da falta de oportunidades, de nunca terem alcançado nada. Se você não se predispõe a superar os limites, o quase se torna suficiente.

A verdade é que você não pode alcançar seus objetivos desistindo no primeiro obstáculo que lhe aparece. Muito menos se conformando com “o quase” ter conseguido fazer, ter ou ser alguma coisa.

Todos são criados com a capacidade de superação. Agora, caminhar em direção a realização dos seus objetivos é uma atitude que requer, no mínimo, um desejo ardente. Dificilmente alguém alcançará suas metas conformando-se com as migalhas.

Os vitoriosos são aqueles que abraçaram a oportunidade e não a deixaram escapar por nada. Fizerem de um pequeno gap, único em suas trajetórias de vida em direção a conquista.

Assim como o apóstolo Paulo, se prendendo apenas a frase: “posso todas as coisas naquele que me fortalece”. Os vitoriosos são aqueles que caminham inconformados com o quase.



Por gentileza, deixe seu comentário abaixo!




Leia também:





👉 Você Pode



17 setembro 2018

QUEM DISSE QUE VOCÊ ESTÁ SOZINHO?


Os desafios se levantam para provar o quanto o Senhor nos capacita a vencer. Mesmo nos momentos de dor e dificuldades, Deus está sempre conosco, nos qualificando para enfrentar mais uma batalha.

Temos a convicção de que o Pai celestial não nos deixa sozinhos. Em todos os momentos da nossa vida Ele está ao nosso lado. Não importam as circunstâncias, os desafios, as desilusões ou momentos de tensão e temor. O que realmente importa é saber que não estamos sozinhos nesta jornada.

É bem verdade que somos sempre tentados, perseguidos, acusados. Estamos sujeitos a decepções, desfortúnios, crises e dificuldades como qualquer pessoa neste mundo. A única diferença é a certeza que carregamos no coração da presença divina conosco em todos estes momentos.

Caminhamos certos da promessa: “Estarei convosco todos os dias até a consumação dos séculos”. Precisamos tão somente crer em sua promessa e nos apoiar nele, principalmente se sentirmos que iremos fraquejar. Afinal, Deus sempre será a nossa força!


Por gentileza, deixe seu comentário abaixo!



Leia também:






14 setembro 2018

SORTE OU OPORTUNIDADE, EIS A QUESTÃO

É comum ouvirmos as pessoas falarem que não tiveram sorte na vida, por isto continuam na mesma situação todos os dias.

Normalmente, quem utiliza tais argumentos ainda credita a dita “sorte” ao sucesso dos outros, na tentativa de justificar sua acomodação e possíveis fracassos.

Todavia, se analisarmos as pessoas de sucesso, veremos que não foi a sorte quem os levou a determinada posição, mas um conjunto de características pessoais, unidas a suas habilidades, somado a sua força de vontade de  escrever a própria história. 

Na verdade, enquanto alguns estavam se apoiam na falsa ideia de que precisavam de um pequeno olhar da “sorte” para mudar suas vidas, os ditos sortudos ficaram atentos para agarrar as oportunidades que lhes aparecessem. 
Enquanto alguns esperavam “a sorte lhes sorrir”, os sortudos garimpavam os breves momentos de oportunidades. 

Diante do insucesso é sempre mais fácil jogar a culpa para cima da bendita falta de sorte, do que arregaçar as mangas e partir em direção do que tanto deseja alcançar. 

Caros amigos leitores, o sucesso não é feito de sorte, nas de oportunidades!

13 setembro 2018

A RESPONSABILIDADE É AMBILATERAL


Tenho visto muitas pessoas falarem sobre crescimento e sucesso, mas quando analisamos suas escolhas percebemos certa incongruência entre os seus desejos e as suas ações. Em muitos casos, parece que a pessoa perdeu até mesmo o juízo.

Isto me fez repensar sobre um assunto primordial para a vida humana: Responsabilidade. Pasmem senhores, quando buscamos o significado da palavra nos deparamos com, pelo menos, três conceitos diferentes para ser responsável: eu (responsabilidade pelas atitudes), o outro (responsabilidade em fiscalizar) e nós (responsabilidade Social.

É isso aí, ser responsável implica em saber conduzir a sua vida e suas escolhas observando tudo que está a sua volta e trabalhando para que todas estas coisas convirjam para o bem estar da comunidade onde está inserido.

Bem diferente daquele discurso adolescente: “já sou maior e responsável, por isto faço o que quiser!”. É bem verdade que esta mídia irresponsável alimenta este discurso e, ao invés de ajudar, acaba alimentando pensamentos e desejos que nada tem haver com verdadeiro significado de responsabilidade.

Na prática, ser responsável é ter sabedoria em como agir, não deixando que as emoções e desejos pessoais falem mais alto do que o bem comum. Dentro desta perspectiva, antes de tomar uma decisão é indispensável olhar para todas as consequências individuais e coletivas.

Quando trabalhamos no coaching a questão das metas, por exemplo, temos alguns pontos há observar antes de colocar tal objetivo em ação. Dentre eles temos: “Isto será bom para você?”, “É ecológico?”. A segunda pergunta não se refere, necessariamente, as questões ambientais relacionadas à natureza como um todo, mas se a escolha que estamos fazendo também será boa para aqueles com quem convivemos.

Desta forma, ser responsável é mais uma atitude de maturidade, em detrimento desta falsa liberdade (que mais parece libertinagem) difundida por alguns. Não existe responsabilidade unilateral, preocupada apenas com bem estar pessoal. Ela sempre será ambilateral. Sempre teremos que nos preocupar com os outros. Isto faz parte do viver em sociedade.


Leia também:






12 setembro 2018

DIAS NUBLADOS


Hoje amanhecemos com a notícia da morte de um amigo. Ele se foi tão novo, de uma maneira brutal e sem tempo para dizermos adeus. Aliás, em raras oportunidades temos o ensejo para despedidas.  Como sempre, a morte não pede licença, não manda recado ou marca uma hora exata para chegar.

Mais uma vez, uma notícia destas nos leva a pensar e repensar em nossas vidas e prioridades. Como estamos administrando nossos relacionamentos? Qual valor temos dado a pequenos momentos na nossa breve história de vida? Quanto tempo ainda nos resta? Quando chegará a hora do derradeiro suspiro que nos despede desta vida e nos leva a saudar a eternidade?

Para quem fica a saudade bate no peito, enquanto pensamentos povoam a mente. Lembranças do passado... De conversas não terminadas... De histórias não contadas... De tempos não vividos...

Questões difíceis de responder. Contudo, fica sempre a certeza de que precisamos valorizar os momentos presentes e estar completamente preparados para dias nublados como estes. Porém, como nos preparar para aquilo que nunca estaremos prontos?

Somente Deus para nos ajudar e o Espírito Santo para nos consolar.



Leia também:




11 setembro 2018

NEM SEMPRE O CAOS É RUIM


Normalmente, vemos o caos apenas como algo devastador, ruim e com conseqüências catastróficas. Porém, ele tem sido um grande instrumento para o crescimento e desenvolvimento humano.

Para compreender isto, a priori é necessário observar que nem sempre o caos precisa ser algo devastador, mas apenas algo capaz de “bagunçar” nosso esquema e tirar da zona de conforto. Nesse sentido, qualquer coisa incomum e disruptiva pode ser considerada um caos.

Os acontecimentos caóticos têm o poder de produzir transformação, readequação e superação. Eles atuam, justamente, eliminando as barreiras da zona de conforto e abrindo o campo de visão para novas possibilidades, além de abrir a mente para a inovação.

Vide a quantidade de pessoas que têm empreendido em nosso país em meio a esta crise. Aliás, toda inovação nasce de um ambiente caótico, visto que elas surgem para resolver um problema.

Dessa forma, qualquer coisa capaz de mexer na dinâmica da zona de conforto pode ser benéfica, tudo dependerá da maneira como recebemos, analisamos e reagimos ao novo.

Vejamos da seguinte maneira: um casal está feliz, completamente acomodado com a vida a dois, tudo organizado, até o momento em que descobrem não serem mais dois e sim três, afinal, terão um bebezinho.

No momento da descoberta uma avalanche de pensamentos e sentimentos invadem o casal. “Coisas do tipo: será que estamos preparados?”; “O que vamos fazer agora?”; “Os gastos vão aumentar, será que daremos conta?”; “Que cor vai ser o quarto?”; “Menino ou menina?”.

Outro exemplo clássico de caos ocorre quando alguém entra ou sai de nosso setor de trabalho. Neste momento as incógnitas são inúmeras e podem ser recebidas de formas diferentes. Existem aqueles que vêem como oportunidade de crescimento, alguns sucumbem a pensamentos degradantes e perdem o estímulo.

O que dizer de uma promoção? Ser promovido, por mais desejado que seja, é um acontecimento caótico, pois tira da zona de conforto e produz, querendo ou não, algum tipo de ansiedade com a nova tarefa.

Enfim, nem sempre os acontecimentos são apenas caóticos no sentido de destrutivos. Na grande maioria dos casos podem ser grandes oportunidades para sair da zona de conforto e crescer.


Não esqueça de deixar o seu comentário!


Leia também:




10 setembro 2018

SURPRESAS DA VIDA


Sabe aquelas coisas que acontecem em nossa vida sem esperarmos? Em um segundo parece estar tudo bem, mas de repente, tudo muda e vem algo novo capaz de desmontar todo planejamento. Algumas destas situações são boas, outras são ruins, contudo, se reagirmos da forma correta é possível tirar aprendizado de todas elas..

Como assim? Tem coisas ruins que podem ser positivas?

Bem, é claro que o ruim será sempre ruim. Porém, a maneira como iremos lidar com o infortúnio é que pode ser positiva. Estes dias, por exemplo, estava ouvindo o testemunho de um empresário que havia quebrado cinco vezes. Em cada uma delas motivos diferentes: desde roubo até crise mundial.

Entretanto, em cada uma destas situações ele olhava para as dificuldades, erguia a cabeça e prosseguia com novas ideias, novas metas e um objetivo final a ser alcançado. Ele compreendeu que o segredo para o sucesso não estava em “sorte”, mas em perseverar e ousar todos os dias.

Tudo que precisamos é continuar acreditando, continuar lutando e não parar diante das dificuldades e surpresas da vida.

E você, quais surpresas ocorreram na sua vida que você soube (ou não) tirar proveito? Deixe nos comentário sua experiência! 


Leia também:





INCONFORMADOS COM O QUASE